terça-feira, 11 de dezembro de 2007




Acompanhar o processo criativo do outro é como assistir a um parto
É sentir todo o esforço e ajudar muito pouco.
O filho já está pronto
Está formado
Nasceu, pertence ao outro.
Não se deve e não se pode interferir
O outro até espera ajuda
Por melhor que possa parecer não se enquadra neste momento
O filho foi moldado na emoção da criação
Alterá-lo é injusto, é cruel.
Não seria mais o filho.
O outro segue sozinho. Tentando
O filho cresce e vai para o mundo
Só resta contemplar e aplaudir.





 

2 comentários:

MAO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MAO disse...

Minha terra continua com palmeiras onde cantam sabiás, mais estrelas, mais flores, mais vida e mais amores.

Beijo