terça-feira, 15 de janeiro de 2008






Farol dos sentimentos
Sinaliza sempre uma nova emoção
Indica sempre um caminho

O farol por uns dias ficou desligado
O barco se viu perdido
Pensou até que iria naufragar

Dias à deriva
Escuridão, solidão
Só o zumbido do que tinha sido
Ventos que dilaceravam as ideias

Cheio de dúvidas
Vazios não preenchidos
Parecia uma eternidade
Não sabia se o farol voltaria a acender as luzes

A luz do farol voltou a piscar
Com ele o navio encontrou o rumo
Não sabe quando vai ancorar

O vento sopra a seu favor
O barco segue no mar de emoções
Bandeira branca hasteada




11 comentários:

Chuvinha disse...

O farol quando se apaga é para que possamos refletir sobre o que queremos e para onde vamos, afinal, as direções são muitas, há enes escolhas para os navegantes.

Célia disse...

Ola menina Paula, tudo bem ???
Vim aqui por a leitura em dia, nem sempre tenho tempo, pois quando resolvi ser a dona de meu prorpio nariz e não ter patrão a vida ficou sem tempo.
Beijos
Célia

Layla Lauar disse...

Oi Querida

Belos versos, uma enxurrada de emoção e poesia. Li todos com carinho e atenção. Gostaria de deixar um recadinho em cada um, mas sem tempo disponível, deixo aqui resgistada toda a minha admiração. Beijos todos e + um tantão.

Grace Olsson disse...

Eu te encontrei na Chuvinha e vimt e visitar.E nao foi minha surpresa quando vi uma foto de aLAGOAS E vc diz nao saber o nome. Eu sou daquelas bandas...risos. E se vcc alargar a foto quem sabe eu nao descubra a cidade.
Dias felizes e que eu venha mais vezes te ver.
Vim pelo nome do blog por que eu adoro fotos e pressenti que vc seria um pouco eu já que decoro meus posts em prosa, com fotos e desenhos e artes.
Beijocas
Grace Olsson
www.eueorenascerdascinzas.blogspot.com

Grace Olsson disse...

Eu te encontrei na Chuvinha e vimt e visitar.E nao foi minha surpresa quando vi uma foto de aLAGOAS E vc diz nao saber o nome. Eu sou daquelas bandas...risos. E se vcc alargar a foto quem sabe eu nao descubra a cidade.
Dias felizes e que eu venha mais vezes te ver.
Vim pelo nome do blog por que eu adoro fotos e pressenti que vc seria um pouco eu já que decoro meus posts em prosa, com fotos e desenhos e artes.
Beijocas
Grace Olsson
www.eueorenascerdascinzas.blogspot.com

Ederson Marques disse...

Olá Paula, obrigado pela generosidade e visita em meu blog. não aguentei e dei uma olhadinha no seu blog e achei muito legal... adoro fotografias e digo que vc fotografa mt bem... a foto da concha está perfeita... que máquina e lente vc usou? mt boa definição e perfeição na composição... bjo grande

Codinome Beija-Flor disse...

Paula,
Ler seu post me fez pensar na música da Isabella Taviane - "Farol", me fez lembrar do licro "DIARIO DO FAROL" do João Ubaldo Ribeiro.
Me faz pensar agora se realmente vale a pena viver buscando como guia a "LUZ" do farol alheio, ou se devemos rumar em direção da nossa luz própria!? Ainda não sei a resposta.
Bjos

Codinome Beija-Flor disse...

O Farol
Isabella Taviani
Composição: Isabella Taviani

Cale a boca!
Não fale nada mais agora
Pois o silêncio expressa mais que as tuas frases tortas
Cale a boca!
Agora é tarde eu tranco a porta
Vou me embora dessa vida louca sem demora

Eu me matei por não saber me viver
E vencer a luta contra esse amor de mentira (que mentira)!
Eu me perdi no teu olhar
Ah, que cilada
E hoje a minha dor
É um farol que nunca apaga

Cale a boca, eu ordeno!
Eu já não tenho medo
Pois hoje possuo antídoto pro teu veneno
Cale a boca!
Não me venha com essa história sonsa
Em você sempre me falta alguma coisa

Eu me matei por não saber me viver
E vencer a luta contra esse amor de mentira (que mentira)!
Eu me perdi no teu olhar
Ah, que cilada
E hoje a minha dor
É um farol que nunca apaga

Cale essa tua boca rasa!
De onde nunca sai nada que me valha
Cale a boca de qualquer maneira
Deixa ela costurada
Só assim eu não tenho que ouvir o seu: "nada"

Eu me matei por não saber me viver
E vencer a luta contra esse amor de mentira (que mentira)!
Eu me perdi no teu olhar
Ah, que cilada
E hoje a minha dor
É um farol que nunca apaga

Apaga apaga

paula barros disse...

A todos obrigada. Adoro os comentários e o carinho. Vocês não imaginam o quanto me ajudam. beijos no coração

Edson Marques disse...

Paula,

Só agora, quando o mundo faz silêncio, venho aqui te ler...

Barcos à deriva sempre encontram seus faróis!

Você soube expressar poeticamente iso que lhe vai pela alma.

Vejo que é original, de hoje!

Belíssimo!


Abraços, flores, estrelas..

Paulo Roberto disse...

Realmente, admito tbm que me veio a cabeça Isabella com a música FarOl

E hoje a minha dor
É um farol que nunca apaga...

Não busque a luz por que nós somos a Luz que nunca se apaga!