sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

foto Paula Barros

Vivo lá. Todo dia, mais de uma vez no dia. Volto, me questiono, levo uns tombos, volto, releio, reflito, e assim tem sido. E é por isso que vou lá. Lá sou igual a criança quando chega na piscina de bolinhas. Ansiosa para pular, cheia de expectativas, emoção, os olhos brilhando, as mãos levantadas e .......sempre vem aquela voz que me persegue a vida toda, “cuidado”, “você vai se machucar”, “se fosse você não faria isso”, “pense duas vezes”, “depois vai ficar chorando”, “depois não venha reclamar” e .....pumba! Pulo. Cheia de satisfação e coragem, não sei onde arrumo tanta. Ah! Sou criança, esqueci.


Conforme a voz disse, quase sempre choro, me machuco, fico tonta, às vezes fico perdida entre as bolas coloridas. Mas as bolinhas são coloridas e lá as bolinhas/palavras também curam, tem bolinhas brilhantes de esperança, bolinhas do possível e as melhores as das mudanças.

Igual as crianças, antes da queda, curto a emoção do pulo, do tempo que fico no ar e da satisfação de cair nas bolinhas coloridas. Se machuca, também faço igual as crianças, levanto, choro, “não ta doendo”, e vou correndo brincar/ler de novo.

Estou crescendo. Um dia, não vão mais me deixar brincar na piscina de bolinhas. Mesmo quando crescer vou sempre precisar mudar.

14 comentários:

paula barros disse...

Um trecho, de um dos comentários deixados no blog mude no dia 31Tenho percebido com minhas vindas aqui, onde realmente mergulho de cabeça, corpo e membros, que mesmo não conseguindo mudar, mudar não é nada fácil, tem sido um alívio reconhecer as dificuldades e tentar lidar com elas.

Milady disse...

Paula, obrigada pela visita e não se sinta em falta comigo não... Eu vim parar aqui a convite, e gostei! por isso volto sempre! Posto comentários porque me sinto impelida a isso! Afinal os posts são interessantes e me fazem refletir! Enfim, lendo e aprendendo um pouco mais!
Se vc gostar da minha essência é sempre bem-vinda a retornar! É uma satisfação receber visitas tão ilustres e de posts tão inpiradores e comentários interessantes!
Quanto aos pensamentos de hoje, é definitivamente isso mesmo! nós nos jogamos na piscina na certeza de que é bom! Eventualmente encontramos um percalço no caminho, que machuca, que bagunça, mas é isso, choramos, chamamos nossa mãe, e tudo passa, em dois segundos, ninguém mais vê traços daquele choro, e se bobear nem acredita que aconteceu!
E vamos aproveitando a piscinha de bolinhas enquanto podemos, pois daqui a pouco crescemos e podemos entrar na Montanha Russa! Topas?

beijão

Dr. Fácil disse...

Sinto falta de uma piscina dessas, maiorzinha só.... Um dia eu vou voltar pra elas também...Agora vou ficar fora do meu blog outros dias, só procurando... Valeu pelo muito pelo link, demais. Estou super agradecido. Por agora fica outro beijo. Beijão

Layla Lauar disse...

A vantagem de se ter uma filha pequena é essa...mergulho sempre,junto com ela, ou não, em piscinas de bolinhas. As infantis e as que enocontro no meu caminho, onde nem sempre as bolinhas são coloridas, mas mergulho de cabeça e os inevitáveis macucados... os trato depois.

Adorei o post querida, gosto muito quando você faz esse "casamento" virtual e poético com o Poeta.

Beijos todos e + alguns

Layla Lauar disse...

corrigindo...machucados

Chuvinha disse...

Eternos mutantes...crescemos e diminuimos ao mesmo tempo. Aprendemos e desaprendemos.

Edson Marques disse...

Paula,


Adorei o teu texto!

E essa tua criatividade em falar das palavras e bolinhas...

Palavras, parábolas...

Parabolinhas...


Uma piscina de para-bolinhas!

Obrigado por tudo!

Abraços, flores, estrelas...

Alisson da Hora disse...

Estou em silêncio e ficarei por um bom tempo. Obrigado por tudo.

beijos

a.h.

O Profeta disse...

Os pesares dividem as marés
A idade do ouro ainda tarda
Os anos passam como gotas varridas
Por um tempo que retrata o nada


Convido-te a saborear um absinto no meu espaço
pela Taça de Fino Ouro



Mágico beijo

Grace Olsson disse...

PAULA, eu comprei o livro do Edson, confesso sicneramente, levada inicialmente pela capa por quÊ TEM uma meninA que é meu sonho. Tem uma menina no Campo de Refugiados em Moçambique que apesar de todo miséria que tem ao redor, ela consegue pular igual à que Edson colocou na capa.
Mas depois, eu recebi o livro e tentei mudar muitas coisas. Ah, eu tinha que mudar.
Antes, eu levava bordoadas e chorava, apenas. E fazia pior:CONTINUAVA com a pessoa a me machucar.
Hoje, eu não faço mais. Me machucou, além de gritar, eu deleto a pessoa da minha vida. Mas deleto de forma que não fica mágoa. Fica uma doce saudade de um sentimento genuino que existia apenas dentro de mim mesma.
Eu mudei quando, eu comentar em blogs, eu voltava para ver se alguém dizia algo que me machucava. E hj, já não faço. Pouco me importa o que disseram depois de mim sobre MIM MESMA.
Eu mudei quando parei e descxobri que, meu marido, apesar de não ser brasileiro, tem tudo para ser meu par. Mas para isso eu tive que mudar, me despudorar e dizer a ele que eu gosto disso e daquilo e não do que ele experimentou até o dia em que me conhceu.
Hoje, se um dia, eu tiver que fazzer algum livro sobre as crianças refugiadas - EU VOU FAZER UMA EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA, DEUS TEM ME DADO FORÇA, com as fotos dos refugiados e junto vou lançar um livro com as mesmas fotos e assim, eu vou conseguir retirar algumas somalianas do campo.
mas, se eu consegui chegar até aqui, foi graças a esse livro. Por isso que quando uma amiga, me manda links de livros para baixar,eu não faço. Por que eu sei o quanto custa fazer um livro.
Eu aprendi a MUDAR QUANDO ME DEPAREI COM O LIVRO MUDE e senti que eu não tenho mais nehuma SASTISFAÇÃO A DAR À Universidade em que estudei Direito. Por que meu trabalho na África foi usado em exaustão nas TVs alagoanas como chamariz para novos alunos. E eu fiquei perdida.
Mas,m ao ler o livro, eu disse a MIM MESMA: EU NÃO VOU DEIXAR QUE NINGUÉM FAÇA DO MEU TRBALHO TRAMPOLIM PARA ATRAIR PESSOAS POR QUE AS CRIANÇAS REFUGIADAS SÃO SERES HUMANOS E NUNCA EU RECEBI APOIO FINANCEIRO, NADA, DA FACULDADE.
hoje, eles estão desesperados a querer que eu faço exposição lá. Mas, eu não vou fazer.
O livro MUDe tem me mostrado que eu posso viver do que eu quero FAZER.
E o que euq uero FAZER é algo além de MIM. Eu não quero nada para MIM. MaS ALÉM DISSO, EU PRECISEI DAR VOLTAS E MUDAR.
Por que MUDAR faz toda a diferença.
Quando um dia, eu coloquei o livro do Edson na coluna do meu blog e comprei exemplares para dar a amigos, eu descobri que a inveja e a intriga tbm existem na blogosfera. Mas, naquele momento, a pessoa já não cosnguiu seu objetivo por que eu TINHA MUDADO.
BEIJOS E DIAS FELIZES.

Edson é um dos homens da internet que feliz da mulher que o tenha como parceiro a dois. Por que ele é, simplesmente apaixonanante e transparente. O que ele é nos textos, ele é no blog e é nos emails. Coisa rara de se ver. Atitudes que eu já observei em muitos blogueiros do sexo masculino.
Ele é um pouco ou igual à Merit. Despudorado e sem a mínima capacidade de fingir o que de fato não sente.
Ele é uma boa espécie de HOMEM.
Dias felizes, e bom carnaval, Paulinha.

Grace Olsson disse...

E se um dia, eu lançar um livro fotográfico EU VOU FZER ISSO, PODE CONTAR - ele é a única pessoa capaz de fazer o prefácio. Ele e um outro amigo blogueiro que é tão transparente quando Edson. Mas esse outro foi um achado em 2008.E eu não vou dizer o nome. Edson, eu o encontrei em 2007, quando eu estava devastada por causa de Um AVC. E ter comprado o livro em fez poupar terapias. POupo o dinheiro e guardo. Transformo em lápis , cadernos, etc. Tem muit criança que precisa disso.
beijos

Vanna disse...

Querida, acredita q sou esta mesma criança q foi virando mulher em minhas idas e vindas d lá. E sabe q fico c/ vergonha quando ainda percebo q ainda tenho muito q mudar.
Bjs

Edson Marques disse...

Paula,

Isso que a Grace escreveu me deixou emocionado. É uma das melhores coisas que já foram ditas a meu respeito. E eu sei que com extrema sinceridade.

Eu já disse a Grace que me lembro dela TODOS OS DIAS, quando vou postar meus textos no blog Mude. Por uma simples coisa que um dia ela me ensinou.

Repito: todos os dias!


Agora, madrugada de sábado para domingo, vou pensar num texto para amanhã. Tomando guaraná Antarctica.

E pensando em você duas, é claro!

Abraços, flores, estrelas...

Edson Marques disse...

Vocês duas...