terça-feira, 1 de abril de 2008


foto da internet

......tão carente........ Assim li em um comentário.

Fiquei pensando. É para rir ou para chorar? Ficou um sentimento misto. É uma constatação forte e verdadeira. Até já sei. Mas “ouvir” assim e dito com tanto carinho me deixou “chorindo”.

Depois de algumas horinhas o sentimento foi o seguinte. Viva! Viva!

Estou sendo lida na minha essência. Por pessoas sensíveis e inteligentes. Consigo ser verdadeira e transparente. Nesse mundo tão cruel, desumano e insensível. Que bom!

Cada vez que leio os blogs. Que escrevo no meu blog, ou comento nos blogs, muito de mim eu conheço. Cada comentário avaliativo e sincero faz com que eu entre em contato com sentimentos e ajude no auto conhecimento.

Carente, sim. No entanto, percebo ao avaliar o dia-a-dia real ou virtual que não é qualquer olhar, qualquer mão, qualquer palavra, qualquer um que toca o meu coração, o meu sentimento.

Fazendo o coração acelerar. O juízo girar em sentido anti-horário. Faltar fôlego. De subir um calor pelo corpo. Acordar de madrugada para escrever. Dos olhos marejarem. De fazer a alma ficar inquieta. Sentir frio no estômago. Pernas bambas. E tantos outros sentimentos e reações corporais.

E me pergunto: que carência é essa? Tão seletiva. Tão exigente.

O bom de tudo isso é sentir o corpo e a mente diferente.

Se real ou virtual, o importante é sentir, o sentir real. Mexendo com todos os sentidos. Fazendo os fluídos corporais se modificarem. Fazendo a pele ficar sensível.

É muito bom sentir isso tudo. Muitas vezes passamos anos sem sentir o corpo reagir a nada. Sem sentir que o coração ainda está vivo. Sem sentir que as emoções é que nos comanda, e não só a razão.

Se vai dar certo? Não sei.

E se não der certo? Só em estar me sentindo assim. Só em aprofundar o meu conhecimento sobre os meus sentimentos. Já está dando certo.

E se eu sofrer? Vou escrever sobre a saudade, a decepção, a dor que estiver doendo e tenho certeza que vocês estarão aqui me apoiando. Como sempre fizeram.

Então, vamos sonhar!

Sentir. E viver o amor, com a dimensão que nos é possível.

Obrigada por ter me feito refletir sobre a minha carência, por ter me feito escrever. Com certeza serei um pouco melhor a cada nova descoberta de mim mesma. Você contribuiu com mais uma peça do quebra-cabeça, que monta e se remonta. Que sou eu.


OBSERVAÇÃO:

Esse post também é um complemento para o meu comentário no blog http://esfinge-codinomebeija-flor.blogspot.com/

Querida Beija-flor, que sempre aqui está e sempre contigo estou. Não entendo o amor virtual. Não sei como surge. Assim também como não sei com surge o amor pelos reais.
Talvez atinja alguma carência. Talvez desperte sentimentos adormecidos com as palavras que vão e vem. Talvez seja o olhar observador. Pode ser tanta coisa.

Não tem o cheiro, o olho no olho, a mão na mão, não tem calor físico, não tem atração física, não tem suor, não tem saliva, não tem beijo, não tem..........

Mas tem tudo o que está dito no texto acima. O sentir às vezes é tão bom ou melhor do que muitos relacionamento reais. Não sei explicar. E pela primeira vez não quero explicação, só quero sentir, sentir, sentir...........

Beijos querida.



18 comentários:

Anônimo disse...

P oder desprender-se do corpo
A té voar sobre o mundo...
U ma flor deixarei sobre uma folha de papel
L ágrmas e a batida mais forte do coração
A lágrima mais sincera da emoção.

B om de falar sobre o que ama
A mar sobre o que fala.
R ogo você sentir essa emoção,
R etiro esse nó na garganta,
O u se emocionar com o pôr-do-sol
S ou como o primeiro raio da manhã,

Estarei sempre aqui
Admirando você
Mesmo sem escrever
Squer uma linha sobre
Serás sempre uma poetisa
Admirada por mim.

MONICAVOX disse...

QUERIDA PAULA, VOCE DISSE TUDO, ANTES TERMOS COISAS PARA SENTIR E NOS QUESTIONARMOS, DO QUE NÃO SENTIRMOS NADA,NÃO PERGUNTARMOS NADA PARA NÓS NEM PARA NINGUÉM...E QUEM, MAS QUEM MESMO, NÃO TEM CARÊNCIAS???CARÊNCIAS DE AMOR, DE COMPREENSÃO, DE SOLIDARIEDADE, DE AMOR E AFETO, DE SEXO, DE ALEGRIA, DE TRISTEZA(ESSA PARTE É BOA TER CARÊNCIA NÉ?)TODOS TEMOS E TRAZEMOS DE ANOS PASSADOS, DE FAMÍLIA, DE RELACIONAMENTOS, FAZ PARTE DO SER HUMANO TER CARÊNCIAS.O IMPORTANTE É TRABALHARMOS FUNDO ESSAS CARENCIAS, E ,ALGUMAS DELAS, DEIXARMOS O TEMPO CURAR, AS COISAS ACONTECEREM...ELAS TB SARAM SÓZINHAS, SABIA??ADOREI, MUITO BEM COLOCADO, E OLHA AÍ SEU FÃN DE NOVO...CARÊNCIA DE ATENÇÃO PELO QUE VC ESCREVE VC NÃO PODE TER NÉ?TODOS OS DIAS..TODOS AQUI, TE PRESTIGIANDO...SHOW AMIGA, VAI EM FRENTE, MUITA SORTE PRÁ VC, E TENHA UM DIA FELIZZZZZ!!BJUS MIL, WALK ON FOREVER,MONICAVOX

sergio disse...

Paulynha vc arrebentou neste post... olha, acredito que somente pessoas com sensibilidade aflorada conseguem captar isso do virtual e transformar em real... tb sou assim... para amar, não precisa tocar... para ser amado não precisa ser beijado... o virtual em alguns casos dá conta desta carência mesmo....estou feliz por estar lendo coisas tão maravilhosas de vc.... e esta pessoa anônima, pelo jeito, te fazes muito bem... como considero uma amiga especial desejo que esse virtual seja real e que não haja decepções... o mundo já anda complicado e brincar com sentimentos na atual conjuntura é um crime...viva o virtual e o real... bjs... amiga

Betho Sides disse...

Paulinha linda, obrigado pelo "cara sensivel", mas escrevi o que sentia no momento que eu lia seu post. Se ajudei neste quebra-cabeças como vc diz! Fico feliz pois não te vejo como tal!Eu vejo uma moça com sentimentos a flor da pele, que talvez chore até vendo comercial de televisão, mas que esta longe de ser "um complicado quebra-cabeças" E mais perto de ser uma pessoa com muito amor para oferecer e receber...e merece! bjs minha lindinha Paula Barros.

Alisson da Hora disse...

Se desnudar é uma arte. Adão e Eva ficaram "nus" e sentiram vergonha, porque expuseram o que há de ruim. Hoje, temos medo de expor nossa nudez, nossa bela nudez, fruto da nossa pureza e de tudo que temos de bom e infelizmente ainda exercitamos tão pouco.


beijos grandes, meu amor...

a.h.

Sombra do Sol disse...

Olá Paula bom dia, tem um blog de uma amiga que se chama "Perfume no Ar", o seu pelo que pude observar nos últimos posts e comentários deveria ser batizado como"Cheiro de Mistério e Amor no Ar" pois tudo aqui está exalando. Que bom saber que você está bem e feliz. Saiba que a vida como um todo: o nascer, o crescer, as experiências, entre outras características. Talvez nos fascine por sua complexidade, por ela conseguir ser tão diferente e, ao mesmo tempo, tão igual entre as pessoas. Não sou adepto da crença no destino, pois os mesmos nós o conduzimos de acordo com a nossa vontade e de nossos desejos. Concordo com você quando compara a vida como um grande quebra-cabeça, o qual nascemos com algumas peças e recebemos outras das pessoas com quem convivemos, porém estas peças não são suficientes para completar este quebra-cabeça, na verdade são somente uma pequena parte dele. E as outras peças? Bem, as outras peças cabe a nós desenharmos e montarmos como acharmos melhor.Este quebra-cabeça não tem um final padrão e nem sabemos até quando poderemos continuar montando-o. Alguns o deixam pela metade, mas, em compensação, outros nos deixam verdadeiras obras de arte como esta que você está proporcionando, muito inspiradoras por sinal. Cada quebra-cabeça é único, embora possamos desenhar peças parecidas com as de outros, tentamos imitá-las, mas não é possível copiá-las, já que estas não se encaixariam em um diferente do original, pois como falou em outro post, cada artesão tem sua forma de criar. O que a imagem do nosso quebra-cabeça significa? Tudo aquilo que fizemos, é o reflexo do que somos e do que vamos deixar quando não pudermos mais continuar a montá-lo. Complexa e encantadora, essa é a nossa vida. E você está no mínimo proporcionando a todos nós, imaginarmos o seu quebra cabeça, pois falta de poeta não é, o anônimo deu um show, fiquei até retraído em fazer o comentário, mas certamente estarei acompanhado capitulo por capitulo. Tenha um excelente continuar de semana com muita paz, saúde e luz. Abraços do amigo.

Anônimo disse...

Oi, Paula, Parabéns. Está muito bom. Como deve ser gostoso viajar neste mundo virtual e sentir as palavras tocarem os sentimentos. As palavras se confundem como se fosse de uma só pessoa. Nelas não existe o outro. O virtual assume a unidade. Sentimo-nos unipresente, uniciente, unipotente. É a unidade partilhada numa magia, sem fim nem começo, com o próposito de ler e interagir, de comungar abraçando o invisível, de viver a vida virtual. A massagem na alma isola a matéria, acalenta o corpo. O amigo Saulo.

Chuvinha disse...

Todos nós temos um tanto de carência. As vezes de pessoas completamente diferentes. O amor é tão complexo que nossa carência nunca se resume a um outro ser, mas até a algumas situações.

Chuvinha disse...

Todos nós temos um tanto de carência. As vezes de pessoas completamente diferentes. O amor é tão complexo que nossa carência nunca se resume a um outro ser, mas até a algumas situações.

Layla Lauar disse...

Poxa, ficou muito bonito este post, aliás como todos que você escreve. Gostei muito. parabéns!

Eu me envolvo tanto com os amigos que faço virtualmente, que nem me lembro que não os conheço, possoalmente.

beijos

wilson rezende disse...

Paulinha você é muito sensivel, acredito que a blogosfera é uma forma de tentarmos mudar o mundo, de contatos e conhecimento, um grande beijo.

Esconderijo da Bandys disse...

Paula,
Já escrevi sobre isso, e sinto exatamente tudo como no real.
Hoje eu quero mais é ser feliz, e esse mundo virtual me da essa felicidade. As sensações são novas e maravilhosas.
Como posso me esquecer o dia que vc escreveu sobre meu blog?
Como posso esquecer o dia que me falaram "eu te amo"?
Aproveita!!!
Seja feliz,
Beijos

lucyleal disse...

ola.parabéns pelo blog, muito sensível e verdadeiro.
Sempre sentimos isso sim, temos apenas que ler, ouvir, reler e escutar....para depois teclar.
São sentimentos normais de amigos, amor, e amizade virtuais.
beijao
( me adentrei para te conhecer)

Marcelo Báfica disse...

Gostei da sinceridade, das palavras bem medidas...

Dr. Fácil disse...

"Viver" seria um clichê para descrever o que você disse. Mas é. E com aquela sinceridade que vem de dentro. Vale a pena ler; porque eu compartilho isso também. Assim vejo que seu blog é de coração como também faço no meu. Super Beijo!

vilminha disse...

Paula, querida, Gostei da sua reflexão como sempre da pra conhecer muito de vc, tem pessoas que são transparentes e esta é uma qualidade que vc tem. Se vai dar certo? Não sei.Quanto a sua frase "Se vai dar certo? Não sei." ninguém sabe ou pode prever, a vida graças a Deus a Deus pertence e a nós cabe viver o presente o ontem é passado e o amanhã ainda não chegou, portanto nos sobra o hoje que sendo um presente deve ser vivido com a alegria de uma criança que ganha o presente que mais almejou e alcançou, então "Se vai dar certo? Não sei." Se é que o Certo existe? e gosto de lembrar que ""Às vezes, quando tudo dá errado acontecem coisas maravilhosas que jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo". Olhe tem um selo da amizade no meu blog gostaria de dedicar com muito carinho ele a vc que é uma amiga especial, não o fiz nos links porque tinha certeza que vc já havia ganho, mas faço questão de que vc aceite de coração esta homenagem especial a nossa amizade. Bjs e uma ótima quinta feira.

Ricardo Rayol disse...

gostei muito dessa sua egotrip

Roberto Mauro disse...

Muito obrigado pelas suas palavras,acho que as vezes voce me "mima" demais.
Só mais uma coisa, sinta, sinta ,sinta.......sempre