terça-feira, 8 de abril de 2008

Praça 17 - Recife-PE - foto Paula Barros


Andar de ônibus tem me mostrado uma outra dimensão e compreensão da vida. Posso sentir que não estou só com os meus pensamentos e questionamentos. Seguindo sozinha, num carro com ar condicionado, tocando uma música que não escuto. No ônibus tenho percebido olhares, que olham, vagueiam, pensam, que não vêem. Sinto o calor do tempo e dou valor ao ar condicionado. Sinto o calor humano, literalmente e filosoficamente. Na pessoa que se levanta para ceder o lugar. Na mão que ajuda para subir ou descer. No olhar que sorri, mesmo sem saber porque. Nas músicas que cada um escuta com o fone de ouvido, isolado, mas o corpo balança no ritmo e os lábios cantarolam. Aquele que resmunga. O que reza. O que canta alto. O que pensa e fala sozinho. São tantos seres humanos. Várias cores, vários rostos, várias tendências sexuais, várias histórias de vida. Suores. Cheiros. Sorrisos. Lágrimas. Tristeza. Cansaço.
Bom dia! É o espanto. Ou o sorriso.
São pessoas com vontade de ser e de viver. Que precisam ir e vir e fazer a vida acontecer. Quantos não tomaram café da manhã? E mesmo assim sorriem, conversam e cantam. Quantos jovens preocupados com os estudos? Com o futuro tão incerto. Quantos vão ao trabalho? Que nem sempre dá prazer. E no final do mês vão receber o salário que mal dá para sobreviver. Quantos desempregados? Quantos com problemas de saúde, com dor? Quantos estão amando? Sendo amados? Quantos corações partidos, doídos? Esqueço de pensar nos meus pensamentos. Para pensar no todo. No coletivo. Me sinto tão pequena diante daquelas vidas. Das tantas vidas que vem e vão.

17 comentários:

Sombra do Sol disse...

Olá Paula boa noite, isso são horas de aparecer na casa dos outros, mas você vai dar um desconto, pois é a única hora que permite eu visitar os amigos, seu post como todos, está muito verdadeiro e tocante o que diz respeito ao nosso dia a dia. Vivemos num mundo onde a grade maioria das pessoas solitárias justifica seu desejo de privacidade escolhendo “viver sozinhas porque gostam de liberdade. A tendência individualista de nossa época reforça o temor de conviver com as diferenças humanas, conviver o dia-a-dia com tanta gente e ao mesmo tempo se sentir solitária parece um paradoxo social contemporâneo. Mas são muitas as situações geradoras de solidão. Há solidão gerada pelo próprio poder, solidão decorrente da riqueza, solidão dos bem e malcasados, solidão imposta pelo trabalho, solidão dos velhinhos rejeitados com suas memórias e, muitas vezes, abandonados nos asilos esquecidos dos familiares, solidão da loucura, dos internos, dos hospitais psiquiátricos, solidão dos enfermos hospitalizados ou dos desempregados. Enfim tudo que está na sua narrativa reflete-se diuturnamente, nós é que não percebemos. Há quem use a solidão como tempo de inspiração, análise e programação. É o recolhimento ao próprio íntimo. De vez em quando é preciso estar só, como você descreve, pois se conheço um pouco você pelos seus textos, você deve ter ido na sua imaginação fazendo as combinações na cabeça. Porque, realmente, o que mais deve surpreende-la é que exista tanta gente boa e sozinha.Tenha um decorrer de semana com muita paz, saúde e luz. Abraços.

MONICAVOX disse...

QUERIDA PAULA, REALMENTE É UMA VERDADEIRA TORRE DE BABEL. QUANDO COMEÇAMOS A NOTAR QUE FORA DO NOSSO CÍRCULO DE HÁBITOS E CONVIVÊNCIAS EXISTE UMA VIDA PULSANTE TAMBÉM, COM INÚMEROS CONTRASTES,VOCE COMEÇA A PERCEBER O QUANTO SOMOS DIFERENTES ,VIVENDO NA MESMA CIDADE, PAÍS, PLANETA.QUANTAS VIDAS DIFERENTES E PROBLEMAS TAMBÉM.DESTINOS OPOSTOS AOS NOSSOS COM HISTÓRIAS DE VIDA QUE DARIAM UM LIVRO COM CERTEZA.POR TUDO ISSO QUE A VIDA É TÃO FASCINANTE,E QUE NÃO ESTAMOS AQUI POR ACASO MESMO.NÃO É Á TOA QUE VOCE NOTOU TODAS ESSAS COISAS NA SUA VIAGEM DE ÔNIBUS,E OLHA QUE VC NÃO FALOU O PIOR,O DESCASO, A VIOLÊNCIA, O MEDO,AS CONDIÇÕES PRECÁRIAS EM QUE VIAJAM ESTAS PESSOAS E O QUE ELAS PODEM PENSAR DE UMA PESSOA QUE PASSA AO LADO DELA, NO SEU CARRO COM AR CONDICIONADO.TERIAM INVEJA?RAIVA POR NÃO PODEREM FAZER O MESMO?FICARIAM INDIGNADOS COM O DESTINO DELAS?PORQUE ISSO, PORQUE AQUILO?SE EU TANTO TRABALHO, TB TENHO DIREITO...TANTOS MISTÉRIOS ,QUE QUASE ENLOUQUEÇO SÓ DE PENSAR,COISAS QUE ME ATORMENTAM DE VEZ EM QUANDO, QUERO RESPOSTAS E MUITAS VEZES NÃO AS ENCONTRO.

UM LINDO E MARAVILHOSOS DIA, E OBRIGADA SEMPRE PELA SUA PRESENÇA NO MEU BLOG...SEUS COMENTÁRIOS SEMPRE ACRESCENTAM.
WALK ON FOREVER,MONICAVOX

Edson Marques disse...

Paula,

Antes de tudo, a foto: perfeita!

Quanto a sentir "pequena diante daqulas vidas", opto pelo inverso da conclusão: por te elogiar: quem pensa na vida dos outros, também e carinhosamente, deveria se sentir do tamanho do mundo!

Parabéns pelo texto de hoje!

Abraços, flores, estrelas..

olivia carromeu disse...

Paula,

Ontem mesmo estava conversando com uma amiga minha, e a solidão é o mal do século. Não tem jeito, as pessoas precisam estar com as outras de um jeito ou de outro. Sensacional esse texto! Muito bom!!!

wilson rezende disse...

Andar de ônibus é sempre bom e lá vai os operarios com marmitas na mão, estudantes, é o povo mais sofrido e que vive labutando e as vezes felizes.

Alisson disse...

E a gente, depois de nos encontrarmos nos Hiper, hoje nos encontramos no ônibus (o maravilhoso Rio Doce/CDU; adorei ver o teu sorriso em meio ao seu novo penteado,me deixou sorrindo o resto do dia...kkkkkkkk

saudades, já

beijos

a.h.

sergio disse...

Então Paula...acho que vc pegou minha doença pois, adoro andar a pé e de ônibus para assim, refletir a vida e o cotidiano, nao existe coisa melhor.. parabens... andar de onibus nao eh sinal de pobreza e sim de enriquecimento da alma... abra bj e tudo de bom paulinha

bruxinha disse...

Que interessante isso paula, lindo, parabens, bj magico para ti

Layla Lauar disse...

Belíssismo texto, gostei muito!

mas, só andei de ônibus uma única vez na vida, nem para viajar uso ônibus, ainda o consegui identificar o porquê da minha fobia desse meio de locomoção.

Porém, por força da profissão até, também costumo ficar observando as pessoas, sempre que me encontro em algum engarramento de trânsito, fico olhando para os motoristas que estão próximos e imagionando as histórias que cada rosto esconde ou mostra...

parabéns pelo post!

beijos todos e + um

Pedro Ivo disse...

Nossa Paulinha, nem sei por onde começar. Vou tentar pelo início..rss...
Primeiramente, deixa eu agradecer a sua última visita em meu blog e seu último comentário, que me deixou extremamente feliz. Obrigado!!!!!!!
Andar de ônibus é realmente uma terapia e cada nova andada é um experiência diferente, eu gosto muito. Mais também vou gostar muito de andar de carro, com o ar ligado a única diferença é que eu vou ouvir a música!!

Rsss...

Beijos.

adam brown disse...

Hi again, see tthis is the site i told you i signed up to. It has some nice information about how to make money using OPP, i think you might find it interesting. here it is. bye!

Chuvinha disse...

Quando nos misturamos às pessoas seja em coletivos ou filas ou calçadões cheios, shoppings, etc, reparamos no grande espelho que existe no universo. Somos diferentes em crenças, cores, sexo, mas somos iguais em sonhos e anseios.

Nandinha... disse...

Confesso que tenho medo de olhar para o coletivo dessa forma, tenho medo de não me encontrar ou de me achar cheia de graças demais mediante a tanta felicidade por tão pouco...

Bandys disse...

Olhar ao redor, seja de que maneira for, me faz enxergar o outro. Poder dar valor as coisas que eu tenho e que muita vezes passa despercebido.
Parabéns,lindo post.
Beijos

Betho Sides disse...

É barra sim...abç e beijos

Milady disse...

Paula, pois saibas que é muito gente, querida... quantas pessoas ficam presas dentro de seus carros com ar condicionado e não estão nem aí para um fio de cabelo do resto do mundo. Não querem saber sequer se uma pessoa que atravessa a rua na sua frente conseguiu atravessar sã e salva, e simplesmente avança na pista um milésimo de segundo depois que o sinal abriu? e ainda é capaz de buzinar reclamando que está atrapalhando o seu caminho...
Eu gosto de vez por outra descer um pouco do ritmo da vida e passear entre as pessoas, olhar em seus olhos, observar suas feições, sorrir e dar um bom dia, observar o espanto que algumas me olham... É bom lembrar de vez em quando que nós também somos gente...
beijos

Anônimo disse...

QUERIDA MUITO BOM ESSE COMENTÁRIO DO ÔNIBUS ,DA SOLIDÃO DAS PESSOAS,QDO VOU PARA O TRABALHO E VEJO AQUELAS PESSOAS NAS PARADAS FICO DIZENDO PARA MIM MESMO QUE DEUS AS ACOMPANHE A SEUS DESTINOS.PARABÉNS QUERIDA UM BJ SUZI SAUDADES!!!!!!