domingo, 20 de julho de 2008

Filha, 17 anos, viajou com o colégio para Porto Seguro, uma semana. Ufa! Enfim só. A tal liberdade. Sem ninguém para me cobrar nada. Mãe! Já ligou o computador. Mãe! Já está no blog. Mãe vai dormir cedo, olha a hora. Mãe! A água acabou. Mãe! Não vai fazer feira? Mãe! Estais onde? Nem avisa. Mãe, já vai dançar de novo? Mãe, mãe, mãe, mãe.................Menina me deixa em paz. Quem é a mãe eu ou tu? ....Nossa! você enche o saco. Ah! Quero a minha filha. Já estou com saudades. Vou ficar uma semana sem aquele sorriso lindo me esperando. Mãe! Como foi seu dia? Sem aquela bochecha para eu beijar. Mãe, e o trabalho foi bom? Sem aqueles lábios cheios de carinho para me beijarem. Foi mais trabalho ou mais blog? Sem os abraços. Mãe, tá lembrada que tenho aula hoje? Mãe, vou almoçar em casa ou na casa de voinha? Um beijo, te amo. Mãe, trouxe o quê para mim? Sem aqueles olhinhos pretos para me observarem. Mãe, você tá séria, algum problema? Sem aquelas perguntas de interesse pelo meu bem estar. Mãe, e fulano mandou algum e-mail? Sem a preocupação de uma filha bem madura e centrada. Mãe, nunca mais tu saiu para dançar. Tá muito no blog. Vai dançar. Mãe, já tá chorando de novo, o que foi agora que tu leu nos blogs? Mãe, estais bem? É sempre assim, queremos a tal liberdade, achamos um saco, perguntas, cobranças, horários, compromissos, ter que fazer algo quando queríamos fazer outro, mas.........sentimos falta de alguém que nos ama, que se preocupa com a gente, que nos olha diferente, e que só quer nosso bem. Mas só notamos isso na ausência. Tem algumas ausências que não vão mas se tornarem presenças. Então vamos aproveitar........Quero ouvir logo, logo - Mãe já está no blog? Saudades, saudades.

20 comentários:

álisson da hora disse...

quem é a mãe? ela ou você?

Eduardo P.L. disse...

Pergunta boa a do Álisson!
Como é domingo ninguém fala sério! rsrsr!

Mas a vida é assim mesmo, as coisas que mais nos incomodam nos filhos, são aquelas que mais faltam sentimos, quando das suas ausências! A isso se da o nome de amor de mãe! Ou de pai! Só filho não tem. Terão com os filhos deles, e assim caminha a humanidade!

Prazer em saber que somos do mesmo signo. Isso é bom. É o melhor do horóscopo!

Bjs e boa semana!

Beatriz disse...

Adorei as fotos da postagem anterior (bem como o texto), estão belíssimas! Duas me trouxeram momentos de ternura: aquela do vento batendo nas palmeiras, e as fotos das crianças. Que coisa mais doce, mais linda! Grata pela partilha, amiga!

Quanto à saudade da tua filha, que n'lguns momentos parece ser tua mãe (rs), confesso amiga, fiquei enternecida com tanto carinho de ambas as partes. Minha filhota vai fazer 7 anos e, acredite, já me faz 'recriminações' e 'cobranças' como se adulta fosse. E devo dizer que, muitas vezes, acato o que ela me diz, pois em muitos momentos me sinto a 'filhinha' e ela a mãe preocupada. Também está viajando, aproveitando as férias com os avós, e assim como tu, sinto saudade de TUDO, até das 'bronquinhas' que levo de vez em quando (rs).

Enfim, amiga, como dizia minha avó, mãe é sempre mãe, só muda o endereço (rs).

Estou deixando flores e estrelas tecendo sorrisos na tua semana, um beijo no coração, e o desejo de que a saudade logo se dilua num longo e gostoso abraço da sua filhota.

Paulo R Diesel disse...

Também tenho uma filha, um pouco mais velha, prestes a viajar para EUA, já tô me remoendo por dentro.

Bj. Paula - sei como é...

Polêmica disse...

eu sei bem como é isso...eu reclamava e brigava pra caramba com a minha irmã...agora ela casou, mora em outra casa e eu morro de saudade!

Beijos!

Layla Lauar disse...

Vixe! como te entendo... morro de saudades da minha Laura, quando ela está como pai ou longe de mim, por qualquer outro motivo...

Mas o bom é que voltam sempre!

Um beijo, uma linda semana, apesar da saudade que sente.

Pipinha disse...

Olá querida Paula, obrigada pela sua visita e miminho que me deixou no meu cantinho. Gostei muito! Quem é amigo/a do Pena só pode ser pessoa de bem, porque ele é muito especial.
Vou voltar logo para ler o seu blog com mais calma. Gostei muito das fotos. Já visitei o Rio de Janeiro 3 vezes e adorei! Convido-a a visitar o meu outro blog, O Diário das Minhas Viagens,pode lá encontrar o relato de uma dessas vezes que lá fui e outras viagens que fiz.
Um dia muito bom com muito carinho, paz e alegria no coração.
Obrigada e até breve.
Beijinhos carinhosos e abraço meiguinho

Jardineiro de Plantão disse...

Uma agradabilíssima surpresa a visita ao seu Blog, extremamente bem feito e com lindo enquadramento. Temos prazeres em comum... alegria no viver e a fotografia, por cá me há-de ver mais vezes.

Gostei de ver os seus comentários no meu Jardim, volte sempre que entenda, estou sempre disponível para a receber por lá e espero que à saída leve sempre um belo sorriso.

Não deixei de reparar que este seu Blog tem um caminho até ao meu Jardim, assim abri um carreiro para "Pensamentos, Devaneios e Fotos" no canteiro dos amigos.

Receba abraços a partir deste jardim em terras Lusas, mas com muita da luxuriante e linda vegetação Brasileira.

Jardineiro de Plantão

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Preocpa não, minha amiga, acho que fomos feitas na mesma forma e que Deus não a jogou fora...
A ausência dos filhos é, como diz uma amiga, uma "melda"...
Mas vai dançar, vai!
beijo e luz

Ricardo Rayol disse...

eu ainda nao entrei nessa fase

Everson disse...

Ser mãe é essa eterna poesia, querer e não querer, dar bronca, receber, sorriso, choro, e o mais engraçado da liberdade, não sei se acontece assim contigo, ou pensa assim, a gente vive reclamando dela, correndo pra ela, busacando, e quando consegue a gente fica meio perdido, e agora, oque fazer com ela? se tem uma pessoa, seja o que for, nos cobrando alguma coisa, isso nos irrita, quando nao temos ninguem, sentimos falta, eu chego a paranoia de colocar o telefone no ouvido, so pra ouvir o tuuuuuuuuuu, pra ver se ta funcionado, quando toca demais a gente se irrita...rs...acho que até a libertade tem que ser medida....beijos querida e uma linda semana..

Pena disse...

Simpática Amiga:
Admiro o valor imenso que dá à sua maravilhosa amiga.
Fantástico!
Foi lindo quando escreveu repleta de ternura:
"Tenho saudades da minha filha".
Incrível de beleza e pureza do seu sentir.
Parabéns pela doce pessoa que é.
Bj amigos que a respeitam e estimam.
Com admiração e encanto

pena

Pena disse...

DESCULPE!
Ode se lê "Maravilhosa Amiga" queria dizer "maravilhosa filha".
DESCULPE!
Beijinhos amigos

pena

Desculpe o lapso.

Valéria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vilminha disse...

minha querida sei bem o que é saudade, morro de saudade de ti que vi um dia só, mas que esta presente na minha vida parece que desde sempre e imagine a Lari que sempre foi sua. Também sei bem o que é filha longe a minha mais velha uma vez saiu de casa, morri por um ano até ela voltar, agora dou Graças a Deus por ela já ter voltado e esta tudo bem, e até ganhei mais uma filha e um neto e amo a casa cheia e a casa dos seteloukos agora tem noveloukos. Todos doidos de pedra. Beijos e uma ótima semana. Obs: se puder me responde o e-mail.

Dois Rios disse...

Oi Paula,
Mães e filhos são todos iguais. Comigo acontece a mesma coisa. A marcação é tão cerrada que eu brinco de chamar a minha filha de "minha marida", rsrs...
Achava que quando ela fosse trabalhar, enfim encontraria a paz!. Pois bem, o dia chegou e eu chorei três dias e três noites com saudades dos policiametos amorosos que eu já não usufruia durante o dia.
De fato temos mais é que aproveitar a "overdose" de amor que essas nossas meninas nos dão. Seja de que forma for.
Um beijo carinhoso,

p.s. Grata pela visita aos meus rios.

Dr. Fácil disse...

Que bonito. Viver sem esse amor não dá. É bom demais, até a saudade faz bem... hehehe. Beijos Paula!

Nanda Assis. disse...

ha que gracinha!! é tão bom ter filhos né? tenho 3 e acho maravilhosos. manda um bjo pra ela.
bjosss...

Zek disse...

Eu vivo oscilando estre " querer liberdade" e " sentir saudade".

Vai entender o bicho homem...

In pressões disse...

Nossa, concordo tanto com vc... Sem os filhos, a liberdade fica como nossa casa: vazia! E como disse Vinícius, se não os temos, como sabê-los? :-)