sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

série: entrelace de lembranças




Não gosto de acordar, adoro dormir. Mas os olhos se abrem. Tenho preguiça de levantar. Então penso naquelas histórias que me fazem acordar. Pulo da cama. Entro em contato com as histórias, acordo as minhas que ainda dormem. Faço fabulações do meu sentir. O sol arde lá fora. Estou livre de mim, fui liberta ao escrever. Mas só porque li, aquelas histórias. O mundo me chama, olho mais uma vez pela janela, o céu brilha um mar. O sol me conta histórias de vida. Depois de ser acordada por dentro, sigo para o mundo. Lá fora tem mais histórias. Volto para dormir, e ao acordar, misturo tudo de novo, as minhas histórias, aquelas, e então crio novas histórias. Confabulações do sentir.







14 comentários:

Paulo Francisco disse...

Preciso pensar assim. Mas antes tenho que dormir.
Um beijo

Paulo Francisco disse...

Ok, entrei aqui para ler o outro texto, mas acho que você o retirou. Aproveito para dizer-te que adoraria, mas a insônia não deixa e por outro lado a duração e no máximo, explodindo seis horas, isto no final de semana.
Um outro beijo

myra disse...

continua criando e criando, minha queridisssima Paula, amo!
beijos

Lalique disse...

hola
from Turkey
bom dia
http://laracroft3.skynetblogs.be http://lunatic.skynetblogs.be

Ilaine disse...

Muitas vezes, Paula, eu também penso nas histórias... e elas e fazem acordar. Liberte-se cada vez mais: amamos a sua escrita.

Beijo

Maria Dias disse...

Escrever liberta...E tudo pode virar uma história...uma janela ou uma porta aberta para outras paisagens diferentes das paisagens q estamos acostumados, pode dar um conto,uma poesia, um texto poético,uma crônica...O mundo lá fora tem a vida q chama e cada vida tem sua história.
Uma frase ouvida,uma flor olhada,uma lua q se admira, pode virar inspiração para que se crie vida no papel ou na tela do computado. Vc faz isso muito bem.

Beijinhos

Maria

Everson Russo disse...

Interessante que ocorre comigo ao contrário, muitas vezes eu quero dormir, quero desligar do mundo, de tudo que acontece e me faz escrever,,,e dá tudo errado,,,o off não vem...e as histórias nunca acabam...beijos de bom sábado.

Solange Maia disse...

Paula...

gosto dessas histórias que nos convidam, das que reverberam, das que dançam no éter, bem ao nosso entorno... gosto dessa mistura que leva o sono embora também...

você escreve lindamente...

beijo enorme e obrigada pelo carinho de sempre....

beijo, beijo, beijo !

Mariangela disse...

São nas nuances da vida que vem as inspirações!
Lindo...beijo!

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Dormir é muito bom, ando precisando, mas quando a vida chama lá fora, não hesito. Gostei do seu ir e vir, de suas alternâncias. Parabéns. Beijos

poetaeusou . . . disse...

*
fabuloso o teu acordar,
preguiça utópica
para quem imagina,
no teu mar rumam quimeras
para o cais do ilusório,
esperas,
das histórias por contar !
,
adorei,
,
conchinhas solares,
desta praia de luz e cor,
deixo-te,
*

EDER RIBEIRO disse...

Lendo essa sua crônica deliciosa fui transportado para a minha adolescência, qdo ao dormir, eu pedia a Deus que me desse sabedoria para escrever. Bjos.

O Sibarita disse...

Ô agora tem preguiça? Ai meu Deus do céu, lá ela virou baiana! kkk

Mas, o importante mesmo que fora a preguiça, a inspiração chega para bons textos, isso é o que conta! kkk


O Sibarita

:.tossan® disse...

Você precisa voar amiga Paula, voar, misturar histórias, imagens e mixar as ideias e que se dane o sono.
Adorei a foto e o texto. Beijo