quinta-feira, 31 de maio de 2012

Mudança de tempo




Um dia acordou 
Sentiu-se pintada de sol e chuva
Metade alegre, metade triste
O dia tagarelava em seus ouvidos
Anoitecia
Era metade sol e metade lua


No outro dia acordou
Toda alegre e toda triste
Não entendia esses fenômenos da natureza dentro do peito
Duas em uma
Estava sol e se sentia nublada
Sujeita a pancada de chuvas a qualquer momento
Trovoadas dentro do peito
Relampejava pensamentos
Os pássaros cantavam

6 comentários:

brisonmattos disse...

maneira poética perfeita pra expressar o que tb sinto.

Ana Luísa disse...

Ai, Paula. Lá vem você me embriagar com tantas verdades.. porque é tão real e esquisito, mas meio poético, acordar toda alegre e triste ao mesmo tempo.. estar sol e se sentir chuva..
Beijos!

Mik disse...

Pulsações eternas e nada constantes... sopros pulsantes!
Lindo, mto lindo!

mfc disse...

Um poema melodioso e lindo!!

O Sibarita disse...

Ô mãe! kkkk (Ô Fia) Há dias que são assim, é a reflexão do momento, dos dias, dos tempos novos e velhos, né não? kkkkkkkkk

Porreta!

O Sibarita

Dona Sra. Urtigão disse...

Menina, estou adorando tudo aqui. Mais até do que gostava antes de ter me tornado um tanto ausente. Vou seguir, recuperando o tempo perdido.