domingo, 2 de dezembro de 2007





Muita energia
Vibrava, falava, mexia
Foi sacudindo a poeira
Tirando da gaveta os farrapos de gente
Jogando fora as peças usadas, sem serventia
Abriu novos espaços
Para uma nova vida
Espaços estão sendo preenchidos
Nova pessoa em formação
Como não gostar
Da nova pessoa
E da pessoa que partiu
Mesmo partindo
Deixou a energia boa
Transformou o velho no novo
 Fez uma nova pessoa





3 comentários:

Marco Antônio disse...

Ainda se lembrará de mim minha prima poetisa?
- Certamente que sim.
Mas que imagem guardará hoje em suas lembranças; um hoje que traz a presença de outrora impressa na distância que é o rastro de um tempo ido?
Percebo que a imagem daquela menininha simpaticamente rechonchuda, que saçaricava pra lá e pra cá, revela-se agora pela tessitura de belas palavras que tão acertadamente desenham a magia renovadora do tempo apreendida no instante mesmo do eterno vir-a-ser.
Continue!
Bjs.,
Marco Antônio.

Edson Marques disse...

Paula, adorei as fotos!




Quero agora te fazer um convite especial:

Leia o texto "Porque te amo só posso dizer-te adeus".

Tem link no post de hoje.


Abraços, flores, estrelas..

paula barros disse...

Eita! Que saudade.
Claro que lembro do primo mais lindo. Que fazia parte do imaginário das primas.
Parece q. tenho um primo poeta...
Fantástico o comentário, emocionante. Entra em contato pelo e-mail.
Beijos, saudades. Adorei o reencontro.