segunda-feira, 21 de abril de 2008







O caminho é longo 
Às vezes prazeroso 
Às vezes não 
Tem lindas paisagens 
Com perfumes, flores, brilho
Muitas vezes pântanos 
Areia movediça 
É o caminho 
Tenho medo de me perder
 Mas sigo
 É um caminho sem volta 
Não quero voltar 
Não quero parar 
Só quero seguir 
Estou compreendendo 
Que preciso ir devagar 
Diminuir o ritmo 
Ter paciência comigo 
Pegar fôlego 
Olhar para trás e sorrir 
Olhar para frente e desejar chegar
 Olhar para o presente e viver 
Sentir 
Preciso ir 
É o caminho

10 comentários:

Edson Marques disse...

Ter paciência contigo mesma... isso é muito bom!

Compreender quando é preciso sentar à sombra e quando é preciso saltar profundo!

Adorei teu poema!

Abraços, flores, estrelas..

Pedro disse...

É isso aí. É preciso seguir o caminho.

MONICAVOX disse...

querida amiga paula, siga,prá frente,enfrente e ande....mesmo com as tais areias movediças,os buracos do caminho,avance....

Pode ser que vc caia...mas levante-se....
Antes andar,caminhar e avançar, do que ficar para trás...não viver,perder.

muitos beijos,estou feliz por voce!!
Tenha um ótimo dia!!
walk on forever,monicavox

Chuvinha disse...

Solte as correntes e não olhe para trás...

Ricardo Rayol disse...

somente acontecimentos hecatombicos me fazem reduzir o ritmo.

sergio disse...

Vc refletiu muito bem, temos que ter a serenidade e o discernimento daquilo que pretendemos. Abraço e bj paulinha

Bandys disse...

Paula,
É igual a música precisa ter pausa. Mas ela continua...
Lindo!!
Beijos

Anônimo disse...

QUERIDA LINDO POEMA ,UMA VERDADE TEMOS QUE PROSSEGUIR MESMO COM AS AREIAS MOVEDIÇAS.UM BJ SUZI PARABÉNS.

Alisson disse...

e sem olhar para trás...

Roberto Mauro disse...

Oi Paula amiga. è bom,é legal ler tuas coisas. Gosto de ver e tentar entender tudo o que voce escreve. E entendo, pode ter certeza. Só te falta soltar a corrente que parece te prender, voce tem a chave.