domingo, 2 de novembro de 2008

Era dia
Quando nos vimos
Manhã ensolarada para um
Frio e chuva para o outro
Distâncias nos separavam
Águas e solidões....amores perdidos
Escuridão do subterrâneo de cada um
Nos nossos olhos luzes
Vontades e sorrisos
Por um instante que se prolongava
A fome de comida era esquecida
 A fome de corpo nos consumia
Sorriamos, e no sorriso nos escondíamos
 Mão no queixo te observava
Em teus olhos mergulhava
As tuas mãos me conduziam e me puxavam
O medo me tomava
Covardemente fugia
Do meu corpo que te queria
Sorrisos e lágrimas se confundiam
No desejo da carne que ardia

27 comentários:

Vivian disse...

...que lindaaaaaaaaaaaaaaa!

pude imaginar a emoção deste encontro.

felizes os que podem usufruir
deste amor,
não importa de que maneira
ele se dê...

...quanto a atualizar,
estou esperando 1000 comts...rss

brincadeirinha, linda.

sem idéia os façam pensar,
não atualizo...rssss

muahhhhhhhhhhhhhhhh

Jéssica V. Amâncio disse...

booommmm. corpo lutando contra o desejoooooo do coração..heheheheheh
beijos

Léo Mandoki, Jr. disse...

oie!!
fiquei lendo o seu post anterior...infelizmente já estou tempo demais afastado do Brasil e não conheço esses jornalistas. Mas eu adoro jornalismo, sou viciado nisso. Colaboro em jornais aqui em Portugal, mas só na área d Economia. O jornalismo hj precisa de ser repensado:
- qual o jornalismo no mundo da informação rápida e proliferada da internet?
- qual o papel do jornalista? onde começa a sua auto-censura? O que é notícia? Existe um imprensa regional?

enfim....passaríamos horas conversando sobre jornalismo...
beijoss

Ultra Violet disse...

A distância é realmente difícil!

Obrigada pela sua visita ao meu blog. Quanto ao seu comentário, a língua japonesa eu considero difícil para os ocidentais, tanto pela forma escrita (são 3 alfabetos) e a gramática. Mas, é interessante, quem quiser aprender deve ter paciência e dedicação.

Bjs.

Tiago disse...

O amor e suas "águas de emoção" estão bem presente nas nossas maneiras de ver a vida ein?

Que bom!

Um beijo

Cadinho RoCo disse...

Quando arde o desejo da carne é preciso encontrar a água do alívio em forma de cascata imnpulsionada pelo prazer.
Cadinho RoCo

Glayce disse...

Passando para desejar um ótimo domingão, cheio de amor!!!

P*S Vc viu o selo "gay" (como disse um amigo) rs que lhe ofereci?

enfim

beijos

Menina do Rio disse...

A eterna contradição das paixões!

Um beijinho pra ti

Everson e Izi disse...

Muitas vezes o coração manda na gente, a alma se manifesta, ficamos entorpecidos de amor, procurando a paz necessaria pra vive lo e já pensando na possibilidade de perde lo, mas quando é o corpo, quando é o desejo que nos conduz, dai, ficamos loucos alucinados, mais perdidos ainda, procurando a cada prazer o melhor a nossa existencia, o pior é o vazio que isso tudo nos leva depois, resumindo tudo, somos é humanos e temos o direito a tudo, mesmo já sabendo do fim inevitavel...rs...muito louco isso, muito intensa sua poesia...beijos e um lindo domingo cheio de prazer amor e extase....

Paulo R Diesel disse...

Um dia, um dia as partes se integrarão e se entregarão.

Beijo Paula

caurosa disse...

Minha querida Paula Barros, a paixão, o desejo, o amor...não sei bem, constantemente nos faz recuar da relação intensa, forte, carnal. Como escreveu Drummond, são "As contradições do corpo." Paz e harmonia para você.

PS: Este poema está em meu blog.

Forte abraço.

CAUROSA - caurosa.wordpress.com

Bandys disse...

Paula,
As tuas mãos me conduziam e me puxavam
O medo me tomava
Covardemente fugia
Do meu corpo que te queria
Sorrisos e lágrimas se confundiam
No desejo da carne que ardia

Colocar sentimentos em poesia, so poetisas como vc sabe fazer,
belo
beijos

Recanto de Sonhos disse...

Que ardente paixão!!!
Beijos,Paula.Uma tarde de domingo ensolarada para você.

Eärwen Tulcakelumë disse...

A paixão retratade de uma bela forma! Gostei imenso.
Agradeço o carinho com o meu mundo.

Pérolas incandescentes de inspiração e luz.

Eärwen

Eärwen Tulcakelumë disse...

A paixão retratade de uma bela forma! Gostei imenso.
Agradeço o carinho com o meu mundo.

Pérolas incandescentes de inspiração e luz.

Eärwen

Pedro disse...

Não vale a pena fugir.

Cacau disse...

Lindo texto

Por mais que o medo exista, deixe o coração guiar, não fuja.

Beijos e ótimo finzinho de domingo

tossan disse...

Que bonito Paula é o desejo se manifestando, não fuja. Bj

TRÍPTICO(POEMAS)FERNANDA disse...

Olá querida Paulinha, belíssimo poema... Simplesmente S U B L I M E
Muitos beijinhos de carinho, Fernandinha

Vanna disse...

É sempre bom poder nos deixar levar.
bjs, linda semana.

Sol da meia noite disse...

Não se consegue fugir do que se sente, do que se quer...
Mesmo que o façamos, tudo levamos em nós...

Amiga, um beijinho *

edson marques disse...

Paula,



Jamais fugir de um corpo ardente.


Nem do outro, nem do próprio!


Abraços, flores, estrelas..

NOCTURNO disse...

Negar o que se deseja talvez não seja a melhor opção, no entanto, arriscar pode abrir feridas que nem o tempo faz esquecer.

As distâncias físicas impedem que os corpos se toquem, viver de palavras pode não ser suficiente para alimentar o amor.

Beijo nocturno

Vivian disse...

...olá lindeza!

deixo aqui um presentinho
em forma de meditação
para que você comece
a semana em paz.

"Eu sou luz resplandecente,
luz radiante, luz intensificada.

Deus consome a minha escuridão
transmutando-a em luz.

Hoje EU SOU um foco de Sol Central.

Através de mim corre um rio
de cristal, uma fonte vivente
de luz que nunca pode ser corrompida por pensamentos
e sentimentos humanos.

EU SOU um posto avançado
do Divino.
A escuridão que se serviu
de mim é consumida pelo
poderoso rio de luz que
EU SOU!

EU SOU, EU SOU, EU SOU luz.

Eu vivo, eu vivo, eu vivo na luz.

EU SOU a mais completa
dimensão da luz.

EU SOU a mais pura intenção
da luz.

EU SOU luz, luz, luz iluminando
o mundo onde quer que eu vá,
abençoando, fortalecendo
e anunciando o propósito
do Reino dos Céus!

'Meditação Reikiana'

Namastê!!!

Vilminha disse...

Paula, melhor se arrepender de ter cedido do que se arrepender de nunca ter se dado o direito de ter cedido. O corpo sempre nos cobra. Beijos e uma ótima semana.

Pavón disse...

Já vivi um amor cuja distancia era um oceano inteiro, e a proximidade revelou uma loucura, desejo e paixão urgentes e unicas... não sei quem fugiu, só sei que aos poucos o oceano dá um jeito de esfriar o arder da carne. Só nao sei se consegue fazer o mesmo com o coração....
Lembranças, apenas lembranças...

Beijos

Gerlane disse...

Maravilha, Paula! Perfeita expressão de intensidade de emoções, do desejo ao conflito, os receios tipicamente humanos em um expressivo poema.

* Beijos pra ti!