quinta-feira, 6 de agosto de 2009

As horas vão passando. Focamos muitas vezes nossa atenção em fatos aparentemente sem significados, mas que nos prendem a emoção. Talvez por isso ficamos presos, e vimos e voltamos e nos repetimos.As horas passam. Um dia não seremos mais os mesmos, e o que nos prendia a atenção já não nos prende. E nós podemos ir sem voltar. Ou mesmo voltando, voltamos mais libertos da emoção que nos prendia.As horas vão passando. Dias, meses, anos também vão passando. E nós? Passamos por horas, dias e anos e nem sempre nos desprendemos da emoção que nos prendia.Sei lá, é tão confuso, as amarras da emoção, nos ligando no tempo.
Sou sol, sou neblina
Sou estrela, sou lágrimas
Sou palavras não escritas
Sou também as escritas
Sou a bucha do canhão, sou rosa
Sou espinho, sou perfume
Sou caminhos, sou passos
Sou busca e desencontro
Sou espera e encontro
Sou idas e vindas
Sou braços cruzados, coração ferido
Sou mão estendida, sou abraços
Sou pedaços, sou inteira
Ainda não sei tudo que sou
Nem tudo que posso
Sou humana, sou pedra, sou emoção.



 

19 comentários:

Tatiana disse...

Eu sei Paula... somos um turbilhão de emoções!

Nós aqui nesse mundo virtual (tão real) vamos criando laços e algumas pessoas vão ficando mais fortes em nosso coração.

Esse período de reflexão é grandioso... já fiz algumas paradas para colocar as emoçoes em ordem, mas confesso que elas sempre acabam me pegando de surpresa.rsrs

Ler as suas palavras aqui é a prova viva de que não somos apenas palavras, somos alguém em busca de pessoas que nos acolha e cative!

Você me cativou e por isso eu senti a sua falta!

Um beijo carinhoso

(Carlos Soares) disse...

Nem precisava explicar. Tenho certeza que seus amigos( eu sou um amigo novinho ainda) sabem que por algum motivo você nâopôde visitá-los. Aproveitando, que belo poema. Beijose volte logo

Vivian disse...

...é da natureza humana,
o sentir e deixar-se sentir.
e neste mundo de blogs,
não seria diferente, quando
sabemos que por aqui,
podemos colher o que é
de melhor nas essências
das pessoas.
somos palavras escritas.
somos portanto o que nos
vai no interior do ser.
em pouquíssimas vezes
podemos usar do artifício
"plástica", para seduzir
quem tem tino apurado para
descobrir a verdadeira beleza
do espírito, este sim que
nos cativa e prende,
quando percebemos, sentimos
o calor das afinidades.

quando isso se torna impossível,
automaticamente e muitas vezes
sutilmente, batemos em retirada,
o que é normal.

aqui não dá pra deixar de vir.
só se você me barrar...rss

smacksssssssss, amore!

Daniel Hiver disse...

Então o meu é um desses blogs em que você mergulha de vez em quando? Fiz isso ainda a pouco quando li o teu post. Também parei para refletir e o que você disse é verdade. Somos nós o que somos simplesmente. E assim, desse jeito, sempre seremos muitas coisas. Às vezes confusão, às vezes absoluta calmaria.
Fiquei curioso para ver essa foto da folha de plátano que tirou em sua viagem a Gramado. Pode me mostrar? De repente se não se importar posso usar no contexto do meu blog.

Daniel Savio disse...

Sempre há momentos que definimos outras prioridades que não sejam os nossos blogs, então curta o momento para viver a tua vida real...

Fique com Deus, menina Paula.
Um abraço.

Luiz Caio disse...

Oi Paula!

Que interessante!...
Você e eu sempre com os pensamentos em pararelo!
Eu acho que os nossos sentimentos não se renovam muito, e os nossos dizeres! Então já dizemos tudo, e continuamos sentindo, e dizendo, e nos repetindo! Porquê os sentimentos não mudam da noite para o dia... Levam um tempo!
Tempo este que necessitamos. Por isso nos vamos, e voltamos, num confuso vai e vem... Porquê as emoções se renovam, mas levam um tempo!

ENTÃO, COMO VOCÊ JÁ SABE, ESTOU SAINDO DE FÉRIAS AQUI DA BLOGOSFERA! MAS PRETENDO RETORNAR EM BREVE, E TE ENCONTRAR AQUI! POIS LHE QUERO MUITO BEM, E SENTIREI SUA FALTA!
ENTÃO É ISSO!... FICA COM DEUS!

ATÉ BREVE MINHA AMIGA!

BEIJO.

Mai disse...

Paula,

Eu imagino que todos compreendam o contexto de sua pausa. A questão é que existem pessoas que marcam ou porque são delicadas ou porque atenciosas ou simplesmente porque nos sentimos bem e acho que você tem isto tudo e mais, sabe?
Você quando lê vai fundo e mergulha em apnéia e vai lá abaixo da linha normal...
Ai sentimos a presença e neste lugar a ausência. Isto mesmo porque quem marca jamais se ausenta e estásempre presente porque lembramos initerruptamente...
Acho que é isto queremos ler o que tu pensaste e sempre pensas...
(risos...) Como pensas e, no tanto que pensas te expoes e desnudas em palavras.

Meu abraço e admiração.
caramba! Que comentário poético este do Dauri.
Saudades...

Blue disse...

Te entendo e compreendo. Mas sei que tua tarefa será ardua...
Por outro lado, ficar sem PC nos dá esta chance de voltar ao tempo de .... ler livros, revistas.... em papel. Mundo virtual...... acaba ao alcance do dedo, é apertar e zip... desligou.
Sei, tire o tempo pra refletir e se o Andando e divagando. dançar... dançou....., mas tenho teu endereço!!!!!!

Beijos

Paulo Ka disse...

Oi Paula, boa noite!
Antes de tudo parabéns pelo blog.
Deixei pra você um “presentinho” lá no meu blog.

Beijos

Paulo Ka

Nanda Assis disse...

Achei muito legal vc esta se redescobrindo. Eu ja fiz isso várias vezes. As vezes as coisas enjoam, cansam, e outras nos causam tristeza, mas por algum motivo n conseguimos deixar de lado. Então ve direito quem ainda vale a pena, e aproveita esta viagem maravilhosa que vc fez pra dar uma virada na vida. torço por ti garota.

bjosss...

Mundo dos bruxos disse...

lindo Paula, devemos deletar sim, td q nao serve mais, o q incomoda e nos reiventarmos, pois a vida é linda,sempre nos convida pra viver...mas as amarras nos impedem, lindo demais seu post!!abço eu tb leio muito,adoro ler,mas ando meio sem tempo,a musica tb,ta meio de lado...uma pena , pq estou esquecendo as melodias, nao podemos deixar de fazer o q gostamos só por conta do computador q é maravilhosamente viciante....continue se emocionando sim, mas com o q lhe faz bem!!!bj

SUSA CABRAL disse...

QUERIDA PAULA,MAGNIFICO POEMA,SENTIMENTOS SUBLIMES...
BEIJINHOS SOU A SUSY A FILHA DA FERNANDINHA.

ju disse...

Tudo que tenho feito na net ultimamente é, para não deixar meus blogues ao abandono, contar com a ajuda do meu sobrinho para atualizá-los uma vez por semana ou de quinze em quinze dias.

Tenho consciência que blogar é uma via de mão dupla. Mas, quando o tempo fica apertado... fazer o quê?

O jeito é relaxar. Aproveitar o que está bom e lembrar que o que está ruim, em algum momento, vai melhorar. O mar pode crescer ou não... Dizem os pescadores que quem sabe do mar é a lua. A vida também é um mar... alisa ou encrespa de acordo com as nossas fases...

Hoje sobrou-me um tempinho e estou correndo para tentar visitar alguns amigos. Depois de hoje... só Deus sabe quando...

Adorei o seu poema que expõe a anatomia de um eu que, ao dividir-se,(em outros eus),revela-se inteiro...

Um beijo, Paula, e inté!

Eduardo Miguel Pardo disse...

Momentos tão importantes quanto fundamentais...
Meus desejos são de que sempre nostenha e também faça compania, fundamental termos ao nosso lado pessoas que façam de fato à diferença para mais e melhor.
Continue, obrigado pelas possibilidades, compania e carinho
Beijos grande e respeito em edmiração.

Everson Russo disse...

Bom,primeiramente espero que na delete list não conste o Livro dos Dias, senão eu ficarei perdido, mas enfim, entendo o que disse, tá num periodo de refelxão, de transição, eu particularmente não consigo me ver hoje sem computador mais, antes nem ligava e nem entendia, hoje, não diria ser um viciado, mas faz parte da vida, entendo o seu outro lado, mas no meu caso que sou meio paranoico com tecnologia, eu escreveria no blog lendo um livro e conversando com a filha, daria certissimo..rs..rs..rs...e por favor,não me venha querer sair do blog mundo, tenho até medo disso, os bons amigos começam com esses pequenos conflitos e depois somem, faço como voce quando entro num blog, leio, releio, sinto, entendo, não entendo nada, faço minhas ideias, vivo meu mundo e minha bolha, adoro quando visitam o Livro tambem e fazem o mesmo, é a gente se sentir no sentimento das pessoas, se ver no mundo delas com a nossa visão e vice versa, gosto de comentar, sinto falta quando alguem some, voce por exemplo, mesmo quando visito varias vezes uma pessoa querida e não tem atualização, ao menos um alo eu deixo, não por mim, mas pra que essa pessoa perceba o quanto é importante, e assim vamos levando a vida, momentos bons e ruins todos nós temos, eu por exemplo to n um ruim pra variar, mas acho que vai passar, sempre passa, beijos e um lindo final de semana pra ti.

Sandra disse...

Olha amiga!
Quanta reflexão neste texto..
Venha buscar seu selo no endereço abaixo. Mas não se esqueça de passar pelo o Curiosa. Tem um tema bem legal.
Um grande beijo.
http://sandrarandrade7.blogspot.com/
Sandra

Bandys disse...

Paula,

Não apresses tua alegria,
ela tem seu tempo para
aprender com a tua tristeza;

Não apresses teu silêncio,
ele tem seu tempo de paz após
o barulho cessar;

Não apresses teu amor
ele tem seu tempo de semear mesmo
nos solos mais áridos do teu coração;

Não apresses tuas escolhas, muitas vezes fazemos escolhas erradas e o tempo não perdooa!

Beijos

Zek disse...

Eu te compreendo Paulinha.. digamos que nossa vida nos pede para sempre nos reavaliarmos, e sempre é tempo ... mas espero não estar na sua lista de blogs a ser deletados....

No mais ... você tem o tempo que precisar para quando quiser, Voltar!!

Beijos!!

.Lis disse...

Paula ,
Meu blog é talvez um dos mais recentes na sua lista "adoro ler essa turma", e como voce ,também já me vi sem tempo pra outras leituras,os lápis, as canetas,os pinceis que gosto tanto, mas sempre volto e volto,porque aqui há mais vida, pulsa do outro lado emoçoes, ao imagina-los fisicamente, ao querer agradar com uma postagem bonita, aprendemos , emocionamos e porisso compreendo as suas dúvidas.
Sabemos que a vida é breve, só devemos fazer o que nos agrada e nos alegra muito, nos ensina, nos dá prazer. Pense, faça suas escolhas, volte aos blogs queridos, só àqueles que vc de fato ama muito. Nao se inquiete e nem fique achando que precisa retribuir nada, faça como disse no poema : Viva a vida de todos os dias e Ame, ame muito.
Com carinho!