terça-feira, 16 de março de 2010

Todos os voos controlados
Voos rasantes
Dentro de limites de visibilidade
Sem passar da altura permitida

Quando saindo da rota
Pés fincados no chão
Olhar atento ao vento
Ouvido apurando com precisão

Alguns voos sem grande emoção
Outros entregues ao piloto automático
Quanto situação estabilizada

De vantagem
Quedas sem grandes avarias
Sempre permitindo consertos e novos voos

A pior queda
A mais desastrosa
Levantou-se dançando no salão
Rodopiando na vida

27 comentários:

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Lançar-se à vida, seja num rodopio ou na doação de um grande amor: tá aí a mais bela viagem pelo que se chama Vida.

Beijo, Paula!

myra disse...

muitos beijos minha querida Paula, e que bom que ainda esta aqui!!:)))

Maria disse...

Quantas quedas damos ao longo da vida... vale que nos levantamos sempre! Seja no salão ou noutro qualquer local...

Beijo, Paula.

Daniel Savio disse...

Menina, o que importa é nunca ter medo de se lançar ao ar...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.

Daniel disse...

Olá Paula, obrigada pela visita em meu blog. Eu estava meio sumido mas voltei novamente. Espero que voltes mais vezes.

Voar sem o medo da queda. Esse é o verdadeiro viver.
Beijos

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Que voe sempre em céu de brigadeiro. Parabéns. Beijos

J. disse...

Lembrei-me deste poema, de Jorge de Lima: "Vejo sangue no ar, vejo o piloto que levava uma flor para a noiva, abraçado com a hélice. E o violinista, em que a morte acentuou a palidez, despenhar-se com sua cabeleira negra e seu Estradivárius. Há mãos e pernas de dançarinas arremessadas na explosão. Corpos irreconhecíveis identificados pelo Grande Reconhecedor. Vejo sangue no ar, vejo chuva de sangue caindo nas nuvens batizadas pelo sangue dos poetas mártires. Vejo a nadadora belíssima, no seu último salto de banhista, mais rápida porque vem sem vida. Vejo três meninas caindo rápidas, enfunadas, como se dançassem ainda. E vejo a louca abraçada ao ramalhete de rosas que ela pensou ser o pára-quedas, e a prima-dona com a longa cauda de lantejoulas riscando o céu como um cometa. E o sino que ia para uma capela do oeste vir dobrando finados pelos pobres mortos. Presumo que a moça adormecida na cabine ainda vem dormindo, tão tranqüila e cega! Ó amigos, o paralítico vem com extrema rapidez, vem como uma estrela cadente, vem com as pernas do vento. Chove sangue sobre as nuvens de Deus. E há poetas míopes que pensam que é o arrebol." (1938)

Beijos.

Caurosa disse...

olá minha cara Paula Barros, sempre com belos e reflexivos poema, voar é preciso, de corpo e alma.

Paz e harmonia em sua semana,

forte abraço

C@urosa

Espaço do João disse...

Querida amiga
Há um ditado muito antigo que diz o seguinte:-

Tu queres subir ao alto
Ao alto queres subir
Mas quem ao mais alto sobe
Ao mais baixo vem cair.

Fiquei muito grato pela visita ao meu espaço. Eu de poeta nada tenho, té porque não costumo fazer poesia muito embora goste de a ler.

No entanto vou tentar compor algo compatível com o tema exposto.


Longe vão os tempos
Em que me apetecia voar
Ainda fiz alguns tentos
Para trás deixei os ventos
E no chão passei a andar

Alto voar baixo descer
E aprender a andar
Consegui subir e crescer
Até as mãos me doer
Mas continuo a voar

Altos voos me esperam
P`ro resto da minha vida
Já muitos aeroportos me retiveram
E muitos outros desesperam
Porque estou perto da despedida

Quero continuar a voar
Quero ver novos horizontes
Quero ir e quero voltar
A este meu lindo lar
Ver serras vales e montes

Ainda vou conseguir
Ver do alto dos céus
As planícies a sorrir
As flores todas a abrir
Comigo ao lado de DEUS

LOURO disse...

Olá Paula!
Lindo soneto!!!
Há voôs lindos o pior são as quedas...
Beijinhos se carinho e amizade,
Lourenço

seu gordo disse...

nao e um tombo encare como um voou rasante pra impulsionar e ir mais alto que podemos imaginar

Elcio Tuiribepi disse...

Acho que a experiêcia de vida nos faz ser assim...pés no chão...
Isso evita quedas com prejuízos grandes...é verdade Paula...
O melhor disso é que aprendemos sempre a levantar mais fortes, olhano as coisas de uma outra maneira, até cair de novo...rs
Aquele poema lá é antigo e eu enm ia postá-lo...resolvi assim na ultima hora...ele não foi muito comentado na outra postagem...
Bom passeio...aproveite...
Um abraço na alma...bjo

Geraldo de Barros disse...

fico muito feliz em te ver voando assim Paula, que bom

lindo!

beijo grande,
Ge.

Moni disse...

Ola to passando aqui pra ti convidar a participar de um sorteio no meu blog.
Devido uma aposta que o Franzé perdeu vamos fazer um sorteio,da uma olhada nos detalhes la, adoraria que você participasse.

bjos
Espero sua visita
=]

A.S. disse...

Paula,

No rodopio da vida, quando acontece uma queda, a solução está em se levantar o mais rapidamente possivel!...

Beijos
AL

Le Vautour disse...

E não são essas as ciclotimias imanentes na própria vida?
Que bom ser assim, não?
Eu é que tenho asas e você que suplanta o revés assim voando?
Eu é que poetizo e você é que nos emociona com estes versos lindos?
Eu é que... eu, nada!
Amei, minha querida, amei. Você é encontro de extremos e conjunção de fatores para a obtenção de beleza.
Abraços de duas asas!

Memória de Elefante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vieira Calado disse...

Assim que puseram nesta vida...
a queda é inevitável.

Obrigado também pela sua participação na minha postagem.

Um trabalho de tese?
Porque não?

Bjs

Tatiana disse...

Quando sentimos a necessidade do voo...nada consegue nos deter!
Passei também deixar-te um beijo carinhoso.

mundo azul disse...

_________________________________


...voos controlados! Sei muito bem como são, a metade da viagem, vivemos o medo da queda...


Beijos de luz e o meu carinho!!!


________________________________

walter disse...

Vivemos permanentemente entre quedas e voos... o importante é prosseguir o caminho, aquele que nos levará ao cume da mais alta das montanhas para ficarmos tão perto quanto possível da estrela que desejamos tocar...

um beijo amigo

Walter

Paulo R. Diesel disse...

Voar, voar, voar...

Allyne Alves disse...

Realmente querida. A vida é um voo...cheia de altos e baixos, mas o importante é sempre podermos lembrar e contar (talvez) para outras pessoas...As vezes para dividir, outras para aliviar, outras simplesmente para desabafar...

Estava com saudades de vir aqui!

Bjs e tenha um ótimo fds!

Luciana disse...

Olá Paula

Gostei dos teus comentários ao lado sobre os Blogs concordo com tudo escrito mas tem pessoas que não tem nem a educação de agradecer uma visita e dizem pra ti seguir e visitar o dele é complicado.
Bjs
Luciana

myra disse...

volta logo, sim? beijos....

Mai disse...

Cuide-se bem e tenha o merecido espetáculo da liberdade.
Boa viagem, amiga

Poeta Mauro Rocha disse...

"Ele faria da queda um passo de dança/ Da procura um encontro"

Tenha um ótimo fim de semana.
Bjs