terça-feira, 16 de novembro de 2010

Fliporto - minha avaliação



A Feira Literária de Pernambuco esteve mais próxima do povo. Esteve literalmente na praça. Se houve interesses políticos partidários para tal mudança, não sei, não ouvi falar, não li nada sobre o assunto. Embora não duvide, bem sabemos que nada sabemos dos motivos que sempre estão por trás de mudanças desta natureza.
O que percebi, senti, observei é que a mudança trouxe a aproximação da literatura, da cultura pernambucana, nacional e internacional para perto do povo.
Foram palestras, feira do livro, poesia declamadas, músicas.... o povo circulando junto com a literatura, com a cultura.
Imortais das mais diversas academias de letras circulando com os mortais. Mortais de todos os tipos, mortos de fome de ler, conhecer, ver, de serem ouvidos. Até os mortos de fome de comida, de atenção básica nas políticas públicas para a saúde, saneamento, moradia e educação estavam circulando neste evento.

Todos num mesmo ambiente. Palestras pagas, ao preço de R$ 5,00 (cinco reais) e a mesma palestra passando em telão e televisões, num ambiente agradável, de forma gratuita.








Muitas pessoas circulando o dia todo. Observando, pegando em livros, comprando, ouvindo histórias. Teve tendas com atividades culturais para crianças. Famílias com seus filhos num ambiente onde se vivia e respirava cultura.

No meu ponto de vista, na minha análise, acho que foi um grande avanço para Pernambuco aproximar este tipo de evento da população.
Quantos podem ir a Porto de Galinhas? Quantos podem se hospedar em Porto de Galinhas?

Num país com alto índice de analfabetismo, com políticas públicas voltadas para a educação com ações deficitárias, equivocadas, onde as academias de letras estão distante da população, salvo algumas ações pontuais, temos então um evento de literatura valorizando os escritores do estado e trazendo escritores de outros estados e de outros países, com uma proposta de abrir o diálogo e a participação.
Para mim foi um grande avanço, e ficou melhor para que eu pudesse participar. Ouvi o mesmo de outras pessoas. Espero que esta mudança seja definitiva e sempre com propostas de melhorias para aproximar mais e mais a cultura em suas diversas formas do povo.

A música no coração da poesia (e vice-versa)
Marcus Accioly, com César Barreto


XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


Tem uma homenagem para mim neste blog http://goldinnatura.blogspot.com/2010/11/cais.html

Poema e uma foto que tirei em Porto - Portugal.
Junto com uma foto de Eduardo Poisl
Obrigada Tossan!

16 comentários:

myra disse...

otimo, muito bom tudo que leio aqui! vivam estes eventos, muito importantes, que tenha mais e mais, e tuas fotos sao otimas como sempre,
tantos beijos minha querida Paula,

Maria disse...

Iniciativas importantes essas em Pernambuco. Tudo que seja cultura vale a pena!
Porto de Galinhas? Ah........ saudade!

Beijo, Paula.

poetaeusou . . . disse...

*
um belo post,
viva a leitura,
vivam todos os Livros !
,
conchinhas,
,
*

Jacinta Dantas disse...

Nossa!
gostei do seu entusiasmo ao falar de tão importante evento. Que bom se ver assim, no meio da Praça, cercada de cultura. É puro encantamento.
Um abraço

Blue disse...

Uma feira do livro, sempre é coisa boa. Tomara que os preços dos livros não tenham atingido os preços de Porto de Galinhas, pois se assim for, também não é pra todos.
Sei como é bom isso. E lembro-me da feira do livro de Porto Alegre, lá na década de 70, onde a gente encontrava, sabe quem? Ele, o grande poeta Quintana, caminhando, olhando, conversando com as pessoas. Pena que eu era muito novo e sem muita noção..... rssss. A sim, a feira ainda acontece até hoje.

Beijos

Rodolfo de Sá Cavalcanti disse...

Oi Paula, aqui estou eu de novo para dar "pitaco". Gostei muito do seu relato sobre o evento realizado em Olinda. O meu comentário anterior sobre o assunto, foi da forma como fizeram, mas o evento em Olinda é válido sim, e muito importante para a nossa cultura, mas "não" com o rótulo de Fliporto. Faltou criatividade aos organizadores para batizar o evento. É isso...

Daniel Savio disse...

Realmente é uma ideia boa para incentivar a cultura, bem como, brasileiros melhores (pois com a leitura é incentivado a parte questionadora da pessoa)...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.

Ana Lu disse...

Ahh, eu adoro feiras literárias! Têm um clima tão gostoso =]
E quanto ao seu comentário no meu post sobre Friends, posso ser suspeita pra falar, mas vale à pena! Uma conhecida já tinha dito a mesma coisa: Que não assistia porque se recusava a assistir programas com risadas no fundo. Olha, eu também detestava, mas acostumei. E vale muito, muito apena. Friends é muito mais que risadas no fundo! Se assistir me avise o que achou! Mas assista pelo menos uns 5 episódios, é o necessário para se apaixonar!
Leve sua filha junto na jornada, é um ótimo 'programa' para fazerem juuntas!
Beijos

Leo Mandoki, Jr. disse...

realmente foi uma grande pena não nos termos conhecido qnd vc veio aqui a leiria...realmente pena...é mto interessante ler o crime do padre amaro sentado na praça rodrigues lobo...bebendo café, lendo e observando (e imaginando) a cidade.
bjs

walter disse...

Paula,

Todas as fomes devem ser saciadas, sejam elas quais forem!

Este é apenas um belíssimo exemplo!

Parabéns!

Um beijo

Walter

Cαmilα ♥ disse...

Nossa que interessante
É disso q o Brasil precisa!
Incentivo a leitura


Adoro as fotos

BeijOcas

Ps. Fico mto feliz com seus elogios, pois sou sua fã.
BeijO

Daniel Hiver disse...

Paula...
Aqui em Porto Alegre tivemos recentemente a 56ª Feira do Livro, na Praça da Alfândega. Diversos quiosques de livros de todo tipo e para todos os gostos.
Na edição deste ano eu comprei três livros e é sempre um enorme prazer procurar os livros nas bancas de saldos.
Já em relação ao meu post a idéia era simplesmente transmitir uma idéia de caos, de confusão... Às vezes devemos mesmo parar para evitar uma situação de perigo... Mas outras vezes o perigo acontece quando ficamos parados pelo caminho.
Então a indefinição, a indecisão é que se transforma no real perigo; por que nos paraliza.

Everson Russo disse...

Sempre legais esses incentivos a leitura,,,um dia, se Deus quiser ainda participo de uma..rs..rs...beijos querida e um dia de paz pra ti.

BRANCAMAR disse...

Paulinha,

Volto amanhã para recuperar estas duas leituras perdidas, ando há uns dias para vir comentar o texto abaixo da Filiporto, mas tens escrito muito estes dias, quando dei por ela já tinha muito para ler e já vi a belíssima homenagem do Tossan, também ainda passarei por lá logo que possa.

Deixo um beijinho de boa noite.
Branca

Armindo C. Alves disse...

Bonito como a Paula agarra os temas ou asuntos e os desenvolve.
A sua análise é digna de ser publicada em qualquer revista ou jornal da especialidade.
Que os decisores ou politicos leiam...
Parabéns.
Bom fim de semana.

Beijos.

BRANCAMAR disse...

Paula,

Adorei ler tudo o que escreveste aqui sobre os progressos da Fliporto. É óptimo esse participar e essa troca e acessibilidade de todo o público à cultura e à literatura.
Fico muito feliz porque todos os ecos que me chegam cá me dizem que o Brasil tem feito muitos progressos nos últimos anos em todos os aspectos e continua.
Talvez o futuro esteja aí e em alguns países de África porque a Europa está a ficar velha e caduca.

Um grande abraço e mil beijinhos.
Branca