sábado, 30 de julho de 2011




Você precisa voltar. Já está bom desta história de não contar nada. De ficar mudo. Já estamos caminhando rumo a agosto. Ou será que é agosto que vem ao nosso encontro? Sei lá, me atrapalhei. Você parou o tempo, aquele tempo onde eu brincava no mundo da fantasia e ilusão. Você deu uma freada brusca, e eu não gostei. Janeiro foi tão bom, você estava brincando nas letras e nas imagens, fazendo piruetas no ar feito avião da esquadrilha em sete de setembro. Mas de repente, você não quis mais  brincar com o tempo. O tempo caminhou com pés de pato em pedras escorregadias,  e já estamos quase em agosto. Está vendo como a estrada está árida? Fico aguardando o seu retorno, fico com gosto de quero mais se dissolvendo na boca, fico inquieta esperando. Volta, com gosto de ficar. Volta a tempo de fazer agosto não lembrar desgosto. Volta!



foto: Chapada dos Veadeiros - GO
texto: escrito em 16.07.11

7 comentários:

Eurico disse...

Que agosto seja muito feliz pra vc, minha amiga.
TEu texto está saltando da tela!
Pura emoção.

Abraço fraterno.

mfc disse...

Temos sempre montes de projectos para agosto...
porquê agosto... porquê projectos?!
Porque é aquele mês de férias... pelo qual estivemos 11 longos meses à espera!

EDER RIBEIRO disse...

Agosto nunca é mês de desgosto, para mim, pois é data do meu nascimento... rssssssssss. Adorei a tua crônica. Bjos.

Vivian disse...

...fica então 'à_gosto' de Deus
que ele volte ou não...rsrs

sorry, my love...rsrs

num resistí...

bjbjbj

Maria Dias disse...

Mas pq calou,calou pq?
Bem, talvez ele tenha percebido q nao dava mais para desenhar este sonho e caiu na real.
Nao sei...Tomara q tenha coragem de voltar e enfim embarcar neste sonho bom,pois o tempo voa ligeiro e quando se vê já é muito tarde para voltar a sonhar.

Beijinho e bom domingo

myra disse...

"Volta a tempo de fazer agosto não lembrar desgosto. Volta!"
vai voltar, vai, vai,
e se nao, CHAMA ELE mil vezes:)))!!
beijossssssssssss!

Paulo Francisco disse...

Gostei deste tempo de encontro e desencontro.
Um beijo