sábado, 1 de dezembro de 2012





A hora do retorno, pode não ser a hora exata da partida. Pode ter ficado pela estrada um pouco do meu sorriso e muito do meu olhar. Comigo seguiam os sonhos. Em cada passo nas poças de água o prazer de caminhar a vida. Senti a tua falta. Eras presente no presente, porque te trouxe do passado. Na luz do sol que não vi amanhecer, nos finais de tarde de grandiosa beleza, nas serras com neblina, nas estradas bonitas, e em tantos outros momentos o teu nome surgia, os teus sonhos estavam pintando a tela da vida, e eu os realizava por nós. A hora do retorno, pode registrar a vontade de voltar. De ficar. De seguir por outras estradas.


Foto: Rio de Janeiro-nov/12


14 comentários:

Vivian disse...

...que bom quando podemos
sair pelo mundo degustando
belezas, e ainda ter a
dádiva de levar alguém
especial, na
lembrança!

um beijo, alma linda!

Vivian disse...

...que bom quando podemos
sair pelo mundo podendo
levar alguém nas
lembranças!

eu adoro ler você!

bjs, alma linda!

Dona Sra. Urtigão disse...

Boas andanças.
Em minhas lembranças estão tantos, que seguem comigo... Alguns bem que eu gostaria de soltar ao vento e que ficassem lá, bem longe, mas justamente esses são os que teimam em seguir junto...

myra disse...

...comigo seguem os sonhos...sim, minha querida Paula, SEMPRE e mais de dia que de noite!!!!beijos

EDER RIBEIRO disse...

A vida em si já é uma viagem, e ela só vale a penas pelos amigos conquistados e qto nós os marcamos e eles a nós. Bjos, amiga Paula.

tossan® black&white disse...

Eu também sinto a tua falta falando das minhas fotos e dizendo que elas são ruins ou boas. Bj
PS: O que me importam são as fotos e você.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

A nossa bagagem são as lembranças de uma vida, vão sempre connosco.
Sempre um prazer imenso ler-te.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

sérgio figueiredo disse...

a beleza não tem limites quando se passeia em (desejada) companhia. e mesmo que em pensamento, a companhia torna tudo mais belo.

bj...nho

Cadinho RoCo disse...

Não gosto de ir embora.
Cadinho RoCo

Benno disse...

não importa o destino
mas a estrada

no destino há o fim
na estrada o infinito

De vim ? Do nada!
Para aonde vou? O nunca
Por onde vou? Qualquer caminho me apraz
Como vou? Na santa paz

Beijo

Olhos de mel disse...

Oie Paulinha, que lindo, viu? A vida é assim, cheia de partidas e chegadas, indas e vinda ao longo das nossas estras...
Beijos

Blue disse...

Sei que não é o D. Pedro,
e seu grito de independência,
mas o relógio ao fundo marca,
a hora do retorno...

Beijo

Uma aprendiz disse...

Oi, miga

Aproveitando a observação do Blue, vejo que o relógio marca a chegada da hora do almoço.
Nasci exatamente ao meio-dia.
Hora de saborear as emoções. Degustar as lembranças. Digerir as saudades. E seguir, saciada e refeita.
A estrada é longa.

beijos

Semente literária disse...

Paula como é bom retornar aos teus escritos. Fazia um bom tempo que eu não entrava no blogger. Agora estarei mais presente degustando e viajando nos teus textos. Um abração. Saulo