domingo, 22 de dezembro de 2013








Reza para teu Deus e pede que eu te esqueça. Reza hoje, não espera o novo ano. Não adianta que eu reze, Deus não me escuta naquilo que eu não quero que aconteça. Reza por mim, e para que acalme os meus pensamentos ao pensar em ti. Reza para que as palavras surjam de mim em outros momentos de vida, e não só ao pensar em ti. Reza por mim, e diz a Deus, ou a algum santo para assuntos eventuais, que não me escute quando eu pensar em tomar um café e conversar contigo. Porque meu Deus costuma me escutar quando eu desejo algo, e o Deus que mora dentro de mim sempre me impulsiona para o que eu quero. E se você não quiser tomar um café comigo, eu tomaria um cappuccino, não sei você, reza, mais reza com muita fé, porque meu pensamento é muito forte, e eu posso um dia aparecer para tomar um café contigo. Então, reza para que eu esqueça de pensar em ti, quando olhar o dia amanhecendo, mesmo que ele continue amanhecendo todos dos dias. Ou quando olhar o pôr do sol. Reza, para que não lembre de ti quando o bem-te-vi cantar, mas que ele continue cantando e eu escutando. Reza, para que não lembre de ti ao viajar por estradas lindas, mas que eu viaje muito. Só não reza para eu esquecer de Deus, mesmo que eu pense em ti quando lembro de Deus. E eu lembro de Deus quando penso em ti. Reza para que eu te esqueça, ou não. Quem sabe seja melhor agradecer a Deus por você deixar meus dias mais bonitos.  E assim, Deus continuará sorrindo, para mim, para ti, para os que estão no nosso caminho. Não ocupa Deus com isto, o tempo vai se encarregar de amenizar os meus pensamentos, e o café terá sido apenas uma vontade, ou uma linda lembrança, quem sabe.








9 comentários:

Paulo Francisco disse...

Nossa Senhora do Amor infinito! Lindo delírio!
Fiquei imaginando uma cena de uma mulher apaixonada em pensamento alto... que só o que vale é o amor dela e mais nada.
Adorei esse texto. Ele tem um cinza, uma penumbra em dia de sol.
Um beijo grande e paro por aqui rs.
(Não gosto de comentar muito, gosto de guardá-lo pra mim)

Paula Barros disse...

É, Paulo Francisco, já percebi que você não se estende nos comentários, é econômico. Tenho vontade de matá-lo quando coloca só, Lindo!
Mas também já percebi que você desenvolve alguns lindos textos a partir do que ler.
Admiro sua escrita.
beijo

brisonmattos disse...

vou pedir a Deus que continues inspirada.

Paulo Francisco disse...

Comentário do comentário do comentário (Ufa!)

Oras! Lindo quer dizer muito! Muita das vezes é de tirar o fôlego o que eu leio por aqui. Aí eu digo: Lindo! Porque é lindo. Já te disse ¨ao pé do ouvido¨ que sua escrita é única, tem uma belezura só sua. As metáforas são belas. Você não força, não carrega, não apela. É como se a alma (de verdade)falasse. Gosto de vir aqui, como gosto de ver você na minha Varanda.
Gosto da ambiguidade: o simples e o complexo se misturando e formando um buquê de emoções.
Gosto desse seu jeito simples de dizer que acaba criando um mistério enorme na cabeça da gente.
Adoro o fato de você não usar máscaras. Odeio blogues falsos, com textos falsos e apelativos.
Aqui é tudo tão emocionalmente transparente que acaricia a alma.

Um beijo grande e um abraço bem apertado Dona Maria. Um Natal Bacana pra ti.
(Nossa! nunca escrevi tanto num comentário)

myra disse...

paula querida, entaovoce me detesta tbem ja que tbem escrevo pouco aqui:)
sabe, que bom que voce acredita em Deus..eu faz tempo que ja nao...
beijos e un super ano novo!

Helena disse...

Paula, minha doce amiga, ao ver teu comentário no meu blog, apressei-me em vir ao teu para dizer que NÃO, eu não apaguei meu comentário no teu blog. Confesso que ontem à noite estive aqui, depois de ter ido ao do Paulo, para reler o que havia escrito, e ao NÃO ver o meu comentário até pensei que ainda não o havias aprovado, mesmo sabendo que não é do teu feitio esse procedimento. Fiquei 'encucada', como dizemos por aqui, mas não tive oportunidade de voltar e verificar. Somente agora quando sobrou-me um tempinho e resolvi dar uma espiada no meu espaço e vi lá o teu comentário. O QUE SERÁ QUE HOUVE, AMIGA! Tenho um outro amigo que já aconteceu isto uma vez. No início eu ficava até sem jeito de perguntar, mas depois eu vi que poderia ser o sistema com alguma falha. Acredito que tenha sido isto que aconteceu no teu. Eu não apagaria nunca um comentário já feito, amiga, mesmo tendo conversado 'mais do que pobre na chuva', como dizia minha saudosa mãezinha (risos). Enfim, meu anjo, não sei como poderíamos desvendar esse mistério. O certo é que eu disse e agora repito: como eu gostaria de ter escrito esse texto! Ele diz tudinho que eu gostaria de dizer para um certo alguém... cuja lembrança hoje me traz infinitas saudades! Estive realmente lá no Paulo e espero, sinceramente, não tê-lo incomodado com meu (extenso) comentário. Ficaria triste se assim fosse!
Só me resta então, amiga, deixar-te (novamente) um montão de sorrisos, um punhado de estrelas, e muito carinho!
Helena

Paula Barros disse...

Oi, Helena, realmente não modero comentário, seu comentário estava no blog, e não amanheceu. Mas tudo bem.
Com certeza Paulo adorou seu comentário e eu gostei do seu comentário aqui e lá. Que tenhamos um Feliz Natal e um ano muito bom.
abraço

Benno disse...

Peço a Deus que os que amei um dia não me esqueçam, já que não os esqueço por minha vez.
Que me esqueçam apenas os que nunca me amaram e que eu nunca amei.
Feliz Natal!
Beijo

O Árabe disse...

Rezemos sempre, Paula, para que o tempo continue a semear de belos momentos os nossos caminhos, para que em possamos ter sempre lindas lembranças! Belo texto; feliz Natal, feliz Ano Novo!