quarta-feira, 28 de maio de 2008




O jardim


Acordou. Foi observar o jardim repleto de flores variadas e árvores frutíferas. Muitas flores coloridas, diversos nomes: sorriso, alegria, abraço, estrela, lua, sol, amizade, sabedoria, criatividade, espontaneidade, inteligência, poesia e muitas outras. As árvores frutíferas estavam cheias de frutos, o aroma no jardim era de harmonia, compreensão, companheirismo, incentivo, amizade. Mas todo dia, logo cedinho, regava primeiro uma planta que crescia espantosamente por causa dos seus intensos cuidados especiais. Dava carinho, atenção, dedicação, olhares admirados, elogios, conversas, era de uma dedicação extremada. Chegou a causar ciúme na flor do amor. Mas, naquela manhã ensolarada de domingo, percebeu que o jardim estava mais bonito, exuberante, extremamente emocionante e só então descobriu que a planta que tanto admirava e cuidava, era uma planta carnívora. A pior espécie existente, aquela que destrói a alma de quem cuida, que corrói a alegria, a espontaneidade, faz crescer a dúvida, a tristeza e a indecisão. Era um fruto amargo, cheio de caroços, com espinhos que faziam sangrar a alma, com um travo inigálavel, um azedume insuportável. Com muito esforço, lutando consigo mesma, arrancou o mal pela raiz. Passou a valorizar ainda mais as flores boas do seu jardim.

16 comentários:

Chuvinha disse...

O mal necessário muitas vezes dói mais na gente.É preciso coragem para arrancar de dentro de nós algo que esperávamos ser melhor do que realmente era.

Pedro disse...

Essas plantas crescem fácil e são difíceis de se arrancar, mas é preciso, como você disse, arrancar logo o mal pela raiz.

Layla Lauar disse...

Nossa...não sei o que dizer. Mas penso que eu não arrancaria a planta antes de saber o que a tornou tão nociva, se antes perfumava e embelezava seu jardim, talvez tenha sido "contaminada" por algum fator externo. pensou sobre isso?

Muito bonito esse seu jardim de matáforas.

(talvez eu esteja errada, mas sempre dou "n" chances" antes de tomar uma decisão drástica, tenho muito medo de cometer alguma injustiça)

Um beijo de carinho.

Edson Marques disse...

Paula,


Teu jardim é encantado!


Seus canteiros têm música...


Abraços, flores, estrelas!

MONICAVOX disse...

Paula,muitas vezes temos que arrancar ervas daninhas de nossa vida,e tem um custo alto fazer isso.
Mas, se não fazemos,mesmo que á duras penas,elas continuam ali,e nossa vida não decola.lindas as fotos,A natureza sempre nos ensina muito.bjus mil e obrigada sempre pelo carinho

tenha uma ótima quinta feira
walk on forever,monicavox

sergio disse...

Não podemos deixar que este tipo de planta ameace as flores e outras espécies do nosso jardim. Com serenidade e respeito ao meio, é possível extraí-la sem prejudicar a flor! abraço Paula!

Landinho disse...

Muitas vezes não percebemos e alimentamos algo que pensamos fazer o bem mas de repente vc percebe que é um mal e para não prejudicar tudo é necessärio cortar pela raiz.

Everson disse...

Poetisa maravilhosa do meu coração, "Chegou a causar ciume na flor do amor...", isso é pra pegar o violão e ficar agarrado nele até conseguir o acorde perfeito pra decifrar todo esse sentimento, e semear o amor eterno e principalmente, apenas cultivar as boas flores...beijos na alma, seu texto hoje me deixou bem mais leve por dentro...linda tarde a ti.

Poeta Mauro Rocha disse...

"Não corra atrás das borboletas, cuida do teu jardim que elas vêem ao teu encontro" Mário Quintana.

Teu jardim é florido, acredite.

MAURO ROCHA

Bandys disse...

Paula,

Cuide sempre do seu jardim.
Quem ama cuida.
Como disse o Edson, seu jardim é encantado.
Beijos

O Sibarita disse...

Dona moça, que planta é essa? kkkkkk Valha-me Deus! kkkkk

Sendo assim o melhor é isso mesmo arrancar o mal pela raiz... kkk

bjs
O Sibarita

jobofevi disse...

Primeirop arrancaria. depois, se desse, vontade verificaria porque fez mal. Boa noite amiga.

F. Reoli disse...

As vezes as orquídeas viram plantas carnívoras... faz bem em cultivar as boas espécies...
Beijos

wilson rezende disse...

Paulinha que fotos maravilhosas, tenha uma ótima noite, sonhe com os anjos, beijo.

lugirão disse...

Paula, adorei o seu texto, eu já cultivei uma planta assim, mas não acreditei quando percebi que ela não era uma planta que dava bons frutos, adubei, reguei,podei, e depois de perceber com enorme tristeza,que apesar de toda a sua beleza, não era uma boa árvore, cortei, mas nunca esqueci sua beleza.Acho lindo o pé de fruta-pão, essa sim uma bela árvore, em todos os sentidos.
beijos

Milady disse...

Paula, querida, Edson, Layla e você têm sido altas inspirações na minha vidinha pacata!!!

:-) vcs são meus filósofos e gurus!

beijos