sexta-feira, 16 de maio de 2008


A MUSA


Algumas vezes desejei ser musa. Ficava imaginando o que uma pessoa sentia ao pensar na musa. Os desejos. As fantasias. As emoções. Para mim tudo parecia fantástico. Não imaginava que ser musa tem um peso muito grande. Enorme. O peso da imaginação do outro. De tudo que o outro fantasia. De todos os desejos contidos. Da projeção de alguém que muitas vezes não somos nós. Penso que a musa se desfaz, igual a algodão doce em contato com o ar, no contato real. Derrete-se nos dedos. Sujando toda a imagem que se criou. Colando os dedos uns nos outros. Impedindo verdadeiramente de tocar, não na musa, na mulher real, na mulher cheia de sonhos e desejos. Desisti de ser musa.








19 comentários:

Pedro disse...

Deve ser torturante essa obrigação de ser sempre perfeita.

Edson Marques disse...

Paula,

Que coisa mais linda!


E hoje, no meu texto, havia "algodão doce" (que acabei tirando para colocar "vertiginoso").


Você ainda está aqui, conosco, nos copos de vinho, nos abraços!

Abraços, flores, estrelas!

Layla Lauar disse...

Nossa.. nunca nem consegui me imaginar musa, sou tão comum e gosto de ser assim.

Só você, por duas vezes, por ser amiga e generosa, já me fez ser tema dos seus poemas. E certeza tenho, que nunca me achou perfeita... e não sou mesmo.

Querida, claro que você já inspirou muitos poetas e sabe disso. Nasceu musa, nem adianta tentar ser diferente.

Adorei seu post, lindo e delicado, como algodão doce.

beijos todos e + um especial

MONICAVOX disse...

querida Paula, importante é a gente ser Musa para quem gosta da gente, quem nos ama, e nos considerarmos Musa, quando nos gostamos e sabemos de nossas capacidades e potencialidades.Isso de ser Musa para um público,é dificil e tem cobranças demais,qualquer deslize e vc deixa de ser no minuto seguinte.
muitos beijos e tenha um excelente sábado!
walk on forever,monicavox

lane disse...

seja vc mesma,pois as musas são apenas fantasia,e a realidade nos mostra q a vida a beleza,está na simplicidade,em todos os sentidos!!
abço e tenha um fim de semana lindo!

O Sibarita disse...

Oi dona moça! kkk

Sua menina, ao ler ser comentário no Sibarita - belo comentário, o qual agradeço pela generosidade - fiquei encantado pela simplicidade e profundidade dita ali.

Ai de imediato eu disse: essa é a MUSA, é ela, ela sim! kkk Vou ao seu blog ver, sentir... e ai, você me dá uma ducha fria? kkkk Você não tem coração não, é? kkkkk

Desmusou, foi fia? kkk Não faça isso, tenha piedade dos seus leitores! kkkkkk

Paula, é isso, muitas das pessoas vão aos blogues e não lêem, acho uma falta de respeito, o que colocamos é para ser lido e comentado dentro da visão e sentimento de quem lê, o nosso pagamento, a nossa satisfação pelo que expomos é o comentário.

Mas, ocorre que tem pessoas que vão aos blogs e não lêem e numa falta total de desrespeito escrevem coisas do tipo: "Ah passei aqui para lhe dar um bom dia" "Vim lhe desejar um ótimo final de semana" Outros, nem se dão ao luxo de escrever abreviam: "Passei para lhe deixar um bom FDS", pode? Isso é de lenhar! kkkkk

A primeira vez que escreveram esse treco no Sibarita, confesso, eu fiquei matutando o que seria "FDS" não sou advinho, né fia? kkkk As pessoas abreviam as palavras e quer que você advinhe! Para saber o que significava fui ao blog dessa pessoa, pedi desculpas e, perguntei o que significava, quando me foi dito o que era pasmei! kkkkkk

Foi por isso que no blog da Brandis, ninguém, falou nada da poesia feita por uma pessoa especial, achei um absurdo, como uma pessoa com Sindrome de Down escreve uma coisa tão bonita e ainda que não fosse, só o fato de escrever uma poesia já era para comemorar e ninguém se tocou?

Acho que esse mundo está de cabeça para baixo, as pessoas, estão voltadas para tão dentro de si que não repara o seu semelhante, ou ainda, o EGO das pessoas estão acima do céu das suas cabeças, só pode ser... kkkk

-Ei, você até agora só enrolou e não comentou o meu texto. Escreveu, escreveu e nada, tá igual aos outros? rsrsrs.
-Eu? Deus me livre! Alivie... kkk
-Sibarita, você tira é onda, viu? rsrsrsrs.
-Xiiiiiiiiiiiiiiiiii... Calma fia, vou comentar sim! kkk
-Ah bom... rsrsrsrs.

Tem razão o seu belíssimo texto, todos aqueles auto-intitulados, encorpados de alguma coisa, cria uma barreira para o real. O Bom, é ser o real sempre... faça fé!

obrigado mesmo pelo comentário, volte, viu fia? kkk E desculpe pela carta aqui escrita.

bjs
O Sibarita

eu tropeço disse...

depois do que li aqui, musa é pouco pra você! escolha outro título pra superar agora!
hehehe
beijo

Tereza Freire disse...

Paulinha, você definiu perfeitamente uma musa. É isso aí... quando alguém toca desmancha e em contato com a vida real se desfaz. Já pensou na solidão e na tristeza de ser intocável? Bom é ser gente! Seja como for, vai sempre existir alguém que vai gostar, tocar e não desmanchar. Beijos amiga. Temos mesmo que nos conhecer, não é possível que morando na mesma cidade ficaremos apenas amigas virtuais...hehehe.

Everson disse...

Desiste não minha querida, a musa é o sonho do poeta, a inspiração, a perfeição, o salto de um planeta a outro, o inevitavel caminho do amor, tudo começa pela musa, passa pela imaginação da poesia e termina na flecha no coração, pode até ser uma personagem, mas é sempre protagonista..rs...assim eu penso...beijos minha carinhosa e querida amiga e um delicioso fim de semana a ti.

Fábio disse...

Pena que não é você que decide...rs
;)
Beijos

vilminha disse...

Paula querida que momento maravilhoso foi este quando tiraste esta foto do algodão doce, o sorriso do moço a naturalidade do vendedor que nem pensou em vender um doce. Simplesmente ficou feliz com sua menção em tirar uma foto e olhe que o dia estava chuvoso, cinza e o vendedor de bom humor sem vender nada pra turista,(nem ofereceu) , posou o algodão-doce e foi feliz, pense nesse momento todos nós lá naquele momento pra mim a atitude do vendedor pode assemelhar-se a "MUSA". Beijos e ate breve.

Bandys disse...

Paula,

Adorei o texto, o algodão doce...(adoro).

Mas, penso que as musas são escolhidas...não se auto nomeiam.

Ou então não entendi.
Beijos

Chuvinha disse...

A musa é idealizada e portanto não real. É um desejo do que se quer não do que se tem ou do que se é.

Mári disse...

...El mundo es del cristal con que se mira. Adelante. Entra. La puerta está abierta...

J. ROBERTO BALESTRA disse...

Tem razão, Paula. A vida de musa é enganosa, todo mudo abusa, todo mundo acusa, e ela acaba melosa... num nosocômio. Valei-me meu São Serapião, protetor dos órfãos... BEijos, e BOM DOMINGO!!!!

Edson Marques disse...

Paula,

Relendo, agora mais devagarmente... rs!

A musa sobrevive incólume, até que o homem resolve transformá-la em esposa. A partir daí, seu declínio é inamparável.

Abraços, flores, estrelas..

Paulo R Diesel disse...

Tenho algumas musas, mas sou eu que decido que as são.
Não adiante desistires de ser, pois o algodão doce se renova e sempre alegrará uma ou outra criança.

Bj, Paula

Landinho disse...

Mas vc é minha musa inpiradora.

BAh disse...

Involuntariamente criamos musas e musos em nossas cabeças. Acabamos, por vezes, imaginando as coisas um pouco diferente do que elas realmente são. Por algum tempo é bom ser musa, ou ter um(a) em mente. Mas sempre é melhor ainda voltar para a realidade, com todos os defeitos, mas sabendo que a pessoa que é, diferentemente da que imaginamos, sempre será real.