segunda-feira, 19 de maio de 2008





Compreendo quando um vulcão tantos anos inativo, sente o calor consumir suas entranhas, queimando a carne, despejando sobre o corpo as lavas de desejos e fantasias. Mesmo diante dos estragos que pode causar, sentir a beleza do fogo que escorre.

















18 comentários:

Bandys disse...

Paula,

Ardente, poético, cheio de sonhos e fantasias.
Mas estou gostando mesmo é do colorido.
Adorei,
Beijos

O Sibarita disse...

Que mulher é essa meu Deus! kkkk

Você é boca de zero nove, fia! kkkk

Que poemaço! Tá 1000000000000...

Bem escrito e fazendo aflorar desejos, é isso...

Olha já postei coisa nova, viu fia?

kkk Preguiça nós baianos é? kkk E por que nós temos a próle numerosa? kkkkkkk`

Por ai vc ver que não brincamos em serviço, ou seja, não tem preguiça certa! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk


bjs
O Sibarita

Pedro disse...

Vulcões são fascinantes.

Que pena da pessoa que mora nesse apartamento. Uma vista horrorosa. Mora maaaaaal. hahaha

Layla Lauar disse...

Perfeito, lindo post, na est�tica,nas fotos, nas cores e nas suas belas palavras...

beijos mil

Edson Marques disse...

Paula,


e não é que hoje eu também falei da lua.

Da nossa Lua!


Volto aqui depois, mais acordado.

Entre flores e estrelas..

Poeta Mauro Rocha disse...

Belas imagens, belas palavras, é ótimo vir aqui e saborear seu blog.

MAURO ROCHA

MONICAVOX disse...

querida Paula,bela a simbologia do Vulcão,prestes a explodir...interessante como todos ás vezes se sentem assim,diante das mais variadas situações...no amor,inclusive.lindas fotos!bjus e tenha uma ótima terça feira!
walk on forever,monicavox

Landinho disse...

Hoje a Paula acordou seu vulcão e está flamejando labaredas de paixão.Vai deixar muito cara queimado.

sergio disse...

quase não consegui comentar depois de ler o comentário do Landinho....ele é uma figura, não é a toa que é palmeirense... Então Paula, pelos posts percebe-se que seus sentimentos estão aflorados e que palavras torneadas conseguem maravilhar este momento que vive. Te desejo muitas felicidades. Abraço e bj amiga!

lane disse...

Paulinha,realmente,todos os posts estão belíssimos,aflorados,esse do vulcao entao,nossa,sensual demais,isso é bom,a mulherada tinha q ler mais essas belas coisas e a macharia tb,pra ver se melhora mais os relacionamentos,
obrigada de coraçao pelo seu belo comentario no meu blog,a ju está arrasada,mas é inteligente e consegue,como vc falou,tudo renasce,com mais força,é a vida,basta vive-la sem muitas expectativas!!desejo a vc,muitas conquistas,pessoais,profissionais,muta luz na sua vida,pq vc é iluminada!!amei seus posts de verdade!!!gde abçao e um xeru de alagoas!

F. Reoli disse...

Belo post/coletânea de poemas - fotos - sensações... a fantasia é sempre o combustível da realidade!
Beijos

Everson disse...

Amiga, eu penso que todas as poesias citadas abaixo se resumem na foto do vulcão, o amor é exatamente assim, dorme,dorme,dorme,mas de repeten quando ele resolve aparecer, que saiam todos de perto, ele é arrasador,louco,inconsequente,insano como o vulcão..rs..é o que penso...louco isso né? beijos carinhosos , muito amor a ti, e uma tarde de paz.

Everson disse...

Amiga danada,me fizeste voltar,rs,rs,que bom que voce entende o alto estado de consciencia alterada dos nossos textos, é bem por ai mesmo, e o mais interessante é que, quando a gente escreve alguma coisa, aquilo tem uma dimensão muito propria,um significado muito proprio,e quando passamos pra alguem, e outra pessoa le, e faz a sua propria dimensao e significado daquilo, e mesmo que nao tenha nada a ver com o que o autor escreveu, é valido e certo, e o gostoso de escrever é justamente isso, ler as opinioes e expressões que provoca,rs,voce foi simplesmente show no seu comentario,adorei, e vivamos as loucuras de nossos estados alterados..rs...que como voce disse, e eu concordo plenamente,nem sempre é amor, muitas vezes por ja termos vividos,sabemos escrever sobre sem estar vivendo, é complicado, mas acontece...e continuamos tentando,insistindo e escrevendo, o porque eu não faço a menor ideia, e não poderia deixar de terminar assim...entendeu? não? xiii, nem eu...rs...beijos e obrigado por fazer parte do Livro e por me aceitar amigo.

BAh disse...

Seus poemas são interesantíssimos, profundos. Suas fotos, então... acho que já disse, mas repitirei: adoro-as!

Viajo e me perco nas analogias e fantasias que você desenha.

E, quanto ao inglês: não é aquele bicho de sete cabeças que todo mundo pensa. Se arrumar um tempinho, vai fundo! E se precisar de alguém para praticar, estou às ordens!

beijos

Alisson disse...

7 mil anos inativo. Ao menos solta tudo com violência. Você é docemente violenta, como todos os bons poetas aliás.

beijo

a.h.

lugirão disse...

Paula, adoro imagens, essa do vulcão está demais.
Você trabalha muito bem com as cores, muito bonito.

Eliane Alcântara. disse...

Paula, engraçado... Você perdida lá com o meu poema e eu aqui com os seus. Parabéns, moça. Minha realidade está vestida de seda para ler a fantasia que crio real quando a ausência insiste em castigar : ( Explosão é o que resta : ) rs* Beijos!

Milady disse...

Amei!

Passei para deixar um beijo! Tô com saudades mas estou perdida no mundo!!!! hehehehe

semana que vem prometo que volto de forma triunfal!

beijos