quarta-feira, 25 de junho de 2008






Chega a qualquer hora 
Escuto a chave 
Mexendo, remexendo na fechadura 
Abre a porta
Entra sem pedir licença
Me possui 
Está distante 
Mas sempre perto
Fica rondando meus pensamentos 
Sentimentos, desejos e fantasias 
Tocando fogo no meu sentir 
No corpo em chamas 
Que chama 
Preciso ir 
Fico esperando voltar 

20 comentários:

Eärwen Tulcakelumë disse...

Com grande facilidade as palavras vão se juntando e formando um poema gostoso de ser lido, onde a paixão comanda as rimas.

Pérolas incandescentes de inspiração.

Eärwen

daniel disse...

Olá Paula Barros

O sentimento da ausência, sempre presente, evocada poéticamente!... A força da esperença!...
Considerações
Daniel

Anônimo disse...

queria lhe perguntar.
QUANTAS VEZES VOCE FOI ASSALTADA NO RIO DE JANEIRO???

QUANTAS BALAS PERDIDAS ATINGIRAM VOCE???

QUANTAS VEZES VOCE FOI SEQUESTRADA???

E ESTUPRADA???


SÓ QUERIA SABER??

paula barros disse...

Anônino
Não entendi as perguntas.
Não fui assaltada nenhuma vez.
Nenhuma bala perdida me acertou.
Não fui sequestrada.
Nem uma topada levei.
Só pessoas lindas, amorosas encontrei.
E muitas belezas no Rio de Janeiro, muitas.......
Objetivamente essas são as respostas.



Mas eu sempre tenho mais perguntas e mais respostas.

Nem um beijo, nem um olhar, nem um aperto de mão, nem um toque, de quem tanto queria.

Queria ter conhecido uma pessoa.
E lhe digo, com toda a franqueza.
Queria ter sido sequestrada por essa pessoa, pois meus sentimentos ele já sequestro.
Queria devolver a ele a bala de canhão com a qual ele me acertou.
Não vou dizer que queria ter sido estuprada, mas queria ter sentido o toque das mãos dele. Nem que fosse tocando as minhas mãos....
Uma vez disse a ele que para mim tudo começa com as mãos.

Me senti sequestrada, estuprada, violentada, assaltada na minha vontade de conhecê-lo. No sonho de conhecê-lo.

Mas a vida continua. Os mergulhos serão dados. Muitas janelas serão abertas. E o Rio continua lindo.

E o meu carinho por ele continua guardado. Ele já me ajudou bastante.

Anônino porque as perguntas?

MONICAVOX disse...

querida Paula,suas rimas são bem feitas e dão sentido ás palavras ,nos fazem sentir o momento com intensidade.parabéns sempre.Se tentar escrever assim, não sai, amiga,impossível srsrsr.
bjus mil e tenha uma ótima quinta feira.walk on forever,monicavox

Bandys disse...

Paula,
Sentimentos que entram sem pedir licença...
desejos e fantasias.
Algumas vezes deixo a porta aberta pra ele sair por onde entrou.

Lindo poema.
Beijos

lugirão disse...

Nossa adorei sua resposta para esse anonimo.
Sentimentos ,desejos, fantasias, é tudo de bom, é o que me move.
Fogueira linda, lembra as fogueiras da minha infância na frente de casa.

beijos

Poeta Mauro Rocha disse...

Chegeui!!rsrsrrsr
Ola!! Fiz uma sigela homenagem a você e a todos os que visitam e comentam e gostam dos meus poemas, em fim, espero que goste.

Um abraço!!

Poeta Mauro Rocha disse...

Chegeui!!rsrsrrsr
Ola!! Fiz uma sigela homenagem a você e a todos os que visitam e comentam e gostam dos meus poemas, em fim, espero que goste.

Um abraço!!

vilminha disse...

Que saudades Paula. Uau, depois sou eu que tenho que ir pra Academia Brasileira de Letras né? que isto então, tem cada poema aqui cada sentimento maior. Amiga estou com uma bronquite daquelas, estou acamada desde terça, hoje resolvi passear um pouco nos blogs, mas já vou voltar pra cama. Estou entendendo agora um pouco do que conversamos aqui, estou precisando te mandar e-mail, envio assim que eu sare. Estou com saudades de todos vocês. Estava revendo as fotos e lembrei que não as enviei pra vcs, nem entreguei ainda a do Sérgio, pode isso e ele trabalha comigo. Falta grave esta minha. Bjs que já estão me tocando pra cama, não paro de tossir.

Daniel disse...

Lindo poema. Simples, sigelo e forte. Valeu pela vista ao meu blog. Fique a vontade para ir lá sempre que quiser, pois eu voltarei aqui outras vezes. Bjus.

http://so-pensando.blogspot.com

Betho Sides disse...

Adorei Paulinha...Mas esperar é barra.Beijos

sergio disse...

Hummm..que dizer no momento como esse... só sei que é bom sentir esta saudade que arrebata a alma, mas temos que ter tempo... Deus sabe o momento certo onde tudo acontece e por isso, estamos sendo aprimorados para os acontecimentos. Abraço e bj Paulinha

lane disse...

mesmmo com saudade,tudo q é bom,fica melhor qdo há o encontro reencontro!!bj Paula,obrigada pela dica do livro,vou procurar sim,com certeza vou gostar!!bela resposta a essa pessoa que deve ser uma alma rastejante que nao sabe o que é amor.
tenha uma tarde linda!

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Olá Paula
Obrigada pela visita.
Seu blog foi um deleite no meu dia.
Que m... essa da gnte ficar esperando. Mulher devia vir cm botão on off. Ainda vou escrever sobre isso.
beijo e vê se não desaparece

Everson disse...

A espera é sempre gostosa quando no fim dela, a gente ve o amor voltar, como os olhos brilhando, braços abertos e pedindo pra ficar, e dizendo que é no "seu coração que eu quero morar", muitas vezes real, na maioria delas um sonho, um perigo que vivemos correndo por vontade propria, muitas vezes um suicido da razão, mas pra que razão se a gente tem emoção? Obrigado meu amor pelas palavras de carinho ao Livro, suas visitas e seus comentarios, e a falta que fazem quando voce não tem o tempo pra visitar me, são a resposta de que valeu a pena manter o Livro no ar por esses 3 anos,que verdadeiras amizades eu consegui com isso, e apesar de muitas vezes o estado alterado de consciencia estar em evidencia, o Livro conseguiu levar um poquinho de amor...beijos em sua alma poetica e fique com Deus sempre, tá vendo o Livro, tá no ar ainda porque...TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE E O SENHOR É MEU PASTOR E NADA ME FALTARÁ, fora isso, ele já estaria em estado alterado de consciencia em off...

Poeta Mauro Rocha disse...

Pode levar o poema "Quadro a Quadro na Parede" e colocar no seu blog.Vou ficar muito contente.

Um abraço e Beijo!!

MAURO ROCHA

Layla Lauar disse...

Oi Paula

Ontem não pude vir ...desta vez quem queima sou eu..mas de febre real, destas que podem ser medidas por termômetros...gostei do seu poema, gostei das suas respostas ao anônimo, mas eu nunca os respondo, quem não tem coragem para se identificar, não merece respostas, acho.

beijosss

Anônimo disse...

sempre que falam do Rio, falam em violencia, violencia, só violencia.
Ninguem fala que o Rio é amor, é braço aberto.Deve ser bairrismo, de quem não mora aqui.
Minhas perguntas eram para que suas respostas mostrassem que o Rio de Janeiro, vale a pena.
Parabens pelas suas respostas e volte sempre.

instantes e momentos disse...

Oi Paula, bom como sempre. é bom ler voce.Teu modo de dizer, tua ansia de dizer, tua vontade de dizer.
Maurizio.