domingo, 23 de novembro de 2008

Seu olhar esfomeado
Não respeita as linha e entrelinhas do meu corpo
Ignora as pontuações excessivas
A placa de proibido aproximar-se
Avançou sinais
Atropelou o entendimento
Estacionou nas paralelas do sentimento
Desrespeitou o guardião que afastava a todos
Apitou na profundeza do ser
Acordando a mulher adormecida
 Nos recôncavos das entranhas
Esse olhar esfomeado
Alimenta a sede da mulher em mim
 

29 comentários:

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Paulinha!

Bem, então é dar vazão aos sentimentos despertos e viver essa paixão sem medidas.

Linda poesia, expressão forte do que seja a paixão. Assim entendo.

Um abraço!!!

Vivian disse...

...e num me diga se não é gostoso
ser olhada, admirada, desejada, e degustada assim, por um olhar
abrasador?

...frente a frente
sem nos tocarmos
despindo-nos só com o olhar
imaginava como seria o teu corpo
quais as marcas únicas
que o habitavam
quais os cantinhos mais desejados
o centro do prazer
sentia-te pleno, inteiro
dentro dos meus olhos,
via o teu sangue correr acelerado,
as sutís diferenças na respiração.
senti-me totalmente tua
entregue ao teu olhar.
frente a frente
sem nos tocarmos
fomos inteiros um do outro
apenas num olhar.

muahhhhhhhhhhhh

meus instantes e momentos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
eita disse...

Eita.......feliz do olhar esfomeado que te vê.Feliz de ti..que acordou...

myra disse...

lindo teu blog, e linda esta poesia, um beijos myra

Bandys disse...

Sempre é bom alimentar a mulher que existe em nos.
Voce não acha??


Beijos

Iúna disse...

uma mulher pernambucana e linda, assim não há olhar que resista, os moços desavisados que se cuidem,rsrsrsr

Nanda Assis disse...

uau, muito forte e marcante. sabe que ando meia invocada com esta história de olhar, e adorei a forma que vc descreveu, bem assim que acontece.

bjosss...

Léo Mandoki, Jr. disse...

toda a escrita merece ser lida...e tanto na escrita como na leitura existem riscos inerentes...
1º: depois da palavra escrita ela já deixa de nos pertencer e ganha vida prórpria com a palavra seguinte..
2º: quem lê não consegue prever os efeitos que a palavra escrita provocará nele..
Ou seja:
ser escritor e leitor é uma atividade de risco, porque o espírito fica desguarnecido...
Tudo isso pra te dizer o que?

"Seu olhar esfomeado...não respeita as linhas e entrelinhas do meu corpo"

No instante seguinte em que li isso, as suas palavras ganharam em mim um efeito erótico, imaginei a tua nudez e o teu silêncio à espera que haja a sabedoria suficiente de alguem que te saiba ler na curvatura impossível do teu corpo...

e assim me mantive até ao fim do texto, sem abandonar o sentido erótico que dei as tuas palavras escritas...

e provavelmente não foi essa a intenção das tuas palavras...mas é como eu já disse: as palavras, no instante seguinte em que são escritas, já não nos pertencem mais...nem a nós nem ao leitor...palavra escrita é algo que tem vida própria...Eis o mistério da escrita

beijosss

O Sibarita disse...

Aiaiaiaia... kkk Ô moça, é assim, é? Tá bom... kkkkkkkk

Um poema nas paralelas e curvas dos desejos! valha-me Deus! kkkkkk

Sua menina desculpe a demora em vir, sabe, tô atarefado de serviço e viajando, por conta disso, não tenho ido aos blogs e postando
pouco. Mas, saiba que não esqueço seu blog não!

-Seu moço, que cara sacana! kkkk
-Que cara linguarudo? kkkkkk
-Esse tal do Sibarita, ele desaparece e coloca culpa no trabalho, pode?
-Sei lá se pode ou não? E eu com isso? kkkkk
-Se ligue, ela gente boa...
-Sei que é...
-Sabe?
-Sei, se ela me olhasse, sei não viu? kkkkk
-Xiiii... kkk Você ta cantando a dona menina?
-Eu, eu mesmo? Rpazzz... kkkkkkk

bjs
O Sibarita

yehuda disse...

quem tem fome come
o que mais lhe apetece
um beijo
dois seios
ventre macio
coxas roliças
e repete
sobe desce
e pro fim deixa
o amargo doce
sorvete
lambe com volupia
gostoso pra cacete

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Paula, adorei o teu poema ... L I N D O ... Votos de um óptimo Domingo... Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

Sol da meia noite disse...

Estas tuas palavras dão que pensar.

Sentes que alguém entrou nos teus limites, ignorando os teus sinais de proibição.
Mas sentes em ti um despertar, uma necessidade de alimentares a tua sede de mulher.
Talvez seja chegado o momento de deixares a tua resistência cair por terra...

É bem perturbador este sentir.


Jinhos, deixo * *

Izi e Everson Russo disse...

O olhar aproxima, invade, conquista, rouba, são tantas as peripecias possiveis, o que seria do amor sem o primeiro olhar? sem aquele raio x do coração e da alma....beijos carinhosos e otimo domingo e uma linda semana....

Paulo R Diesel disse...

Vamos Paula.
Transgrida.
Ignore as leis de trânsito e
atropele, passe em sinal fechado,
ultrapasse onde é proíbido...

Beijo

Eärwen Tulcakelumë disse...

O amor tem várias maneiras de chegar ... que este sentimento esteja sempre alimentado.

Pérolas incandescentes de doces momentos entrego em tuas mãos.

Eärwen

Peter Pan disse...

Maravilhosa Amiga:
Um poema "alucinante" de beleza e pureza.
"...Seu olhar esfomeado
Não respeita as linha e entrelinhas do meu corpo
Ignora as pontuações excessivas
A placa de proibido aproximar-se
Avançou sinais
Atropelou o entendimento
Estacionou nas paralelas do sentimento
Desrespeitou o guardião que afastava a todos..."

Hoje, entendo, perfeitamente, porque faz a diferença.
Palavras? Só uma: ENCANTA!
Entende, amiguinha?
Sem mais...
Beijinhos de amizade e respeito.

peter pan

O Profeta disse...

Sensual...brilhante...~



Doce beijo

Deusa Odoyá disse...

Olá amiga paula.
Um belo poema de encantamento.
As vezes amiga, temos que soltar eesa nossa fera chamada
Mulher...
Temos que transpor nossos limites e pudores, e assim nos entregarmos de corpo e alma ao deus do amor.
Abraços amiga.
Se deixe envolver nessa entrega.
Regina Coeli.

Recanto de Sonhos disse...

Que a sede de um e a fome do outro sejam plenamente saciadas.
Muito forte o poema,Paula.Imagino os sentimentos.
Ótima noite de domingo para você.
Abraços.
Amarísio

edson marques disse...

Você tem sede da mulher (que há) em ti?

Sacia-se, sempre, com ela?

Ultrapassa-a?

Ela te basta quase sempre?

Estou hoje questionante... rs!

Adorei o poema!

Abraços, flores, estrelas..

Glayce disse...

Ai, não tô podendo, ando com vontades e vc ainda me escreve esse poema!!!! /o\ hehehhe

Acordando a mulher adormecida...ai, ai!

Beijão, moça do bem!

Uma excelente semana aí na terrinha do frevo!!!! =)

*Carol Carolina* disse...

esse poema caiu como uma luva! perfeito!

vou voltar sempre aqui.

beijos

Vivian disse...

Ego é o centro da consciência inferior, diferente do Eu que é centro superior da consciência.
O Ego é a soma total dos pensamentos, idéias, sentimentos, lembranças e percepções sensoriais.
É a parte mais superficial do indivíduo, a qual, modificada
e tornada consciente, tem por funções a comprovação da realidade e a aceitação, mediante seleção
e controle, de parte dos desejos
e exigências procedentes dos impulsos que emanam do indivíduo. Obedece ao princípio da realidade, ou seja, à necessidade de encontrar objetos que possam satisfazer ao id sem transgredir as exigências do superego.
Quando o ego se submete ao id, torna-se imoral e destrutivo;
ao se submeter ao superego, enlouquece de desespero, pois viverá numa insatisfação insuportável; se não se submeter ao mundo, será destruído por ele. Para Jung, o Ego é um complexo; o “complexo do ego”.
Diz ele, sobre o Ego:
“É um dado complexo formado primeiramente por uma percepção geral de nosso corpo e existência e, a seguir, pelos registros de nossa memória.

...Paulinha linda,
por aqui você entenderá
o EGO.

bjussss

Olavo disse...

Tem coisa melhor neste mundo do que acordar uma mulher adormecida em seus desejos??ah não mesmo..
beijão

Olavo disse...

Como nã foi possivel???rs
pq não desceu??olhar o mar e as pessoas tão de longe assim..não deve..rs
beijão

tossan disse...

Um momento muito especial com esta poesia? Linda! Bj

Gerlane disse...

Ah! Há momentos em que temos realmente de fazer isto: romper restrições, burlar proibições, dar vazão às emoções!

* Beijos, querida!

Jardineiro de Plantão disse...

Paulinha... vai por aí uma paixão desmedida, não existe traço nem barreira que segurem esse vendaval de sentimentos.

Beijos