sexta-feira, 2 de janeiro de 2009



Final do ano se anunciava, cada dia percebia a inspiração para escrever dar os últimos suspiros, assim como morria o ano, findava a inspiração. Ficava triste pelas mortes anunciadas. Não gosto de pensar para escrever, gosto quando ao ler o outro penso e o escrever sai me reescrevendo. Último dia do ano, perdida em mim por não me obedecer. Não respeito algumas ordens que me dou, e na desordem da minha emoção que me liga a emoção do outro, ao escrever de forma poética, sentida, dolorida, questionadora, sigo os passos do caminhar alheio. Sem comando de mim que me guia ao caminho do outro, por estradas enfeitadas de palavras coloridas, pintadas com interrogações pretas luminosas que sinalizam o abismo onde a alma se esconde para não deixar o amor tocá-la e a vida viver. Nessa corda feita de frases bem elaboradas, desço por mim, acordo o “eu”, e as palavras borbulhando vão subindo do meu meio e caindo pelos poros. Entre sorrisos molhados, abraço as minhas palavras que reencontrei nas palavras do outro, que gritavam me chamando, fazendo com eu não me obedecesse. Continuo nessa viagem.......


34 comentários:

PreDatado disse...

A última frase não é a última paragem. É a continuação de quem nunca pode deixar de abraçar as palavras. Quem fica a ganhar? Eu! Eu sou um dos que ganha sentindo o suor de tuas palavras borbulhantes. É tão bom vir aqui

Bandys disse...

Entre sorrisos molhados, abraço as minhas palavras que reencontrei nas palavras do outro, que gritavam me chamando, fazendo com eu não me obedecesse. Continuo nessa viagem.......

E que tua viagem seja feita com emoção!
Beijos

PS:Estava viajando por isso dei uma sumindinha!

Mai disse...

Adorei a tua insurgência...
'Não respeito algumas ordens que me dou'
Adorei isto...
Mas tens mesmo que fazer isto.
Porque nos damos certas ordens absurdas...
Paula, estás escrevendo tão perfeito, que, por vezes, saio daqui pensando... Ah! qualquer dia escreverei assim... lindo assim... simples assim...
Mas a cada dia, sou mais caótica...
Deixa prá lá...

Quero viajar também, contigo.

Carinho, amiga.

Jardineiro de Plantão disse...

Poesia em prosa... ou o lirismo da poeta prosando...

Sem comando de mim que me guia ao caminho do outro, por estradas enfeitadas de palavras coloridas, pintadas com interrogações pretas luminosas que sinalizam o abismo onde a alma se esconde para não deixar o amor tocá-la e a vida viver.


A Escrever em formosa e delicada pena, nos dando um pensamento seguro...

perdida em mim por não me obedecer. Não respeito algumas ordens que me dou,


Mas quem me manda a mim "sapateiro tocar rabecão" e me juntar a tão ilustres 'penas' do pensamento.

Agora que o ano ainda mal gatinha... abraço abraço.

Vivian disse...

...e continuo a viagem,
em meio a esta paisagem
onde tudo me fascina...

boa noite, doce Paulinha!

muahhhhh

Vieira Calado disse...

Gostei do texto, em jeito de confissão.

BOM ANO

para si.

Bjs

Daniel disse...

Também sou anárquico comigo mesmo! rsrs. As palavras nos controlam, e pronto! Tem dois textos meus no O Arroto. Bjus e bfs.

http://so-pensando.blogspot.com

Luciene de Morais disse...

Abrace sim, suas palavras, ainda que as veja no olhar do outro.
E, com ou sem palavras, deixemos o amor tocar-nos e a vida viver!
Beijo, Paula

Léo Mandoki, Jr. disse...

..cmg acontece o contrário...qnd quero escrever evito ler...para não ser influenciado...para mim, elaborar uma boa frase demora tempo e solidão na remington 25...
beijos

Léo Mandoki, Jr. disse...

..cmg acontece o contrário...qnd quero escrever evito ler...para não ser influenciado...para mim, elaborar uma boa frase demora tempo e solidão na remington 25...
beijos

Nanda Assis disse...

sua tristeza tranformada em poesia é lindo!!

bjosss...

tossan disse...

Este teu borbulhar de palavras me faz pensar no meu encontro comigo mesmo. Lindo texto. Bj

Luiz Caio disse...

Oi Paula!
Seu coração, suas emoções, e sentimentos, estão se rebelando... Ou estão tentado te acordar para algo maior que o total controle do seu eu interior,(que é só alma e coração) talves, para tentar evitar a dor (inutilmente!)Reprimir os sentimentos também machuca a gente, e nos põe confuso!

Que lindo este texto Paula... Adorei!


SENSATEZ, OU LOUCURA?
CABE NESTE TEXTO ESSA PERGUNTA... OUVIR O CORAÇÃO, E NÃO OUVIR A SI PRÓPRIA... É SENSATO, OU DESCABIDO?
OS DIABINHOS E OS ANJINHOS, VIVEM SOPRANDO EM NOSSOS OUVIDOS. MAS OS DOIS SÃO PARECIDOS... NÃO DA PARA SABER COM CERTEZA QUEM É QUEM!

COMEÇOU MUITO BEM O ANO MINHA AMIGA... UMA LINDA INSPIRAÇÃO!

TENHA UM LINDO FINAL DE SEMANA!
BEIJOS.

Maria disse...

E ainda bem que continuas essa viagem... de palavras tuas abraçadas...

bjs

L.M Tavares disse...

Nossa...
Fico feliz em saber das causas...
Teu blog me da respostas que me levam a outras perguntas...
Cada visita a teu espaço me vem uma pergunta...
A cada pergunta uma resposta...

um ciclo vicioso de pensamentos, de bons pensamentos...
o melhor de todos os vicios...

Vc me causa um enorme efeito...

Adorei o post...

Abraço...

Boa Vida !

Menina do Rio disse...

Fim do ano, fim do ato, mas a peça continua em cartaz e o público aplaude!
Assim é a vida até que se cerrem as cortinas...

Mais um ano de belos textos pra ti!

Beijinhos e tudo de bom

Quase Trinta disse...

Paulinha.......

E que em 2009 possamos viajar muito através das emoções contidas em seus textos tão lindos..

beijos

Everson Russo disse...

Engraçado, eu tambem não penso muito pra escrever, vai saindo, é de repente, já tentei parar, e escrever, dá na0...rs..rs...penso tambem que inspiração nao acaba, ela se recolhe, eu não sei porque nao consigo escrever nos primeiros meses do ano, sempre tem que passar um pouco, mas esse ano já saiu uma logo no dia um...rs...rs...ta começando diferente......beijos no coração e uma linda tarde de sabado....

Lay disse...

Geralmente eu consigo parar pra escrever, tenho tomado rumos diferentes do que tomava, geralomente escrevo coisas aleatórias mas não sobre mim como antes fazia com tamanha frequência.

Minhas palavras doloridas, sofridas, estas pouco saem agora, talvez por eu estar passando por boa fase, não consigo escrever sobre minhas alegrias, me inspiro quando na melâncolia...

Beijos.

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Paula, gostei do texto Amiga... Bom fim de semana... Um abraço de carinho e ternura,
Fernandinha

Olavo disse...

Otimo ler isso..pq viajo e me perco demais rs
beijão

[ rod ] disse...

Entre idas e vindas... nossos desejos, sentidos e devaneios nos prendem, minam e estouram nossos "ares" de inspiração... enquanto isso vivemos a sonhar.

Abçs moça e feliz 2009...






Novo Dogma:
ceGo...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

FRAN "O Samurai" disse...

Olá Paula!

Siga apenas as vontades de seu coração e desabafe suas escritas de sabedoria...

Palavras podem descrever tudo, tudo mesmo. As vezes elas se escondem em nosso pensamento e dão a graça em nossos devaneios.

Apenas sinta-as...

Me perdi em pensamentos sobre esse texto. Isso é bom.

Beijos e senti falta de visitar aqui. Voltei a minha rotina e de blog novo! Gostaria que visita-se.

temploblogueirospensantes.blogspot.com/

Avassaladora disse...

Paula querida!
Te chamo assim, por te um carinho especial por ti!
Agora percebo o quanto de verdade em seus comentários... rs
Tb escrevo assim... As palavras vão surgindo aos borbotões, e o texto sai quentinho do forno..rs
Não sei elaborar nada!
É emoção que dita as regras...
Mas vc se superou com a beleza desse texto!

Parabéns!!!

Iúna disse...

talvez por isso tudo, eu goste tanto de ler seu blog. bjs

edson marques disse...

Paula,

essa viagem descrita por você é a melhor...

Estou retomando a leitura dos blogs, ainda muito longe da praia, nesta manhã de domingo.

Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.

Abraços, flores, estrelas..

Pena disse...

Ternura Amiga:
Deixo a sua inconfundível beleza e enorme encanto com um extrato de um texto meu:
Neste Ano Novo de 2009, acreditem em Vós e acreditem que há sempre um lugar para a Felicidade.

Sinto perplexidade e espanto quando me assolam pensamentos que advêm de seres infelizes, descrentes de uma felicidade que tarda a chegar, não sei por que razão.

Nem que seja por instantes. Presentes. Pausadamente respirados. Ou sôfregos. Emotivos. Ou frios. Doces. Ou distantes. Ternos. Ou sem ternura. Alegres. Ou tristes.
Mas, intensamente vividos. Plenamente! Repletos de autenticidade. Verdadeiros. Sentidos. Únicos.
A Felicidade também pode ser sofrida. Angustiada porque não surge camuflada, escondida. É real ou sonhada em sonhos bons.

Beijinhos de um sonhador ignorado do mundo...com muito respeito, estima e um "sentir" gigantesco de amizade e encanto pelo que carinhosamente "constrói" com dedicação imensa...
Com cordialidade sentida e sincera

pena

OBRIGADO por existir!

Tatiana disse...

Bom dia Paula...
que bom estar aqui lendo as suas palavras...
Essa ligação com o outro é algo maravilhoso que nos acrescenta e muito!
Uma bela semana para vc!
Beijinhos

Everson Russo disse...

Minha adorada poetisa, venho deixar meu carinho de sempre, desejar a voce um otimo domingo, uma semana cercada de amor, poesia e paz, e que Deus esteja sempre contigo...amanhã começa tudo de novo pro Livro dos Dias, vamos ver no que dá..rs..rs...beijos em sua alma,,,

FERNANDA & ASTROLOGIA disse...

Querida Paula, vim reler-te e desejar-te uma Boa Tarde de Domingo, um grande abraço de carinho,
Fernandinha

F'Oliveira disse...

continua a seguir os teus sonhos :)

Beijos

O Sibarita disse...

Sei não, viu fia? kkkkk O reencontrar faz parte da caminhada, né não? kkkkkkkkkkkkk

Bom texto Paula!

bjs
O Sibarita

Amarísio Araújo disse...

Belo texto,Paula!
Que você continue nessa viagem,com as palavras caindo pelos seus poros
e chegando até nós...
Abraços.

Sol da meia noite disse...

Estamos sempre a reescrever a vida.
A reescrevermo-nos.

Beijinho *