domingo, 25 de janeiro de 2009

foto Paula Barros
A andarilha pensando...
Será amor? O que é amor? Nunca soube o que é azia. Não por não ter sentido, talvez. Mas por não saber definir. Assim é com o amor. Tá vendo você. Por ausência de suas palavras na minha casa e excesso de palavras na sua, transbordo imaginação. Faltou o vinho naquela festa, aquele rapaz transformou água em vinho. Me faltam palavras suas, transformo ausência em palavras. Todos saboreiam como se bebessem vinho, se embriagam, eu me embriago com a sua ausência, com as suas frases, todos ficam tontos e pensam que é amor. Aquele rapaz falava por parábolas, anos depois muitos não entendem. Falo uma língua que os seres do meu planeta não entendem. Acreditam, veem e sentem o amor. Será isso bom? Esse amor pode atrapalhar um verdadeiro amor? Aquele rapaz falava de amor e ninguém entendia. Eu apenas converso com você, comigo e com Ele, o rapaz simpático, escrevo e pensam que é amor. Se o amor invadir os corações e trouxer mais amor. Que seja amor. Insisto que não é amor. Só transformo imaginação e ausência em palavras. Só isso. No dia que você vier e beber das minhas palavras embriagadas, talvez eu fique lúcida. Nem quero mais que você venha. Pode ser que o barril seque. E a festa se acabe. Fica onde sempre esteve. Eu vou sempre por aí. Adoro viajar.....

37 comentários:

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Paula!

Viajar é bom, renova as imagens e o espírito.
E há sempre a expectativa de algo novo acontecer pelo caminho.
Muito amor nessa viagem e um seguro regresso.

Um beijo com carinho!!!

Alisson da Hora disse...

Eu só sei o que é azia.

Vivian disse...

...beber da águas do amor,
é sempre muito bom.
é ela que nos faz movimentar
as emoções, renovar os sentidos,
achar graça da vida, rir para
o nada e por nada.
andar com a felicidade.

vou contigo nesta viajem..

muahhhhhh

Bill Stein Husenbar disse...

Viajar é renovar a alma.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Uma aprendiz disse...

Oi, Paula

Saudades de estar por aqui.

Eu bebi dessa água transformada em vinho. Matei minha sede. Vivo embriagada por ela. É amor, sim.

Muitos ainda a chamam de água, que seja. Mas ela lava, limpa, alegra a alma.
Prefiro chamá-la de amor.
Amor que viaja, assim como você.
Que invade os espaços, comove, faz refletir.

Outros vão continuar dizendo que são só palavras. Mesmo assim, arrisco todas as minhas fichas: é amor.

Nem precisa definir. Nos leve nessas viagens.


beijos
bom dia!

Raíza Rocha disse...

Falemos então do amor
que derrama e afoga os amantes distraídos.
Falemos desse amor
que assume os riscos do beijo,
que salta os olhos e se reconhece canção.
Falemos do amor presente,
sem eternidades
que traz o vento em ritmo de último tango.
Falemos, amor
com o coração gaguejando na boca
do nosso amor sem metades
que é sede e saliva.

( Raíza Rocha)

Mai disse...

PAULA......

M A R A V I L H A!!!!!!!!!

Amiga que coisa linda esse teu texto.
Eu abri um sorriso que se manteve do início ao fim.
Yes!
Eu sei o que é a minha asia e o que é o meu amor...
Sabes o teu? Não?
Também adoro viajar...
E agora mais que antes eu sei que viajar junto contigo deve ser bárbaro.

Besta de quem perde.
Me liga e vamos marcar logo isso.

Beijos Zil...

Sophie Rennée disse...

sofro de amores... quem pode me culpar ao ler minha história com Bill Stein?

Fernanda disse...

Viajar é sempre algo legal...
sempre nos faz bem...
mas sinto que as palavras dessa andarilha estão meio tristes...
espero que ela siga viajando sempre,com um lindo sorriso no rosto.

Pelos caminhos da vida. disse...

Tem premio la para vc.

beijooo

Sophie Rennée disse...

Pois é. São muitos os amores... Mas o meu amado Bill transcede o tempo e o espaço.

Fábio Mayer disse...

Tenho uma foto idêntica à esta, tirada exatamente do mesmo lugar. Caxias do Sul é uma cidade lindíssima!

Maria Dias disse...

Hum...

O rapaz da festa te fez prender os pensamentos nele e vc vê q pode deixar de pensar no moço de longe com palavras q te encantavam e prenchiam o coração... Paula!Isso é maravilhoso!rs...
Tua tempestade está já passando e que venha o frescor da Primavera!
Um brinde ao moço q transformou água em vinho e fez teus olhos brilharem!Tudo a sua hora e tudo a seu tempo...E sei bem o q é isso!rs...

Super beijos!

Maria

Everson Russo disse...

Comecei a rir aqui sozinho lendo seu comentario , enquanto meu blog abria arrumava casa, fiquei desenhando a cena na cabeça, um rodo, um pano de chão, detergentes, agua, um computador e um blog com html pesado, e uma poetisa, não sei se voce reparou, mas tem tudo a ver, blog, rodo, pano, poetisa, agua, detergente, dai voce deve estar se imaginando, agora o lunatico pirou de vez, mas não, são as coisas simples e descabidas que nos inspiram, uma janela por onde vemos a rua, uma estrela, uma pessoa, um sorriso, e porque não todo esse aparato de limpeza, eu tenho comigo que o nosso blog mundo consegue esse interação, alem de nos interessarmos pela escrita, por tudo que a rodeia, acabamos por contar nosso cotidiano, nossa vida, e até nossos pequenos passos, adorei saber que meu blog agora tambem ajunda nos afazeres domesticos..rs..rs..Mas passando ao seu post, eu acho que o amor é o contrario, mesmo se a gente nunca teve, imaginamos como uma coisa boa, quando alguem diz a voce a respeito do friozinho da barriga ao esperar por alguem, da sensação daquele momento do encontro, do primeiro beijo, da falta que alguem faz pra alguem, penso que mesmo não tendo vivido a gente ao menos imagina, é gostoso sempre imaginar, fantasiar o que é bom, é nós que somos andarilhos da vida vamos captando cada segundo pra levar ao nosso mundinho, quanto ao que voce disse sobre os romances que dariam meus textos com a possiblidade de mudança de finais, eu não sei..rs..rs..normalmente quando me vem algo a cabeça o final já tá demarcado, isso eu digo tanto em letra quanto em musica, mas enfim, se voce souber de alguem que se intersse pela minha "obra", rs..rs..rs..quem sabe eu não fico famoso um dia?...obrigado por todo o carinho e paz que me transmite diariamente, beijos no coração e na alma e um lidno domingo com uma semana muito abençoada....

Maria Dias disse...

Repensando a Andarilha...

Mas vendo por outros olhos, sim houve um rapaz q falava de amor e transformou água em vinho e este amor está vivo até hoje... Ah Paulinha vc me confundiu as idéias viu?rs... Mas ainda assim escreve lindamente... Devia escrever mais destes textos moça...Vou lá em baixo pq adorei a cara desta girafinha!rs...

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA PAULA, BELÍSSIMO TEXTO... DESEJO-TE UM MARAVILHOSO DOMINGO... UM ABRAÇO DE CARINHO E AMIZADE,
FERNANDINHA

Pedro disse...

Há coisas que não precisam de definição...

Opuntia disse...

Ainda bem q podemos transformar imaginação em palavras, isso nos ajuda a suportar a ausência d quem queremos presente.

Paula, busque em meu espaço uma brincadeira q deixei p/ vc.

Bjos

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Oi Paula
Fico feliz que tenham mais flores que espinhos na sua vida. E quando a realização dos seus sonhos te trouxerem ao Espírito Santo, estarei à sua espera!
Sabe, esse Rapaz que transforma água em vinho... bom beber da Sua fonte...
beijos e uma semana iluminada

Gilbamar disse...

Uma interessante introspecção reveladora, um texto significativo e inteligente. Impossível não gostar.

Fraternal abraço do amigo Gilbamar.

Lipe M.T disse...

Linda...

Eu queria mt ter o que falar...
mas a unica coisa que veio a mim foi uma vontade enorme de chorar por que sei que amo e sei que sou amado...

Mt obrigado pelo texto e pelas emoçoes...


Abraços !

•.¸¸.ஐBruneLLa Tigress disse...

Essa série está simplesmente o máximo!
Eu tbm adoro viajar... Mas é bom ter para onde voltar!

beijos e borboleteios

Sophie Rennée disse...

Não, querida Paula Barros, esse amor não é para ser falado, como vc disse, é apenas para ser sentido. O destino se ocupou de nos afastar, a mim e a Bill. Agora cultivamos apenas as palavras de amor.Na verdade, seguimos, ambos,felizes em nossas vidas diferentes. mas gostamos de compartinlhar essa linda, fantasiosa e inesquecível historia de amor.

Simples Assim... disse...

Passando rapidinho pra deixar um "oi". Volto mais tarde pra comentar.

P.S.: Se não ia dar tempo de comentar por que passei? Pra te deixar um "oi", oras... rs. Bjin, querida!!!

PreDatado disse...

Eu gosto das suas palavras e das sua metáforas. Só nunca tinha pensado que quando estou com azia isso é amor :) brinco :)

Marisol disse...

Incompleto

Não lembro de você
quando acordo,
quando meus braços
abraçam o vazio,
sem ouvir tua respiração
e o travesseiro
está solitário.
Não lembro de você
enquanto tomo café
e teu sorriso
não desperta meu dia
com a tua beleza
e imensa alegria.
Não lembro de você
no silêncio da cozinha,
na louça na pia,
na casa desarrumada,
no vento
que faz dançar a cortina,
nos segredos que não trocamos
e na vontade que não saciamos.
Não lembro de você
nos lapsos do trabalho,
nas surpresas que guardo
e não posso te dar,
nas histórias que vivo
e não posso te contar.
Não lembro de você
quando saio à rua
e tua mão
não segura a minha,
quando vejo os casais apaixonados,
as crianças brincando felizes
e qualquer coisa
parece ter tua forma.
Não lembro de você
ao anoitecer,
na casa vazia
que ecoa minha solidão
e não transforma
a noite em festa
que só tua cumplicidade
pode me dar.
Não lembro de você,
eu te sinto,
a todo instante,
como a parte
mais bela de mim
que os clarins evocam
mas a vida,
em seus labirintos,
me deixa viver
incompleto.

Cristian Ribas

Luiz Caio disse...

Oi Paula!

Não há ninguém melhor do que nós, para saber o que realmente se passa dentro de nós. O amor é atrevido, e não avisa quando vem... E viajar é bom demais!

TENHA UMA ÓTIMA NOITE!
BEIJOS.

Allyne Alves [LynneHouse] disse...

Também amo viajar, conhecer pessoas, lugares e costumes novos!

Alias, to morta de saudades do sul...

Beijao Paula!

Diogo Caceres disse...

Oi Paula, boa noite!!!
Quem agradece sou eu por seu carinho, vc é 10 amiga!!!
Ah o amor, sempre vem nos despertar para a vida... nos faz questionar, procurar, trabalhar e enfim constantemente caminhar, como sempre faz, por que amar é tb estar em constante movimento, renovação!
Embora outros possam, ainda, não partilhar de nossa busca, dia mais cedo ou mais tarde, todos se deixam envolver nas brancas asas do amor!!
Excelente postagem amiga e sua noite seja rica de muito, muito amor. Abraço!!

Amarísio Araújo disse...

Paula,

Mais um lindo texto da andarilha.As
sua palavras certamente embriagam.
E lúcida ou não,continue a viagem,
buscando não a definição do amor,
mas os sentidos do amor.
Beijos.

Simples Assim... disse...

Quando li seu texto me lembrei de uma idéia que tenho e não sei explicar bem. Mas vou tentar. Acho que há uma força em cada um de nós que nos faz ter vontade do outro, vontade da vida, vontade de nós mesmos. Não é um sentimento por uma pessoa em especial, mas por todos, por tudo. Essa sempre foi a minha forma de encarar o amor. Pra mim, o amor é isso. Pois só esse sentimento pode ser tão engrandecedor, desprendido, generoso, "durável". Não quero dizer que não podemos sentir muitas coisas por uma única pessoa (tão fortes e intensas quanto), só não chamo de amor. Inclusive, penso que algumas pessoas só percebem toda a sua capacidade de amar (os outros, a vida, a si mesmas) quando se deparam com alguém que as faz ser mais sensível, as faz se perceber melhor. Daí, elas acabam pensando que foi essa pessoa que gerou o sentimento, não percebem que o sentimento sempre esteve ali, guardado. Loucura? Pode ser... rs.

O fato é que quando li seu post, foi nisso que pensei. É curioso como ler alguém pode fazer brotar em nós as palavras que procurávamos mas não encontrávamos pra expressar certas coisas. Vc faz isso comigo. Que bom. Bjin, querida.

Quando li seu post, especialmente

Sol da meia noite disse...

A definição do amor, está em senti-lo.
Penso que não existam palavras que o definam.

Belo texto. Excelente!


Jinho *

Dona Sra. Urtigão disse...

Viajar e amar...

Dona Sra. Urtigão disse...

Viajar e amar...

Vict9r disse...

uau, tenho que vir ai mais vezes...

Se isso nao é amor, entao o que é?!

Jardineiro de Plantão disse...

No emaranhado das palavras, se encontra a lucidez "de pensamentos e devaneios"... A subtileza das palavras, demonstra numa forma muito própria o que o jugo do amor em si promete.

"Eu apenas converso com você, comigo e com Ele, o rapaz simpático, escrevo e pensam que é amor."

Abraço

Jardineiro de Plantão disse...

Na correria... das palavras me esqueci... a Foto é deliciosa... aquele tonel, feito pórtico de entrada é fabuloso.