domingo, 18 de janeiro de 2009

imagem deste local
Sinto falta do seu aroma no meu jardim Do seu brilho no meu céu Do entralece das minhas palavras com as suas Suas palavras me adentram, passeiam por mim Mergulham no meu ser Bate forte as pernas na minha alma Molham as meninas dos olhos Se você cria pontes E me ligou a você Não entendo porque não atravessa a ponte até mim Se você é artesão E fabrica redes com fios de emoção Não sei porque não vem se deitar nas redes que tramo Ah, não entendo Pisas tão leve Tem um cheiro inquieto Uma batida arrítmica do coração Um pensar anti horário És um peixe grande Não consigo pescar Não cabe na minha rede Nem no barco Não gostas de navegar nas minhas águas Sigo tão acompanhada Mas enquanto não beija as minhas flores Nem colhe o meu perfume Me sinto só Te expio por cima do muro Assobio chamando Sento na tua grama orvalhada Respiro o imaginário Sorrio orvalho Choro pétalas amarelas Suas palavras me abraçam......

(Só lembrando essa série não é amor...)

43 comentários:

Gilbamar disse...

Você maneja as palavras de uma forma tão delicada e sensível, tão fascinante e terna que aos nossos olhos são como estrelas sorrindo na escuridão celeste e falando coisas que gostamos de ouvir. Gosto muito desse seu jeito de escrever.

Fraternal abraço.

Pedro disse...

E fique sabendo que suas palavras nos abraçam... Tão boas de se ler.

Mai disse...

Paula,

por onde andou esta andarilha?
Em qual céu e mar brilha este olhar?
Bem se esta inspiração te move a escrever tão bem, espero que esteja perto de ti.

Carinho, querida.

Cacau disse...

Belas palavras, que nos abraçam ao lê-las.

Não é de amor? Pois me pareceu muito. rs

Beijos e ótimaa semana

Vivian disse...

...pode não ser amor.
mas é um caminho para
se chegar até ele,
quando deixamos que
fale o coração.

bom dia, 'magic Paula'

sssmackssss

Nanda Assis disse...

lindo demais que eu ate mandei pro meu marido, que ta viajando. ai que saudades dele viu paula.

bjosss...

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Palavras que abraçam... Essas são bem especiais!
beijos e borboleteios

Léo Mandoki, Jr. disse...

...nao entendo...isso me ultrapassa...se não é AMOR é o que???
...
um manifesto comunista? um telegrama comercial dos anos 80? uma ordem de serviço da adminsitração publica?
...
me explica como se eu fosse uma criança de 5 anos...É o que?

Maria Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Dias disse...

Paulinha...
Tb nunca entendo quando fala q não é amor no final (olha, pode nao ser amor agora, mas me parece q foi amor no passado.Estou certa? rs...
Me perdoe, mas fui na pilha do Mandoki e lembrei q já li isto antes!Menina menina!Abre o jogo pra gente!
Vc é uma mulher intensa Paula!

Beijo!

Avassaladora disse...

Paula Barros!
Vc está se superando com esses poemas!
Menina, a gente tem que entrar aqui com uma caixinha de lenços...
Porque dá uma vontade danada de chorar... e eu ando tão chorona...
Ah, os males do amor... Quero o remédio para esses males!

Beijos e carinhos!


PS: Tenha uma linda semana!

As Chamas do Fénix disse...

Com este texto senti o abraço.. o toque das tuas palavras em mim...Parabéns

Uma Grande Chama para ti...Beijos

Vanessa David disse...

Lindo, lindo!

QUE AS PALAVRAS NOS ABRACEM SEMPRE!

Beijos!
Vanessa David.

Déia Arakaki disse...

Bom dia Paula...

Poxa .. como ja foi dito aqui várias vezes rsrs..
Se não é de amor.. me fez entender que sim rs.
Mais de qualquer forma são palavras que realmente nos abração, nos fazem viajar em cada sentimento descrito..
Mui belo!!

Beijos e linda segunda feira!!

Valter Montani disse...

Olá Paula, tudo bem?

Eu fiz alguns Selos para os Blogs amigos e parceiros, estão no link abaixo, esteja a vontade para aceitar ou não, mas não deixe de dar uma olhada, bjs e boa semana.

http://valterpoeta.blogspot.com/2009/01/meus-presentes-para-seu-blog.html

PreDatado disse...

Oi Paula

Se isso aí não é de amor, o que será o amor.

Essas palavras lindas, ternas e doces, colocadas desse jeito só pode ser amor, mesmo que não seja de amor.

Verônica disse...

Sabe que eu tô meio sem jeito pra falar dessas coisas, de amor, de saudades, de solidão, no momento eu só sei sentir, mas muito lindo o seu post...
Tenha uma ótima semana!!!
Beijossss

caurosa disse...

Olá Paula Barros, que todos os caminhos e formas de expressão que o ser humano criar, levem e transformem em momentos de felicidades que nos levarão ao amor pleno e real. Minha cara, as atividade corporais devem ser realizadas em lugares agradáveis como os que você tão bem capta em suas imagens fotográficas. Tire um tempinho para uma boa caminhada em um bela praia de sua linda região.

Saúde e paz,

forte abraço


caurosa

Luciene de Morais disse...

Suas palavras me tocaram, Paula.
Parecem a emoção que sinto quando escuto a música tema (não lembro o nome desta) do filme "Carruagens de Fogo".
Como uma saudade de algo que não foi vivido, que nunca se teve, mas que parece que se conhece, e é tão anelado!
E, de tão antigo, as pétalas do choro já se encontram amareladas...
Talvez uma falta do que nos complete... desde sempre.
Talvez não diga respeito a ninguém, enquanto outro, mas uma busca pessoal...
De si para si, que se deseja tanto, mas que não se alcança, por mais que sonhe, por mais que chame, ou assobie...
Há esperança, e uma certa impotência, não se consegue pescar, ou falta de fé, não cabe na rede ou barco, em encontrar, por que é muito maior, peixe grande, do que julgamos poder ou merecer...
Talvez seja amor, não hoje, mas quando chegar...

Jardineiro de Plantão disse...

(Só lembrando essa série não é amor...)

Então o que é? Um novo "Cantar" de amigo ou nova "Cantata" e por amor...
Me lembrei de um Poema de Augusto Gil... um dos mais belos poemas em Língua Portuguesa...


Batem leve, levemente,
Como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
E a chuva não bate assim.
.............

in "Balada da Neve"

Abraço

Bandys disse...

Paula,
Se não é amor é o que??

Muito lindo!!

beijos

TODO NOSSO disse...

q lindo,a imagem as suas palavras sao lindas!!!!
bjssss
lane

FERNANDA & ASTROLOGIA disse...

QUERIDA PAULA PODE NÃO SER DE AMOR MAS É O CAMINHO PARA CHEGAR PERTINHO DELE... A SENSUALIDADE DAS PALAVRAS NÃO DESMENTEM O QUE DIGO... ADOREI AMIGA... UM GRANDE ABRAÇO DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

Diogo Caceres disse...

Oi Paula, aproveitou bem o fds?
Linda postagem amiga... p/ mim foi usado de muito amor p/ escrever essas linhas... ha muitos tipos de amor... o importante é viver cada momento c/ intensidade e sinceridade!!! Tudo nessa vida passa, menos o amor que depositamos naquilo que fazemos!!
Sempre lindo seu blog... grande abraço!!!!

O Sibarita disse...

Ô moça andarilha! kkkkk Se rete comigo não! Baiano é assim mesmo, no fundo acho isso tudo divino e maravilhoso... kkkk

Então fica combinado assim: você continua escrevendo a série "ANDARILHA" (muito porreta por sinal)dizendo continuadamente que não é amor, e eu que tenho o miolo mole e a cabeça murcha: leio, gosto, reflito e continuo achando que é amor!

E ai, tamos combinados Fia? kkkk

-Moço qual é o caso dela?
-Como vou saber fio?
-Ela é andarilha... kkk
-Ô, é? Que bom!
-Por que bom?
-Ah, você não sabe sou tão andarilho quanto ela?
-Então... kkkkkk
-É. Arrepare que estou conversando com você mais nas minhas costas está minha mochila completinha, com barraca e tudo mais...
-É... tem razão e que mochila retada de grande véio!
-Sabe, sou um sujeito precavido...
-Oxente! Não entendi foi nada! kkk
-Não? Ela não é andarilha?
-É!
-Ela não está acampada aqui nesse blog?
-Tá!
-Então?
-Então o que?
-Pô, cara burro da zorra, Ave Cristo! kkkkkkk
-Burro, eu? Assim, você já está me ofendendo e ai não vai dá boa coisa não! Pico a porra em você sacana!
-Peraí, se rete não! Cabeça de gelo! kkkk Oi entenda, já que estou com tudo na mochila vou acampar... kkk
-Acampar? Oxém, onde?
-Aqui mesmo! kkkk
-Aqui?
-Sim! kkkk
-Meu Deus! A moça não vai se retar não?
-Vai não! É gente boa... kkkk
-Xiiii... kkk Oi fique ai armando sua barraca que vou é me picar, esse negócio não vai dá certo, aiaia... kkk
-Ei, me ajude aqui!
-Ajudar o que meu irmão? Me tire desse bolo, fuiiiiiii... kkkkk
-Cara sacana, um peso retado essa barraca, me ajude aqui vá! kkkk
-Se lenhe sozinho! kkkkkkkkk

Bjs
O Sibarita

João Videira Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Videira Santos disse...

Depois do seu comentário (que agradeço) impunha-se vir visitá-la.
Gostei do que li.
Gostei de saber que é do Recife (que conheço).
Aliás, conheço um pouco e gosto do Brasil.
Que mais? Volte sempre.
Estarei por aqui.
Beijo

19 de Janeiro de 2009 12:18

Olhos de mel disse...

Paulinha, não sei porquê, mas parece que caminhamos sempre para um lugar mais distante da pessoa que amamos. Mas faz parte! Linda prosa poética! Sentida e tristinha...
Que sua semana seja de realizações!
Beijos

Sininho disse...

Querida Paula, essa série pode não ser amor, mas adorei o abraço das suas palavras e o da foto.
Boa semana com muito carinho, paz e alegria.
Beijinhos carinhosos e abraço meiguinho.

Pelos caminhos da vida. disse...

Seu espaço esta perfumado e florido.
Adoro vir aqui seus poemas são lindos.

Otima segundona amiga.

beijooo.

yehuda disse...

no seu jardim
sou não há espaço
pra mais um,
zum zum zum
tenha calma
a qualquer inesperado momento
caio de paraqueda com meu bumbum
e acabo com esse ziriguidum
bum!

Everson Russo disse...

Um cheiro inquieto, te espio por cima do muro, é simplesmente lindo, muitas vezes a gente joga os versos pelo ar e fica imaginando a pessoa amada (mesmo voce dizendo que não é amor) o poema é amor, houve um segundo de amor pra escrever, mas enfim, a gente fica esperando que o peixe grande fisgue nossa rede, que a flor mais bela no jardim, finalmente floresçã, a gente fica perguntando pro coração, será que é de verdade dessa vez? é muito bom sentir, é muito bom sonhar....beijos mil pra ti, tenha uma linda tarde e uma semana de muita poesia e que esse peixe grande, caso não seja fisgado, ao menos encalhe em sua praia..rs...rs...paz, muita paz....beijos

Marcelo Martins disse...

Embora não seja da série "Amor" caberia muito bem nela.
Saudades tem sido uma constante na minha vida ultimamente, por isso vejo essas palavras como uma bela declaração de amor a alguém que, de alguma forma, nos completa.

Beijos meus

poetaeusou . . . disse...

*
sinto falta
de mais poemas como este,
,
conchinhas, deixo,
,
*

Simples Assim... disse...

Oi, querida

Que foto linda. Palavras... palavras... palavras... Sabe o que acho? Isso não é mesmo amor. Alguns sentimentos não cabem em verbetes de dicionário. E olha que gosto deles (deu pra ver no último post, né?)... rs.

Sempre que leio o que vc escreve sinto uma força enorme que sai das suas palavras. Mas não é daquela força que arrebata descaradamente, é uma força que chega de mansinho e vai entrando pelos poros, dominando sem pesar, sabe?

Enfim, já sabe, né? Gosto muito daqui. Bjin !!!

P.S.: O domingo foi bom. Mas sinto que têm acontecido mais coisas do que venho conseguindo processar. Às vezes, tenho vontade de me pedir pra andar mais devagar pra eu mesma poder me acompanhar... papo de doido... segunda-feira é f... rs.

Luiz Caio disse...

Oi Paula!
É dificil para o poeta, ou poetisa, escrever poemas sem confundir... Aos leitores e, às vezes, a ele/a próprio/a... É como bem disse Fernado pessoa, numa frase assim, ou quase assim, que me lembrei agóra:

O POETA É UM FINGIDOR. E FINGE TÃO PROFUNDAMENTE, QUE CHEGA A FINGIR QUE É DOR... A DOR QUE DE VERAS SENTE!

TENHA UMA ÓTIMA SEMANA!
BEIJOS.

Zek disse...

Pois é , a peixes que não podemos pescar... então que vivam no mar, e que os vejamos todas as vezes formos navegar!!

PS: É facil ser como eu tendo amigos como você.

Beijos

tossan disse...

Vc caprichou nesta hein! Nota mil x100. Muito bonito este sonho de texto Paula. Bj

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Paulinha!

Artesã que burila palavras, lapida almas tornando-as diamantes.

É o que posso dizer de você.

Um beijo com carinho!!!

Daniel disse...

Não páro de me maravilhar quando venho aqui. Quando penso que já li coisas lindas, você me vêm com esse texto lindíssimo. Olha, não sabes o quanto fiquei feliz de tê-la ao meu lado na Casa do Poeta. Tens uma capacidade de surpreender que é tamanha! (...). Parabéns!!! Bjus e boa semana.

http://so-pensando.blogspot.com

Rodolfo de Sá Cavalcanti disse...

Pô, amiga, essa dor que vc tenta esconder entre as linhas, só não sabe o que quem nunca viveu...

O grande detalhe está na foto do flanboyan vermelho que vc colocou no topo do blog: observando-se demoradamente, capta-se beleza, sensibilidade e uma energia... A cor vermelha e o enquadramento que você deu... diz muita coisa...

Sol da meia noite disse...

É angustiante quando nos falta o que daria sentido a tudo...

Beijinho *

lucas disse...

Você desenha o que escreve e isso é algo que poucos poetas conseguem fazer na mente de que os lê. Você é profissional, precisa acreditar nos elogios que recebe, pois são merecedores.
Beijos de poeta.

Do maior admirador de sua arte.

Lucas Matos