segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009



Tire de mim
Meus medos e receios
Tire de mim
As minhas inseguranças
Mas não corte as minhas asas
Preciso voar
 Pegar o ar e pintar os meus anseios
Preciso das lágrimas de emoção
Para regar meus sentimentos
Não me tire mas do que o necessário para o meu crescimento
Posso morrer
 Definhar
Se podar as asas da imaginação
Secar as penas do sentir
Sufocar o carinho
 Aprisionar as fantasias e o poder de sonhar
Vou perder as folhas verdes da esperança
O brilho do olhar
E morrer....
Apenas me deixe sonhar
E voar....


45 comentários:

Maria Dias disse...

Menina!Estamos as duas voando?Nossa Amei este vôo teu!rs...

Beijinho

Codinome Beija-Flor disse...

Paula,
É de faltar o fôlego, quando a gente lê o que você escreve aqui.
Minhas palavras são pequenas perante a beleza das suas.
Vou me socorrer de uma canção, para combinar com o que você deixou aqui.
Bjos

"Voa, voa minha liberdade
Entra se eu servir como morada
Deixa eu voar na sua altura
Agarrado na cintura
Da eterna namorada

Voa feito um sonho desvairado
Desses que a gente sonha acordado
Voa, coração esvoaçante
Feito um pássaro gigante
Contra os ventos do pecado

Voa nas manhãs ensolaradas
Entra, faz verdade esta ilusão

Voa no estalo do meu grito
Quero ser teu infinito
Neste azul sem dimensão
Voa..."

Café da Madrugada® Lipp & Van. disse...

Me lembrou a história do pássaro preso na gaiola, que parou de cantar, as penas caíram e morreu.

"(não estou triste)" hahaha. Que bom que avisou. Já sabia que receberia inumeros comentários perguntando "o que houve?"

Adorei o poema! Adorei.
Nossos sonhos nos movem, impulsionam!

Van.

Avassaladora disse...

É, amiga...
Gostei da observação pequenina no final da página...rs
Mas é díficil escrever algo tão genuinamente belo assim, sem um pontinha de dor, ou saudade!
Mas como és uma poetiza de primeira, tudo é possível...rs

Já dizia o Grande Poeta!

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

Beijos e carinhos!

Mai disse...

Não tiraria nada em ti. Tira tu.

Beijos,

Mai

Daniel Savio disse...

Bela poesia, que une a figura da ave com a liberdade...

Fique com Deus, menina Paula.
Um abraço.

Olavo disse...

Você já faz um belo voo..
Linda poesia..perfeita.
Beijos

Pelos caminhos da vida. disse...

Aproveitei e peguei uma carona com vc nesse voo,muito lindo Paula.

beijooo.

Paulo R Diesel disse...

Voe Paula, voe

Nanda Assis disse...

espero que vc voe e sonhe sempre pq a cada dia sempre compõe coisas lindas que nos servem em algum momento da vida.

bjosss...

tossan disse...

Paaaaaula! Que lindo! Foto e poesia que vem lá do fundo d'alma! Beijo

Coloca sua máscara para sobreviver.
Sorri, chora, fica brava, faz pirraça.
Desnorteada sente que vai enlouquecer
e como palhaço acha graça da desgraça.
No picadeiro da vida faz malabarismo,
mágica e se arrisca no globo da morte.
Sofre inquieta sem entender o absolutismo,
o desmando de gente que se acha forte.
Parem com esse falso espetáculo,
deixem que a máscara do palhaço caia,
que consiga atingir seu pináculo
mesmo que só consiga vaia.

desconheço o autor,
se alguém souber... Bj

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Paula!

Que o vôo seja bem alto e seguro.

Um beijo com carinho!!!

Fernanda disse...

porque as asas existem por saberem que queremos [e precisamos]voar^^
e é muito triste termos que corta-las
porque o mundo nos espera=)

Dauri Batisti disse...

O sonho preciso ser pego em laço de amor. Talvez seja preciso fazer um laço com ele, uma parceria. Talvez seja preciso traçar com ele uma rota de voo e então voar.

Beijo.

Grace Olsson disse...

coincidënciaÈrscrevi sobre Fernao Capelo gaivota.beijos e dias feleizes

Marrí disse...

Pleno voar°

eu assino, deixe-me voar...

Fabrício disse...

Não cortemos o que Deus nos deu.

Belos versos.

Elcio Tuiribepi disse...

Triste não...apenas escreveu com a alma, segurando a lágrima, chamando o riso...um abraço na alma...

vagabundo disse...

e como Lindo é o seu voar!...
como poderia suas asas cortar,
se também nelas voa a minha imaginação?!
tiro-lhe sim, seus medos e seus receios;
contando-lhe que com a cor dos seus anseios,
há muito me pintaram...
o coração.


livre como um sonho de criança,
de verde sempre se te pinte a esperança,
e também livre te brilhe,
o olhar...

e quando voares nas penas do teu sentir
que a fantasia te faça sorrir
e seguro faça teu voar.

bj,

(gostei muito)

Déia Arakaki disse...

Oi Paula !!
Linda foto lindo poema adoro como se utiliza de métaforas para fazer poemas e poesias tão singulares!!
Parabens!!

beijos

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

...O brilho do olhar...
Lindo!

Poeta Mauro Rocha disse...

Gostei do (não estou triste).Muitas vezes escrevemos situações que são cotidianas e que não há referência a nossa pessoa e todos pensam: "poxa ele(a) está desse jeito, tadinho(a)" .O texto está ótimo e voar nessa imaginação tão real e às vezes surrel é que me faz passar por aqui e apreciar belos textos.Parabéns

Olhos de mel disse...

Oie linda, não triste, mas um momento reflexivo que resultou nessa linda prosa poética! Esses medos eu os tenho e também queria me curar, mas faz parte.
Boa semana, bom carnaval!
Beijos

Franzé Oliveira disse...

Voar é bom. Brigado pela visita. Não avisei a ninguem da homenagem, viu? (risos). Fiz pq quilo. Mas vc é importante. Bjos de todo meu coração.

Juliana disse...

tie de mim
o peso da responsabilidade

D.Ramírez disse...

Que voe sempre infinitamente ate onde vc achar q deva, mas nao esqueça de passar por aqui, quero ve-la bem, sempre.

besos

Everson Russo disse...

Deixe me voar, sonhar, é tudo que a gente precisa pra viver, é o alimento pricipal da alma, acho interessante no seu modo de escrever, e eu acredito nisso é claro, que voce fala de amor, dirige o amor como se a algum coração, e coloca entre parenteser, não é amor, voce fala de tristeza e diz, não estou triste, eu penso minha amiga, que é o unico ponto em que fugimos aquela sintonia, eu sou exatamente o que escrevo, muitos deles a gente acrescenta, diminui, mas sempre é real, sempre a essencia é o ponto de partida, eu consigo até , eu acho, escrever uma ficção, mas se falo de tristeza, aiiii, eu to triste...rs..rs...por isso, assim como sua poesia, tambem não me deixo cortar as asas, e mesmo sem conhecer pessoalmente o amor, se eu morrer por ele, vai ser legal....beijos pra ti, uma linda tarde, mandei o email dos links, se nao recebeu, o Barco é www.oultimobarcodoplaneta.blogspot.com e o Livro Dois é www.olivrodosdiasdois.zip.net - ai, to triste por isso, eu adorava o outro....

Ana Lu disse...

Que voe bem alto, sempre
;D
Bjos!

Amarísio Araújo disse...

Isto,Paula!Liberdade para voar,desejos de sonhar,nunca esquecer de regar os sentimentos,
com lágrimas,cada gotinha delas,e manter verdes as folhas da esperança.Este é o vôo da vida.

Obrigado pelas suas palavras doces e ternas em meu recanto.Fiquei com um nó na garganta e os olhos molhados.

Beijos carinhosos.

Marisol disse...

Adorei a observação . E o poema então : sem comentários ...
Marisol

Philip Rangel disse...

Paula parecia aquela musica passaros da Claudia leite...qndo vc fala ..ou melhor escreve passa emoção......

bjoss

A menina do mundo roxo! disse...

OI! Nossa que lindo! Caiu como uma luva para mim, falou tudo o que eu estava tentando expressar em poucas palavras! Beijo aceite meu award como carinho

Luciene de Morais disse...

Minha sensível amiga...
Parece que falas de ti para ti...
O que tirar?
O que precisa ficar?
Sem o que não sobrevivo?
Bonita forma de pensar poeticamente.
Beijo grande!

Dona Sra. Urtigão disse...

Lindo ! Só!

Melsavinon disse...

Gostei muito...post bonito!!!
boa semana!!!bjs

Gilbamar disse...

Interessante como seu poema tem uma ligeira semelhança com minha postagem recente. Parece que todos nós estamos anelando voar, e quanto mais alto melhor para de lá avistar a vida em ebulição.

Fraterno abraço do amigo Gilbamar.

Cecília disse...

Que o voo seja bem alto r sem grandes riscos.
Belissimo post!

Beijossss

mangapinto disse...

Que bela imagem, condizente com o belo poema. Meus parabéns.

abraços - Mangarosa

tossan disse...

Engraçado eu já comentei esta postagem o que foi que aconteceu?!
Mas, Adoro garças! Belo texto! Bj

Allyne Alves [LynneHouse] disse...

Oiii Paula! Td bem com vc?

Me perdoe a demora em responder, é que eu tive que me ausentar do blog por esses dias....mas obrigada por ter passado no meu!

Seu post ficou super bacana!

Uma otima semana pra ti!

Beijao!

Pelos caminhos da vida. disse...

Tem selinho pra vc amiga.

beijooo.

AC Rangel disse...

Pássaro que teme por suas asas. Por sua liberdade. Ave intensa, visceral, pura emoção. O que é a vida sem emoção. Gosto de tua poesia. E como vc é pura poesia, gosto de vc. Vou te visitar sempre. Faça o mesmo com relação a mim. Garanto que na minha casa não há espaço para gaiolas. Lá, os pássaros são livres.

beijo

Helena Paixão disse...

Como diz o poeta, o sonho comanda a vida. E sonhando podemos voar bem longe e bem alto nas asas da imaginação.

Vim até seu blogue voando e parto sonhando, depois de ler este lindo poema.

O Sibarita disse...

Claro que vc não está triste, triste quem está é o ganso, né não? kkkkk Se o bicho homem vem lenhado como o seu habitat?

Legal moça seu texto

bjs
O Sibarita

Sol da meia noite disse...

Li, reli e senti comovente o que aqui escreveste.
Um dia escrevi algo parecido. Disse que ao sonhar, fazia de conta que era feliz. Lembras?
Essa fase passou, mas essa conciência continua em mim. Precisamos sonhar, voar nas asas da fantasia. Afastamos medos e somos felizes.

Terno abraço
:-)