sexta-feira, 6 de março de 2009

Pássaro raro
Abri a janela para apreciar o pássaro feliz
O cantador de emoções
Chamei o pássaro
Ele me escutou
Veio cantar para mim
Me encantou
Não sei se abri a janela demais
Não sei se fechei a janela antes do tempo
O pássaro nunca mais cantou
E foi assim que um dia te fiz meu.
Cantei chamando o pássaro negro
Espécie rara
Em extinção
Mas na distância
O canto não se fez ouvir

28 comentários:

Álisson da Hora disse...

A distância, às vezes, é cúmplice do silêncio.

beijo

Avassaladora disse...

Sinto tristeza em seu poema!
Lindo, mas de um sentimento de perda latente...
Ah, Paula, por que sera que os melhoes poemas, são juastamentos os que falam da dor da perda?
Dve ser porque é quando o coração transborda de tanto sentimento!

Elocubrações... Diria minha velha mãe...rsrsrs

Acordei meio deprê...rsrsrs



Beijos e carinhos

Olavo disse...

Nunca sabemos se abrimos a "janela" antes ou no tempo certo..dificil saber sem que o tempo não de o ar da graça..
beijão

Daniel Savio disse...

Por que não tenta cantar para o pássaro?

Talvez ele esteja esperando a sua parte do dueto...

Fique com Deus, senhorita Paula.
Um abraço.

glória disse...

um pássaro raro e o chamado de um mulher de asas tão únicas! cada ponto do teu poema diz desses vôos que seguimos quando o desejo se derrama singular. um dia pensei, será que raro é o objeto do desejo ou essa forma de sentir tão em estado de vastidão, da ousadia de se derramar. Ou os dois ao mesmo tempo né Paula"?bj

Maria disse...

Os pássaros são livres, só cantam em liberdade total...

Bom fim-de-semana, Paula
Beijo

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA PAULA, BELÍSSIMA TEXTO/POÉTICO.... ADOREI, BELÍSSIMO FIM DE SEMANA AMIGA...
UM GRANDE ABRAÇO DE CARINHO, FERNANDINHA

Poeta Mauro Rocha disse...

Ola!!Poema tristemente belo.Fiz um poema em homenagem as mulheres e seu dia, espero que goste.

Um abraço!!

Everson Russo disse...

Nunca há distancia definida para um voo, sempre existirá algumas milhas a mais a percorrer e o raro passaro se fará ouvir a qualquer distancia em que haja o amor, haverá sempre uma janela pra ele pousar e descansar feliz sua melodia...um grande beijo e um maravilhoso final de semana....
ps...que bom, feriado...to precisando de um....

J. Neto disse...

Gostei da poesia e do azul daqui! :)

Bandys disse...

Paula,

passaros e corações não se prendem...deixa livre
deixa voar...
beijos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Difícil saber qual é o momento certo...

Glayce Santos disse...

Que delícia!
E é esse o grande mistério da vida, medir a paixão e abrir a janela da forma e no momento correto! E enquanto isso não acontece, vamos caindo aqui, levantando alí... =)
beijinhos, moça

Cecília disse...

Nossa, quanto sentimento!!!!

Tenha um ótimo final de semana!
Beijos

Maria Dias disse...

Oi Paula...

Quem sabe o pássaro nao tenha ido embora... Talvez tenha ido conhecer novos mundos mas pode ser q volte e cante novamente pra vc.Lembra do Pequeno Principe e sua rosa.Ele conheceu outros mundos e depois voltou pq percebeu que sua rosa era a única entre tantas rosas. Sua rosa era especial, mas pra isto ele teve que partir.Lindo poema e concordo que quando sofremos as poesias saem mais belas ainda.Poderia ser diferente mas não é.

Beijinho

Tatiana disse...

Paula...entendo esse momento das palavras...

Mas mantenha a janela aberta... e poderá se surpreender quando o passaro voltar!

Feliz dia das mulheres!

Um beijo carinhoso

Tuza disse...

A-MEI!!!
E para a bela que espera o pássaro, abra a janela e deixe o vento acariciar sua alma,talvez, junto com a brisa suave da manhã, o seu pássaro cantor venha junto...

tossan disse...

O pássaro negro não de ningúem, ele vôa em todo o canto à procura de um mundo livre e sabedoria. Belo poema!

Pelos caminhos da vida. disse...

Tem selinho la pra vc.

beijooo.

Cotovia disse...

...os pássaros são mesmo assim, seres estranhos, são feito de ar e nasceram para voar.

Opuntia disse...

"É melhor nunca fechar as janelas!

Bjos

Café da Madrugada® Lipp & Van. disse...

Se a janela permanecer aberta... existirão grandes possibilidades, do pássaro voltar... ou mesmo, de outro pássaro raro encontrar...

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Paula,

Amei o seu retorno com o comentário e o seu blog é lindo, com palavras que realmente são vivas. Acabei de ganhar um selo homenageando o dia da mulher. Repasso essa gentileza pra você.

Maravilhoso final de semana e quero manter contato.

=]

Rebeca

-

Daniel disse...

Não tente apricionar o pássaro, pois assim o mesmo se distanciará. De-lhe a possibilidade de ser-lhe o seu porto seguro, e tudo dará certo, verá! Bjus.

http://so-pensando.blogspot.com

Amarísio Araújo disse...

Paula,

Mais uma linda poesia que você nos dá com a marca da sua sensibilidade ímpar.
Penso que o pássaro ainda canta.
Pouse os ouvidos nas nuvens e irá ouví-lo,debruces os olhos no horizonte e aguarde o sinal de uma eterna esperança.

Um lindo final de semana pra você.
Obrigado pelo carinho de sempre em meu recanto.
Beijos.

Uma aprendiz disse...

Ficou lindo seu blogue.

Nunca saberemos se abrimos ou fechamos a janela antes do tempo.

O que importa é continuarmos abrindo e fechando.
Até que um dia o pássaro permaneça.

beijos

Raphael Veleda disse...

Hey. Primeiro, valeu pelas visitas ao meu blog. Voce, provavelmente é a única visitante que não conheço pessoalmente.

Gostei muito dos seus versos. Vou ler mais.

O Sibarita disse...

Valha-me Deus, que pássaro raro é esse dona moça? kkkkkkkkkkkkk

Ele é raro por ser negro ou por cantar? Aiaiaiai... kkkkkkkkkkkkk

Oi moça, deixa o bichinho cantar, só não corte as asas dele se não ele fica capenga! Nunca mais vai voar ou cantar, a senhora quer isso? Quer não, né? kkkkkkkkkkkkkk

Pô Paula, ta o ouro seu poema, com certeza ele carrega em si uma carga muito emotiva, Saravá meu Pai!

Tá 100000000000000....

bjs
O Sibarita