sábado, 4 de julho de 2009

Estás comendo meu coração
Aos pouquinhos
Estás comendo pela beirada
Já comeste o lado negro
Queimado pelo tempo
Ressecado pela tristeza
Machucado pela desilusão
Estás comendo devagarinho
Mastigando com paciência
Dando o tempo dele amolecer
 Soprando com poesia
Para tirar a poeira dos velhos amores
 Quando terminar de comer o coração
Me terás por inteira

27 comentários:

Blue disse...

Uahhhhhhhhhhhhhh!

Que bela poesia...
Com tristeza e desilusão...
Mas com o tempo dando nome...
Os finalmentes então...
de matar a fome...

Beijos, bom final de semana!

Mai disse...

Amores antropofágicos... Fomes, quereres, amores, homens, mulheres e as palavras...Comer palavras, saborear, mastigar devagar, divagar em palavras, os devaneios dos amores sentidos...
E tu estás poeta, amiga.
E o bolo tem cobertura e recheio.

Beijos e bom final de semana.

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA PAULA... GOSTEI AMIGA!!!
BOM FIM DE SEMANA... ABRAÇO-TE COM CARINHO,
FERNANDINHA

tossan disse...

“O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.
E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.”

(Fernando Pessoa)
Grandes poesias
a tua e a dele
Bom fim de semana Paula. Beijo

Everson Russo disse...

Mais lindo e sentimental que isso impossivel, fiquei imaginando o coração como um pudim, naquela parte que voce diz que "ja comeste o lado negro", é quando a gente como aquele pedaço e vai sempre deixando o que nos parece mais gosotoso pra deliciar no fim, aquele pedaço com mais calda, no caso do coração, o faminto devorador foi direto a eliminar as dores, os desamores, aquelas poesias que nao representaram nada, os caminhos e flores espinhosas, o que na realidade está se fazendo é uma nova moldagem dele, readaptando ao novo, a nova era, aos novos ares e novas estações, o ato de mastigar com paciencia me veio naquele momento de delicia, de saboreando cada sublime segundo de paladar até chegar no premio maximo, que é a cereja, ou seja, um coração puro, livre do passado, livre de todos os medos que a ele rodearam pelas madrugadas, pelas esquinas da vida, e tenha certeza que ao final desse momento de prazer o patinho tambem será lentamente lambido, aproveitando até a ultima sensação boa do paladar...e que esse coração seja totalmente comido e a alma conquistada por inteiro...foi impossivl de não sentir tudo isso, me alonguei de novo, tento mas nao consigo falar pouco...rs..rs...beijos carinhosos e um lindo sabado pra ti...

Luiz Caio disse...

Oi Paula! Bom dia!

Hoje você está especialmente romântica...
Lindamente, eu diria!

ENTÃO, TENHA UM LINDO FINAL DE SEMANA!

BEIJOS.

Fábio Mayer disse...

Bonita poesia...e eu adoro doce dois amores!

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Paula...bom dia...caramba, temos por aqui então um quase canibal...rsrs
A sua escrita está passeando, li as outras e as palavras estão fluindo de forma progressiva em todos os sentidos, e para melhor é claro, isso é bom...fico feliz por você e pelo canibal...rsrs
Tirando as brincadeiras, queria dizer que os textos e o poema estão perfeitos, pois nota-se que saíram da alma, e isso faz a diferença...escrever assim faz bem, a gente esvazia o tórax das impurezas...rsrs
Um abraço em sua alma...bom fim de semana

Patrícia Kobayashi disse...

Que lindo!
Belas palavras!

bjos
bom fds

Anônimo disse...

Minha querida.
Muito oportuno essa poesia para mim ,comeram meu coração vc bem sabe quem é kkkkkkk.Qdo li senti ,que foi feito para mim .Um bj Suzi,adorei!!!!!!!!

Anônimo disse...

isso tem gosto de ontem........

Everson Russo disse...

Aha, vim registrar uma reclamação, alias depois meus advogados entrarão em contato contigo, dando uma arrumada no Livro hoje, arrumando uns html, tentando fazer a musica tocar no MOzilla e coisa e tal, percebo nos seguidores que a senhorita não se encontra, que coisa feia, pensei que eramos amigos, assiduos, fãs, seguidores...assim como sou aqui...rs..rs..rs..rs..rs..rs..rs..rs...rs..rs.rs..
percebi hoje....beijos e uma linda tarde de sabado...

MR disse...

Esta me dando um otima dica...

Estou achando que se eu nao for comendo devagarinho, com paciência, o dito cujo nao vai amolecer.

Ta duro que nem pedra.
Ou sera medo que ela tem.

Quando a esmola eh muita...

Histórias de coração disse...

aaah que lindaa a poesia *--*
amo escrevr também =)
adorei o blog
beijão ;*

Márcia(clarinha) disse...

Doce sabor de dar-se inteira...doce sabor de pertencer-se.

lindo dia
beijos

Panacea Musicalis disse...

Sabe que lendo um poema do Vinicius (Soneto da Mulher ao Sol), lembrei dessa boca do seu perfil ("a flor dos lábios entreaberta para o beijo")...

Aí resolvi dar um pulinho aqui e...
Não é que deparo um poema!

Bom, intertextualizando:

Se o lado negro foi devidamente devorado, já não sobrou mais nada. Toda pureza é intranscendente
E acaba sempre desmascarada.

Ava disse...

Paula, nem sei mais o que fazer para ter um coração limpo...

As vezes a sedimentação é tão forte, que não é fácil limpar... nem comer...


Quem sabe... A gente sempre tem uma esperançazinha...rs


Beijos E carinhos!

EXAGERADO disse...

Oi,linda

Hmmmmm...agora entendo porque as vezes sinto meu coração doer..Deve ser alguém mordendo-o...
Que lindo,Paulinha!!!

beijos

PreDatado disse...

O amor anda no ar!

Nanda Assis disse...

que lindo paula, romantico, demais!!!

bjosss...

Pedro disse...

Isso me lembrou a música de abertura de "A Gata Comeu". rs

Lisette Costa disse...

..." as estorias todas sao iguais
eu apenas faço dela mais uma cançao de amor."
Roberto carlos canta o coração, o meu, o seu, o nosso rsrs
Lindo poema.Bjs

Helinha disse...

Oi!!

Que lindo...

E não é que é assim mesmo...?

Às vezes a gente se fecha, por diversos motivos... mas vem alguém, com perseverança e paciência... e vai nos conquistando... apagando o que precisa se apagado e iluminando o que precisa ser realçado...

Vi seus comentários em alguns blogs que seguimos em comum e resolvi te seguir... rsrs... vc tem o nome da minha filha!!

Beijo grande!!

Amarísio Araújo disse...

Paula,

Que poema maravilhoso,saboroso!
Penso que,agora,criou-se uma urgência em devorar o resto desse coração!

Beijos!

Diego Gonçalves Amaral disse...

me soou como um exercício de paciência... que faz bem pra vida!

bj

O Sibarita disse...

Xiiiiiii... é mesmo, é? Moça, não me diga isso, oi que bom! kkkkk

Realmente essa poesia escancara, abre sua guarda, seus flancos, seus desejos, em fim, seu tudo na certeza de que o amor, a paixão é possível, apesar, dos tempos idos como fantasma!

É isso, deixa o coração mandar dona menina, ser feliz sem medo de ser feliz, né não? kkkkk

Porreta!

bjs
ZéCorró

Deusa Odoyá disse...

Olá Paulinha.
Nada a acrescentar apenas, apenas concordar com nosso poeta Sibarita.
Uma semana de muitas bençãos e glorias para vc.
Beijinhos amiga.
Regina Coeli.
Aguardo sua visita ao meu cantinho.