segunda-feira, 24 de agosto de 2009


Jardim Botânico Rio de Janeiro
2009


Gostaria de abrir a janela e deixar a voz sair. Gritar um grito sussurrado. Um apelo, um aperto de mão, um olhar. Apenas um olhar com palavras. Palavras derramadas de água marinha. Um topázio. Um brilhante. Uma esmeralda-esperança. Uma pedra jogada na janela. Só para saber de ti. E ouvir a voz da mente. Do ente que mora em ti. Não mente! Não me fale de cansaço De silêncio, de viagens. De preguiça, nem nada assim. Não me fale de você. Por enquanto não, só depois. Abre a janela e entra. Assobiando, quem sabe sorrindo com teus olhos dourados do sol. Ou azul do céu, verde do mar. Ou vermelho de saudade, com sal na ponta dos cílios. Ou preto da lama da estrada por onde andaste. Que importa a cor?
Entra sorrindo, com os olhos brilhando Pode entrar, estou esperando Estou tão confusa, pela ausência. Por esse silêncio com batuques em minha mente. E de galopes no coração. Sobes por minhas tranças de pensamentos, crescidas de pensar em ti. Chega um pouco mais. Não pergunta nada do meu passado. Do tempo que você se foi. Por enquanto não. Apenas empurra a janela. Deita entre eu e a saudade. Assim que você entrar ela se vai. Saberei que você chegou....

31 comentários:

Pedro Ivo disse...

Eu não irei falar sobre:

cansaço
De silêncio, de viagens
De preguiça, nem nada assim
E muito menos de mim.

Irei falar que as janelas do meu amor por você estão sempre abertas.

Beijos.

Ava disse...

Dos pensamnetos que fizeram tranças...


Paula , estou aqui a procurar palavras...

Mas não consigo... no meu parco conhecimento, ja não existe mais nenhuma que consiga traduzir o que é sentir essa sensação de déjà vu, que seus poemas e texto deixam em mim...


Devaneios para devanear...


Beijos na alma...

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA PAULA... MAIS UM SUBLIME TEXTO... ADORO-TE AMIGA,
FERNANDINHA

Elcio Tuiribepi disse...

Olá Paula, essa viagem, o poema aqui foi na viagem...é isso né... bom que as palavras fluiram e foram se aconchegando no poema de forma bem natural e leve, dá a impressão de que foi feita com facilidade. Eu confesso que as vezes brigo com as palavras até chegar onde quero, sorte que não é sempre assim...Boa semana Paula...um abraço na alma

Everson Russo disse...

Quantas e quantas vezes eu olho a janela? e nessas olhadas nela me debruço e fico olhando pra tudo que se move, tudo que nao se move, tudo que é luz e tudo que é sonho, e nessas loucuras, as nuvens escrevem poemas, a chuva entoa a melodia, se tem lua ela simplesmente sai do seu silencio e canta uma cançao de amor, estrelas fazem a voz que ecoa pelo céu, que dessa mesma visão as cores do arco iris sejam como afinadas cordas de um violão de paz, e que quando eu acordar desse sonho, ainda debruçado na minha janela, eu tenha escrito naquele papel amassado, branco e vazio, a mais bela composição pra oferecer ao coração dela...beijos e uma linda terça feira...seu post me fez sentir exatamente assim, esse foi o meu grito sussurrantem, deitei me exatamente entre as nuvens, voce e a saudade, e ali fiz morada pro meu coração...mais um beijo....e desculpe minha viagem....

Maria Dias disse...

Lindo isso que escreveu q de tão sentido parece um delicado bordado viu? Bem, os sonhos não envelhecem não é mesmo?A vida corre,a roda gira e o sol nasce todos os dias mesmo quando existem as nuvens e isso é só maravilhoso.

Paula,obrigada por abrir teu caderninho de poesias para nós...

Beijos

Maria

Blue disse...

Abre a porta ou a janela,
Venha ver quem é que eu sou,
Sou aquele desprezado,
Que você me desprezou
Eu já fiz um juramento,
De nunca mais ter amor ...

Perdão Andarilha, mas ao ver a foto lembrei-me desta música e to aqui cantarolando-a!

Temos sim, que deixar tudo aberto. Vai que alguém passa na rua e queira dar uma olhada pra ver o que tem dentro deste coração, não é?

Beijosss

tossan® disse...

Abre essa janela deixa o sol entrar, tá chovendo é, então deixa entrar os flocos de água só por um momento. Bela poesia! Beijo

http://amigosnablogosfera.blogspot.com/2009/08/o-mareante.html

Érica disse...

Fabuloso.
Abre a janela e deixa o sol entrar.
Que forte esse teu poema, eu to com o sentimento que ele deixou ainda no pensamento. Adorei, de verdade, poderia dizer até que achei o melhor que já li de você.
Na minha opinião, lógico.
Beijos

Cadinho RoCo disse...

Há sempre um mistério no outro lado da janela fechada.
Cadinho RoCo

Maria disse...

Perdi-me na leitura deste poema... Muito lindo, Paula!
Amei estes versos:

"Apenas empurra a janela
Deita entre eu e a saudade"

...é lindo demais...

Beijos

Poeta Mauro Rocha disse...

Vou abrir essa janela!!

Ola!!Desculpa não aparecer tanto mas estou estudando e realmente sem tempo.

Um beijo e Um abraço!!

cristina disse...

Atrás de uma janela e entre quatro paredes, está sempre algo que nunca se sabe...
Muito interessante este seu texto parabéns.
Um abraço e até breve...
25-08-2009 ás 17:20

Vivian disse...

...esta janela.
está sim deste blog mágico
é que quero encontrar sempre
aberta para meus deleites.

você é fantástica com
as palavras, e eu adoro
te ler.

adoro

adoro

muahhhhh

Vanna disse...

Amei querida. Gosto quando leio um texto e ele me leva a outros.
Bjs, lindos dias.

Pena disse...

Oh, Doce e Admirável Amiga Paulinha:
Saudades, num belo e delicioso poema que fascina.
Também já as tinha.
A sua sensibilidade sensibiliza por ser à flor da pele.
Genial. Adorável Terna.
Excelente, como sempre!
Beijinhos, amiguinha, sim...?
Com respeito e estima gigantescas.
Com admiração pelo seu enorme encanto...

pena

Adorei! Perfeita, amiga...

Dauri Batisti disse...

Estou aqui. Vagarosamente vou retomando as visitas aos blogs.

Li suas três ultimas postagens. Muitos sentimentos, morte, despedidas...
Meu Deus!

Mas afinal há uma janela. Mesmo que fechada, mas uma janela. Nela há a promessa de um encontro, ou uma esperança.

Beijo.

Ps. Obrigado pelas visitas ao ESSAPALAVRA mesmo quando não apareço por aqui.

Uma aprendiz disse...

Oi, Paula

Simplesmente lindooooooooooo.


beijos

Ademerson Novais disse...

esta tornando obrigatorio minha visita sempre neste teu cantinha paula....leio e leio tuas palavras e cada vez mais me encontro com elas....ando com elas...e as ouço...com se tivessem cantando para mim...


Ademerson Novais de Andrade

Cadinho RoCo disse...

Já de volta.
Cadinho RoCo

Daniel Hiver disse...

Gostei disso que disse sobre alguém entrar por suas janelas sem fazer perguntas do passado... Tem gente que joga fora os sonhos de medo de fantasmas que nem são seus, são de outros. E isso é triste Pequeno! As janelas estão para ser abertas e é bom quando alguém entra por elas e se instala. Aí a casa fica cheia de luz.
Uma bela semana!

Francisco disse...

Seria possível entrar "voando" nessa janela? rsrsrs
Cada um tem um jeito de entrar! rsrs
Beijãozão, linda!

JOSÉ ROBERTO BALESTRA disse...

Paula, pude sentir muita verdade interior do que lhe ia no peito enquanto escrevias esses seus pensamentos.

A saudade quase sempre nos maltrata, mas você conseguiu fazer dela aí mais que um devaneio; transmudou-a num lindíssimo e alegre convite de amor...

Parabéns. É ótimo passear por aqui.

bjs

Everson Russo disse...

Bom dia menina, que a paz que ronda o infinito esteja em seu coração pra te trazer uma belissima quarta feira...beijos na alma.

Déia Arakaki disse...

.................................
....... , . - . - , _ , .......
....... ) ` - . .> ' `( .......
...... / . . . .`\ . . \ ........
...... |. . . . . |. . .| ........
....... \ . . . ./ . ./ .........
......... `=(\ /.=` .........
........... `-;`.-' ............
........... `)| ... , ........
.............. || _.-'| ........
........... ,_|| \_,/ ........
..... , ..... \|| .' .............
..... |\ |\ ,. ||/ .............
.. ,..\` | /|.,|Y\, ............
... '-...'-._..\||/ .............
....... >_.-`Y| ..............
............ ,_|| ...............
.............. \|| ...........
............... || ..........
............... || ...........
............... |/ ...........

Tenha um lindo dia Querida
bjs

Majoli disse...

Olá Paula, primeiro quero agradecer seu carinho para comigo lá no Rabiscos e também dizer que amei esse seu cantinho, fiquei apaixonada pelo teu devaneio, ando também acompanhada pela saudade e amaria abrir minha janela e trazer pra perto alguém que mandasse embora de vez essa solidão que insiste em morar cá comigo.
Parabéns por tão lindo espaço, vou ler-te mais.
Beijos no coração.

Memória de Elefante disse...

Paula!

Desde que nascemos, morremos a cada dia.O grande mistério ,nada dura para sempre e isto nos entristece,não podemos parar o tempo.
Resta aceitarmos para minimizar a dor.
Não existe outra forma a não ser lembrarmos os instantes bons,a magia da vida.
Como dizia Guimarães Rosa "as pessoas não morrem, ficam encantadas."
Lindo teu texto , me emocionaste!
Fica bem...um beijo!

Betho Sides disse...

Janelas d'vida, d'alma, janelas do mundo, janelas d'mente naão mentem...
Forte abraço e beijo
Betho

Vivian disse...

...Paulinha minha querida,
sua sugestão sobre o tema
traição já está na pauta
para um post, por estes dias.

precisamos cuidado com um
tema delicado como este,
e que ngm está livre...

me aguarde..

pense...rss

te adoro

muahhhhh

myra disse...

quero te agradecer todo o cuidado e o carinho que voce tem me demostrado, por isto estou aqui, e fazendo um esforço, para retomar a routine de minha vida. Visitar os blogs dos amigos, que sao a maior parte devido ao meu irmao. sabe, a palavra saudades é algo que diz taanto e pouco enquanto à imensidao dela mesmo......e qdo a gente sente, sente demais...
voce escreve que é uma beleza...quero seguir sendo tua amiga, e quem sabe atraves desta amizade, podemos compartir nossas saudades ...voce de quem quer, e eu de meu irmao...
um enorme beijo,

myra disse...

coloquei voce na lista de meus bloguistas, ( esperando que o fiz bem...) assim como voce ja esta na minha lista de amigas,
beijo e boa noite,