quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Ponte da emoção
foto tirada em Nova Frigurgo-09
série andarilha
.....aqui continuo a travessia de muitas idas. Aqui posso soltar o meu verbo, sem concordância. Aqui posso soltar meu pensamento, desaprisionar minha emoção. Aqui continuo deixando andar a emoção, aquela que me atravessa. A emoção andarilha, que me queima o peito. Respiro profundo. Toda vez é assim, mesmo que não diga. No respirar deixo vir as palavras que me saem pelos olhos, pelas narinas, pelos dedos. E deixo entrar a emoção, mesmo causando azia no coração, é no queimor das palavras que entram, que me reviram, que me voltam palavras. Gostaria de pintar suas palavras. As frases-situações que vizualizo. Faço dos seus escritos um filme em minha mente. Leio, releio. E depois começo a caminhar em cada frase. Vou pisando devagarinho para sentir. Pisando em brasa. Fervendo a alma. Lacrimejando os olhos vermelhos. E continuo.....regorgitando pensamentos.......e continuo indo e voltando.....e continuo sentindo, apenas sentindo e imaginando......e continuo.......

22 comentários:

Everson Russo disse...

São essas pontes que fazem da vida mais tranquila, por onde podemos nos transportar do nosso mundo ao mundo de quem nos inspira, de quem nos toca de alguma forma o coração, de quem nos emociona, se não fosse a ponte da poesia o que seria do amor? se não fossem as palavras, como expressaria o coração? muitas vezes as palavras são trocadas por suspiros, o sorriso radiante por uma lagrima, seja de tristeza ou de emoção, o abraço, o carinho, o olhar, o amor em forma de verso, tudo nessa vida é uma ponte da loucura de um pra loucura de outro, da madrugada de um pra madrugada de outro, do estado alterado de consciencia de um pro estado alterado de consciencia de outro, é muito gostoso viajar pelas palavras, pelos coração e ultrapassar as fronteiras, mesmo que corramos perigo de cair das pontes da vida....me perdi? hoje to meio lélé, fui comentar na Lu e tambem tive essa sensação...rs..rs..rs...acho que vou escrever....beijos menina, um lindo dia pra ti...

Everson Russo disse...

Vivaaaaaaaaaaaaaaaaa, primeirão....rs..rs..rs..beijos

Alisson da Hora disse...

Andar e continuar...fundamental...

bjs

Blue disse...

Mas esta Andarilha assim, caminhando e andando por pontes como esta, vai longe, muito longe!

Obs.: a foto desta ponte lembra-me uma ponte existente no Passeio Público de Curitiba, parquem bem central da cidade.

Beijos

Dauri Batisti disse...

Querida Paula,

fiquei rindo ao ler seu último comentário no ESSAPALAVRA.

Primeiro porque você - parece - acaba misturando minhas ficções com a imaginação. Assim é. O que se escreve ganha vida própria. O leitor é o dono do texto.

Mas acho que talvez seja bom re-situar meus escritos no campo da ficção e como tal o entendimento se dará dentro de outros enquadramentos.

Sério, escrevo sem sentimentos, crio personagens. É a imaginação e a brincadeira que me importam.

As vezes escrevo textos densos, tristes, dolorídos, mas assim os faço pois quero traduzir realidades e complexidades humanas. E posso fazer isso assoviando.

Mas, afinal, cada coisa oferece seus signos, e você, no essapalavra, pega alguns e designa e ressignifica suas viagens. Esteja à vontade, mas não se preocupe...

Take it easy.

Com carinho,

Dauri

Anônimo disse...

Paulinhalindinhaencantadora,

em seus escritos devemos lembrar
do "poeta é um fingidor!" ou aqui
vemos um você que é você?

Wilson Rezende disse...

Lindo Paulinha, beijos e fica com Jesus.

Poeta Mauro Rocha disse...

Gostei dessa ponte.

Um beijo!!

Mariana disse...

Gostei de atravessar a ponte e encontrar emoções.
Abraços

Memória de Elefante disse...

É nesta ponte que ando, ando... não desisto porque minha alma traça os passos nas pedras, afasta a solidão.

Um beijo e um ótimo fim de tarde...estás te revelando uma grande poeta!
Muito bonito e fica bem!!!

Jardineiro de Plantão disse...

Bela foto, bem expressiva do pensamento de uma doce andarilha... onde a emoção se solta e livremente circula entre as margens.

Gosto de muita coisa ao natural... mas da bebida em dia ensolarado... preferencialmente bem fresca.

No 'Leite', gostaria de por lá estar para a semana... Já informei, o desgraçado do "Caruáru" do evento... até lhe perguntei, se ele estava metido naquilo, pois acho que deve uns favores ao Arménio quando da vinda dele para tirar o mestrado cá no burgo, como ele tem como musa a 'Florbela' e a tese foi sobre a mesma... tem alguma lógica a minha interrogação .

Forte abraço deste seu amigo, do lado de cá do ribeirinho que nos separa.

sergio martins disse...

...enquanto estas linhas são descritas,a sombra do teclado passa por uma metamorfose e o paradoxo transforma cada palavra em andarilha!
.,.

HSLO disse...

Amo passar por essas pontes...me deixam mais forte.

Paulinha..saudade de você por lá


abraços


Hugo

Lídia Borges disse...

Maravilhoso texto!
São os lugares assim que nos despertam as emoções e nos abrem o livro dos nossos anseios para que os possamos perceber...

Um beijo

Sam disse...

Lindo! E sua ponte se tornou uma inesgotável fonte de inspiração pro meu caminhar!

Beijo meu, moça!

paula barros disse...

Anônimo (a), não costumo comentar comentário, mas ontem por "coincidência" lia Fernando Pessoa, e ele lhe respondia antes mesmo de você me perguntar.

"Dizem que finjo ou minto
Tudo que escrevo. Não
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração
Tudo o que sonho ou passo
O que falta ou finda,
É como um terraço
Sobre outra coisa ainda
Essa coisa que é linda
Por isso escrevo em meio
Do que não está ao pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é
Sentir? Sinta quem lê!"

Mas isso é a resposta dele. Eu não concordo. Nem concordo que o poeta é um fingidor.

Eu sinto tudo que escrevo. Eu sinto tudo que imagino. E sinto tudo o que leio. Agora o que ecrevo cada um interpreta como sentir.

Agora tenho dúvidas se sinto com o coração, as vezes é com o estômago. Sabe aquela reviravolta no estômago?

Mas com esse Paulinhalindinhaencantadora, até que respondo comentários. rsrsr

E você me fez ver que quase sempre, e deve ser sempre, as respostas vem antes das perguntas. Que descoberta maravilhosa.
´
obrigada.

Ava disse...

Vendo agora seu recado... da sua chegada...

Te passo e-mail depois...


Beijos mil!!!

tossan® disse...

Diferente do Dauri e de mim você é a própria musa dos teus poema você vive a personagem real. belo poema! Beijo

Everson Russo disse...

Bom dia menina, por aqui um calor de derreter barra de aço, e eu esperando a chuva do verão e em contagem regressiva...rs..rs...me diga por favor, não tem outro post ainda né? se tiver me avisa pra nao passar batido, tem horas que o IE funciona mal e nao abre a pagina toda...beijos carinhosos e um lindo final de semana pra ti...

Vilminha disse...

Oi amiga. Uma ponte é intermediar, ligar,transpor, ser elo, ser transição, ser você mesma com toda a sua bagagem de idas e voltas. Bejos e uma ótima sexta-feira.

Maldita Futebol Clube disse...

Paula, uma ponte é uma forma de ligação de um lugar ao outro e o seu post é isso , lirúico por transformar tal mensagem em poesia urbana, em pensamento coerente e lúdico porque extrapola o texto e vai ao imaginário tocando fundo, e falando em tocar;aparece por lá, no MFC, e me diz, qual a música do seu coração?beijos, leandro

Daniel Savio disse...

Aff, por que eu noto um pedaço de tristeza no texto?

E trate de continuar sim, mas com um belo sorriso no rosto...

Fique com Deus, menina Paula.
Um abraço.