terça-feira, 17 de novembro de 2009

Essa sanidade louca
Aprisionada
Que sufoca a liberdade
O ser
O estar

Essa sanidade imposta
Que aprisiona
Que oprime os desejos

Essa sanidade construída
Moldada
Que enlouquece o ser

Essa sanidade brutal
Estúpida
De uma moral sem moral

Essa sanidade do ser exemplo
Do não dito
Do não tocado
O não exposto
Dilacerando o ser

E tantos certos que são errados
E tantos errados que são certos
Conceitos dúbios
Valores sem valores
Sociedade se desintegrando
O ser esfacelado
Anônimos com crachás
Rostos sem nomes
Olhar vago
E o ser, onde está?

21 comentários:

Daniel Savio disse...

Diria que embaixo de n-compromissos, mas até este mesmo ser não é totalmente capaz de suportar esta carga que colocamos nele (na verdade, nós mesmos)...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.

Vilminha disse...

Oi amiga saudades suas. Não sei onde esta o Ser, mas quando perco um do meu jardim fico desesperada. beijos e uma semana iluminada.

Memória de Elefante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcelo Mayer disse...

o meu está bem longe de mim!

muito bom!

tossan® disse...

Ah Paula como eu te entendi! É assim que corre este jogo. Um dos melhores viu? Beijo

EDUARDO POISL disse...

Muito lindo o que escreveu.
Abraços

Nanda Assis disse...

nossa paula q forte ne. mas eu ainda prefiro ser louca e real, vc falou tudo viu, chega de falso moralismo.
te adoro.

bjosss...

Mai disse...

Ficou real. Um grito elegante e comportado.
Como é possível anos de cárcere de si mesmo, não?

Beijos, Paula.

Mário Lopes disse...

Ser é arder
no ar da manhã
quando ele é mais leve,
é correr descalço
atrás do sol
antes de nascerem os sonhos.

Ser é atravessar
o rio da infância nu
sem vislumbrar a outra margem,
é ir com as aves
quando a luz é mais doce
e o vento sopra para o mar.

Ser é acariciar
a pedra da ternura
quando as palavras não bastam,
é habitar as casas abandonadas
pela solidão
aprendendo com as andorinhas.

Ser é colher
os frutos maduros
delicadamente tecidos pelo coração,
sentir na pele misteriosamente
a brisa que só sussurra
entre as folhas das oliveiras.

Ser é procurar
todas as águas que correm
para as fontes da loucura,
encontrar na pele molhada
o brilho do desejo
do corpo possuído.

Ser é, enfim,
respirar um pouco mais
antes de morarmos
nos olhos das crianças
quando brincam na tarde,
ou rente às ervas
regressarmos à terra
reconhecendo aquele lugar
só prometido às águas.




Só uma pequena contribuição para a procura do ser. Ou para a fuga ao sistema. Será?
Lindo o seu texto de revolta!

myra disse...

sim " o ser aonde esta?"
otimo, beijos com admiraçao,minha querida Paula

Jardineiro de Plantão disse...

É difícil saber o certo ou errado, depende sempre dos valores incutidos em cada um e dos princípios que assumiu perante si mesmo

O que demonstra é a muita hipocrisia que se lavra e dos moralismos falsos que se defendem...

Abraços

Anônimo disse...

Paula, vc está em recife?Eu estou no bRasil.E vou ficar 3 dias no Recife.
bjs e dias felizes

Grace Olsson

(Carlos Soares) disse...

Por isso eu digo que precisamos às vezes,sair do "normal". exacerbar,extrapolar, transcender alguns padrões de vez em quando.Beijos,Paula

Dois Rios disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dois Rios disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dois Rios disse...

Paula, o ser está em sustentar, a qualquer preço, a nossa identidade.

Desculpe-me a ausência mas estou com um amigo muito querido, daqueles que vivem colado na nossa alma, muito doentinho, e isso tem me tirado a vontade de blogar. Postei vídeo e versos feitos por ele, como uma forma de expressar o meu carinho e a minha dor.

Beijo,
Inês

Everson Russo disse...

Por toda essa sanidade que digo..."Dizem que sou louco por pensar assim , se sou muito louco por eu ser feliz, mais louco é quem me diz e não é feliz...eu sou feliz...." e nessa insanidade sana, vamos seguindo nosso caminho, feito rio, sem noção do perigo que vem, que ele venha....beijos e um lindo dia pra voce....tenho notado sua ausencia...o Livro tá fora de sua rota....rs..r.s..rs....

Sandra disse...

O ser onde está???
Com certeza muitos se perguntam...
Linda postagem..

BOM DIA, SIM, UM BOM DIA, CHEIO DE TERNURA!
QUERO LHE AGRADECER A SUA VISITA CONSTANTEMENTE EM MEUS BLOGS.
VOCÊ É MUITO ESPECIAL PARA MIM...
NÃO SÃO PALAVRAS, JOGADAS AO VENTO. MAS, SÃO PALAVRAS DE CARINHOS POR ALGUÉM, QUE ESTÁ SEMPRE AQUI COMIGO, EM, TODAS AS MANHÃS. NÃO É DEMAGOGIA, PORQUE NÃO PRECISO DISSO.
PRINCIPALMENTE AGORA, QUE ESTOU SEM PODER SAIR, EM FUNÇÃO DO MEU PÉ, A SUA PRESENÇA ME DEIXA MUITO FELIZ.
MAS, A TUA VINDA TODAS AS MANHÃS, ME DÃO SUPORTE PARA CONTINUAR, E ME RECUPERAR BEM.
MUITO OBRIGADO.
NÃO TEM PRESENTE MELHOR, QUE DAR UM ABRAÇO E LHE DIZER: MUITO OBRIGADO PELA SUA COMPANHIA.
POR ISSO, ESTE SELO É MUITO IMPORTANTE PARA MIM...
ÉS A MINHA PÉROLA, QUE ENCONTREI NA CONCHA DO MAR E QUE AGORA GUARDO NA CONCHA DO MEU CORAÇÃO.
RECEBA ESTE SELO COMO O MEU AFETO E CARINHO POR VC.
MUITO OBRIGADO PELA SUA VISITA E COMPANHIA.
COM MUITO CARINHO
SANDRA

Marcelo Novaes disse...

Paula,




Tem de cavar fundo...




Beijos,









Marcelo.

Maria disse...

Às vezes tão perto de nós que nem o enxergamos...

Belo texto.
Beijo, Paula

O Sibarita disse...

Pois é, né? Essa insanidade né moleza não! kkkkkkkkk

A moça anda divagando muito bem nessa poesia bacana!

bjs
O Sibarita