sábado, 14 de novembro de 2009

(Lagoa Rodrigues de Freitas-RJ-09) (Parati- RJ- 09)
Pescador
Por que fez assim?
Foi tramando a rede
Costurando nó por nó do meu pensamento
Ficou ali diante do mar imenso
Me aguardando, me navegando
Molhava os pés nas minhas lágrimas de solidão
Sentava na pedra do meu coração
E me fazia companhia
Por que fez assim?
Jogou a rede no momento exato
Que eu subia para respirar
E que alegre mergulhava
Por que fez assim?
Me pescou junto com todas minhas emoções
Me deixando presa nessa rede
Tramada com a minha inocência
Com carinho e atenção.

26 comentários:

Nanda Assis disse...

que lindo paula, concerteza eu compraria todos os seus livros. sim pq vc tem q escrever vários.

bjosss...

Daniel Savio disse...

Será que isto não foi uma pesaca conjunta (em que ambos foram pescados)?

E bom poesia.

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.

Lídia Borges disse...

Um mar de inquietação na rede das emoções!


Um beijo

Francisco disse...

Oi Paulinha!
Todo o pescador tem paciência, não é?
Ele sabe o momento exato de jogar o anzol, ou puxar a rede!
Já ouviu falar no Peixe-Voador? rsrsrs
Um beijãozão!

Mai disse...

Agora você fisgou de vez as minhas memórias, mulher.
Parati e as histórias dos pescadores...
Tudo bem...
Beijos e bom domingo.(risos)

Memória de Elefante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
HSLO disse...

Nossa lembrei do meu padrinho agora...ele era pescador.Sempre viajava com ele pra pescar, era uma aventura incrivel. Saudades.


abraços

Hugo

Marcelo Mayer disse...

a rede me tira o ar

Maria Dias disse...

Todo pescador e assim mesmo,faz a trama e espera pacientemente fisgar o peixe e quando isso acontece na melhor das hipoteses o devolve de novo para as aguas q dao no mar...O prazer muitas vezes e so o pescar.Poesia bela e para refletir...

Beijinhos

myra disse...

voce è realmente uma escritora de belezas...lindas imagens lindas palavras, beijos minha querida paula,

Pelos caminhos da vida. disse...

Estava com saudades daqui.

Lindo poema.

Bom domingo pra vc Paula.

beijooo.

Vivian disse...

...ahh
pelo jeito fostes fisgada
pela rede das emoções.

beijos, querida!

Opuntia disse...

Que pescador danado, hein! Mas, será que esse peixe não queria ser pescado? rsrsrs


Bjos, e bom domingo.

Everson Russo disse...

Que essa rede seja de amor, que traga do fundo a paz, a emoção e a exatidão de tudo aquilo que desejamos fielmente....beijos na alma e uma linda semana....

Fabiano Mayrink disse...

Paula o pai do meu pai era pescador, aq em casa tem ate uma ferramenta com que se faz redes de pesca, simples mais interesante, a ferramente e o de menos, mais intrigante e a ablidade dessas pessoas ribeirinhas terem a ablidade para fazer isso...

é madeira sim o que vc comentou, e a tampa do meu bau do post antiguidades la tambem tem a ferramenta!

walter disse...

Oi Paula!
Pelo jeito, desta vez navegámos juntos no oceano das emoções... feliz coincidência... e tambem feliz pelo comentário que fizeste em meu blog...
Posso pedir-te um favor? Já agora também gostaria de ver no teu blog os barcos do Recife - essa Veneza Brasileira...
E tambem muito engraçado, o fato das duas fotos do post, serem de lugares que eu conheço. Amo Paraty - uma espécie de Portugal em versão tropical... poema lindo, ternurento...

Bom Domingo
Beijo

O Sibarita disse...

É isso, o pescador... kkk De almas ou do amor? kkkkkkkkk

Foi fisgada pelo anzol da paixão por certo é tão bom! kkkkkkkkkkkk

10 a poesia, fia!

bjs
ZéCorró

Jardineiro de Plantão disse...

Que malhas apertadas, essas que o pescador usa... tudo o que vem à rede é peixe.

Mas como o peixe ficou apanhado... e as expressões usadas... ai essa paixão... que arrebatada está.

Ficou lindo...arrebatador mesmo.

Beijo

Bia Maia disse...

Paula querida!

Até parece história de pescador!
Adorei!

beijos e lindo domingo!

Biazinha

Luiz Caio disse...

Oi Paula! Como vai?

Ah, se à todos os nossos porquês houvesse respostas! Tudo sería bem mais facil de compreender e de aceitar! Mas não á nada que perdure para sempre... Nem o silêncio dos nossos porquês!

TENHA UMA LINDA NOITE!

Beijos

BEIJOS

Jacinta Dantas disse...

Oi Paula,
adorei as fotos. Paraty é linda demais. E o poema...mais bonito ainda. É preciso estar alerta para o momento certo de se jogar a rede. Então, fiquemos alertas.
Beijos

Prof. Sergio Ricardo disse...

Paralelos vc faz muito bem, agora essa do pescador,ficou perfeita... bjs eótima seman apaulinha

Anônimo disse...

sabes como fazer, ah! sabes!

Everson Russo disse...

"Eu lembro da moça bonita da praia de Boa Viagem, e a moça no meio da tarde de um domingo azul, azul era belle do jour era a bela da tarde, seus olhos azuis como a tarde, na tarde de um domingo azul, la belle do jour....." mandei isso um dia pra Alceu e ele fez sucesso, e nao me pagou direitos autorais....então,uma otima semana pra ti menina da Praia de Boa Viagem....beijos....

(Carlos Soares) disse...

Estou enganado ou é a rede do amor? LIndo poema.Beijos e ótima semana

A Magia da Noite disse...

é assim que se pescam as almas.