quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

 Gruta da Lapinha - MG

Rochas e Fendas da Vida




Olhando a rocha
Vi a fenda
E pela fenda o sol


Oportunidade do novo
De desbravar o horizonte
Remover as pedras
Retirar a venda

Lembrando da fenda
Me vi rocha
E fortaleza

Me vendo pela fenda
Relembrei a dor
Vi a vida


Enquanto rocha
Venci as fendas
Que dilaceraram o coração


E vi o sol
O horizonte
Abraçando a vida


Removi a rocha
Atravessei a fenda
Venci a vida

 

26 comentários:

Marcelo Mayer disse...

wow... matou a pau

myra disse...

voce escreve tao bem! e a imagem é muito misteriosa...
beijo

A Magia da Noite disse...

atrever-se a passar pela fenda e olhar de frente a luz é coragem de iniciar de novo a caminhada.

Everson Russo disse...

Seu poema me fez voar assim, vivemos e nos alimentamos das madrugadas, olhando o céu a lua e as estrelas, e nelas estamos sempre esperando que a esperança venha numa fenda no infinito com o sol que bate na jalela pela manhã, engano nosso, o dia chega e o sol nasce e nada de novo no ar, a não ser a certeza que mais uma madrugada virá pra alimentar mais uma esperança sem solução...mas sem fim tambem....beijos e um lindo dia pra ti...otimo final de semana.

Cris Animal disse...

Paula Querida, fui e lendo e querendo logo ler a estrofe seguinte para coanhecer essa explosão de pensamentos e sentimentos.
Tudo a ver! Tudo!
A vida, o recomeço, a luta, a força, a chance, a saída pela fenda de uma rocha onde passa a luz do sol.
Perfeito.
Que essa luz sempre nos atinja e possa ser possível atravessar por essa fenda com coragem e fé.

Beijo grande pra vc!

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Que bela imagem...

Vencer, desbravando a rocha.

Bom dia...

Cadinho RoCo disse...

Pelas fendas da lembrança a luz da sua presença pelas Minas Gerais.
Cadinho RoCo

Mai disse...

Caramba, amiga, que rocha e que beleza a tua poesia e força. Lembrei tanta gente lembrei Bertold Brecht, lembrei Raul Seixas ('tente outra vez'...) E te vi com toda força e delicadeza. Nossas grutas, né, nossas vidas, nossa força e a beleza da verdade.
Hoje você estrapolou, simplicidade e beleza em poesia.
Beijos, Paula.
Fica bem, amiga.

Pelos caminhos da vida. disse...

Abraços significam amor para alguém com quem realmente nos importamos.....
para nossos avós ou nossos vizinhos, ou até mesmo para um ursinho amigo......

Um abraço é algo espantoso... é a forma perfeita de mostrar
o amor que sentimos, mas que palavras não podem dizer.

É engraçado como um simples abraço faz nos sentir bem...
em qualquer lugar ou língua...
É sempre compreendido...
E abraços não precisam de equipamentos, pilhas ou baterias especiais...
É só abrir os braços e o coração...

Guarde este abraço!

Bom fim de semana Paula.

beijooo.

Sol da meia noite disse...

Temos que ser essa fenda que vença a dureza da rocha.

Para ti, um fim de semana lindo :-)


Abracinho

Ana Lu disse...

Nossa, mto lindo o texto. E que bom que vc pode conhecer a gruta! Deve ser realmente encantador. E pois é, passa mto rápido. E vc que me emociona com seus comentários, e com seu blog maravilhoso.
Um beijo!

Karl d'Jo Menestrel disse...

Fiquei em dúvida, se alegoria à vida se uma metáfora sobre a mesma.

De todo ele eu gosto, mas o remate final ficou 5 estrelas, nota 20 e conotado a adjectivos superlativos.

E vi o sol
O horizonte
Abraçando a vida

Removi a rocha
Atravessei a fenda
Venci a vida

Abraço fraterno

Braulio Pereira disse...

adorei a fenda,
beleza divina.
em terra firme..


beijos doces..

Rafael Castellar das Neves disse...

Por isso que digo que poesia é viva, é viver...

abraço..

Simples Assim... disse...

É isso, querida, somos água, somos vento, mas também somos rocha. Somos abstratos, etéreos, flutuantes, mas também somos fortaleza, chão firme. Há fendas... lacunas, às vezes, podem ser muito angustiantes, mas são as aberturas que nos permitem expandir, nos dão espaço interno e também nos possibilitam sair da casca, ganhar o mundo que há a nossa volta, sentir o sol, sentir a vida. Vida... foi o que vi por aqui hoje. Bjs.

Mariana disse...

Adoro ler-te.
E agradeço muito as tuas visitas.sou grata.
O Papai Noel existe, deixa os teus pedidos no meu blog, e eu os entregarei ao bom velhinho.
bom fim d semana
bjs

Eduardo Miguel Pardo disse...

Grande é a vida dura é a rocha!!!
Um bom dia!

Memória de Elefante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Dias disse...

E aonde chegar a luz encontraremos vida e água e verde e depois do verde a esperança vai sempre brotar e quem sabe fechará as fendas em nós e depois a primavera vai florir.

Beijos!

Dauri Batisti disse...

Venceu a vida? ô menina...... mas o que disputas com a vida? rsrsrs.
Sei que tu és muito mais parceira do que adversária da vida.

Um beijo.

Dauri Batisti disse...

Mas, bem entendi o teu poema. Vencer a vida no sentido de enfrentar o que tem que ser enfrentado. Olhar de frente...

walter disse...

Olá Paula
Esta tua bela poesia, certamente várias interpretações poderá ter, mas eu vejo-a assim, como uma dedicatória... a todos aqueles que na escuridão sobrevivem, na esperança, de que algum resquício de luz perdida se instale no seu coração, e lhe devolva, ainda que por breves instantes, um sorriso, um momento mágico, a LUZ à muito perdida...

Te desejo um bom fim de semana, com muita LUZ!
Beijo grande

Blue disse...

O tempo passa,
e continuamos viajando.
Comi a uva-passa,
e continuo divagando...

Beijossssss

Evandro Varella disse...

Lindo o teu poema.
Soubesse que as fotos eram tão inspiradoras, tinha colocado lá no anexo muitas outras mais...
Muito obrigado pela generosidade em me citar minha querida amiga!
Bjs
Vavá

Daniel Savio disse...

Mas mesmo que te rachem, ainda pode pegar os pedaços para construir mais forte a tua "fortaleza"...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.

O Sibarita disse...

Ô moça, você falou em fenda, foi? não diga isso! kkkkk Adoro, viu? kkkkkkkkkkkk

Eita poema da zorra, bem articulado, danada a moça!

bjs
O Sibarita