domingo, 10 de janeiro de 2010

 
Ela morava numa mata deserta. Escondida de todos. Numa bela tarde caiu um raio na floresta abrindo uma clareira por onde foram entrando seres mágicos do sentir.

Ela foi despertando do sono. Começou a caminhar aturdida, tonta, ainda cega com o clarão. Chegou num novo mundo com o coração exposto. Gente de todo tipo passeavam para lá e para cá. Alguns com o coração enfaixado de preto, outros o coração tinha luz neon. Ela ficou encantada com um mundo onde os corações falavam, sorriam, choravam, contavam histórias.

Apresentava-se na cidade o Circo das Emoções, espetáculo lindo. Tinha corações se apresentando. Corações malabaristas, dançarinos, trapezistas, palhaços, anões, gigantes, engolidores de fogo. Alguns corações estavam contundidos e ficavam na platéia ou nos bastidores, esperando a recuperação para voltarem a se apresentar no belo espetáculo.

Leu no cartaz: vaga para novos corações. Encantada com o que assistia, inscreveu o seu coração para participar do espetáculo. Esquecendo-se da última vez que decidiu engolir fogo, andar na corda bamba, atirar-se sem rede de proteção.

A sua primeira apresentação, nesse circo maravilhoso, foi como domadora de leão. Sem experiência foi com o coração na mão, pulsando alegremente. Não sabia ela que o leão não era alimentado há vários dias...

18 comentários:

▒▓█► JOTA ENE disse...

ººº
... e fotos amiga, não vejo nada, aiaiai!!! rs


Bjossssss

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Paula...esse seu texto me fez lembrar o meu "Conjecturas de um palhaço", que aliás, qualquer dia desses vou postar novamente...
A vida é um circo mesmo de emoções, e nós, integrantes desse espetáculo, as vezes recebemos aplausos, em outras vezes vaias e em muitas outras sorrisos, pois eu pelo menos gosto de conservar em mim esta alegria, mesmo nas horas em que somos obrigados a engolir o fogo, mrs
Mesmo nas horas em que caímos do trapézio...
Quanto ao leão...prefiro ficar longe dele...rsrs...não o quero com má digestão...
Um abraço na alma...bom fim de domingo, boa semana...bjo

Pedro disse...

E não é sempre assim que a gente faz com ele, engole fogo, anda na corda-bamba, se atira sem rede de proteção? E qual seria a graça sem ser assim? =]

tossan disse...

ô louco! A vida está cheia de domadoras de leões com fome. Cuidado. Belo texto, mas e as fotos?! Beijo

mfc disse...

A vida é como andar no trapézio sem rede...
Lindo texto.

PS - O meu mail está no Perfil do meu blog.
Beijinhos

HSLO disse...

Ai que texto ótimo.

Maria disse...

Este texto é muito bom para reflectir, mesmo...

Beijos

Daniel Savio disse...

Hua, kkk, ha, ha, vejo um momento de sarcasmo, mas como terminou isto?

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.

Cadinho RoCo disse...

Há quem diga, ainda que aleatoriamente, que para vivermos bem devemos matar um leão por dia.
Cadinho RoCo

Everson Russo disse...

Acho que todos estamos precisando desse raio em nossas matas, abrindo clareiras, abrindo corações, abrindo espaço pro amor, cada vez mais escondido em nossas florestas....beijos carinhosos e uma linda semana pra ti....


p.s. depois do comentario serio, o inico do seu texto me lembrou o Shrek,,,rs,,rs,,,olha que meleca, quando ele acorda um dia e ve varias criaturas de contos de fadas invadindo seu pantano...e por sinal, certo,,,ele que era fechado pro amor, acabou atraves disso descobrindo sua princesa...menina, que viagem...rs..rs...beijos

Maria Dias disse...

Um coração diante de leões famintos?Hum espero q tenha tido tenpo dela se desvencilhar.Bonitinha a história dos corações com vida por viver.Passando só pra te deixar um beijinhos

Maria

Poeta Mauro Rocha disse...

Ola!! Feliz 2010, e quem disse que os textos antigos não são ótimos de ler e reeler??

BJS

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

O coração não tem memóia, é o que digo.
Ao menor sinal, se entrega aos leões famintos.

Beijo

MR disse...

Não se pode ter medo pois os leões saberão, e a comerão.

Mariana disse...

O texto pode ser antigo, mas o conteúdo não.

Jardineiro de Plantão disse...

Me fez lembrar um proverbio... "Quem mexe com lume se queima".

Não será bem este caso... aqui quem mexe com leãozinho faminto é comido, mas as semelhanças são notórias.

Pobre o marinheiro que cai no canto da sereia. Coitada da menina que tem memória curta.

Engolir fogo...
Andar na corda bamba...
Agora atirar-se sem rede de protecção... Pobre pequena.

Um ensaio, que poderá dar um bonito conto, pois ingredientes não faltam.

Beijo com carinho fraterno

Ana Lu disse...

Nossa, é realmente impressionante como é um espetáculo tudo que nossos corações fazem durante a vida.. Refleti muito nesse texto..
Como eles realmente estão numa corda bamba..
Muito lindo
Beijoss

O Sibarita disse...

Xiiiiiiiiiiii kkkk um leão faminto moça, bota prá lenhar, come mesmo... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

COMEU FOI? KKKKKKKKKKKKKKKKKK

Bjs
o Sibarita