terça-feira, 3 de agosto de 2010

 Clarice Lispector
Praça Maciel Pinheiro - Recife/PE
A casa de primeiro andar atrás ela morou na infância.


"Tudo passa, mas o que te escrevo continua"


Concordo...continua nos papéis, no computador,
nas lembranças
Se um dia te escrevi...ou se por algum motivo pensando em ti escrevi
Nunca mais te esquecerei.


21 comentários:

Daniel Savio disse...

Mas fica pela gente escrever para quem a gente gosta, eles principalmente vão guardar o que fazermos...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.

Memória de Elefante disse...

Paula!

Clarice sempre me fascinou e fascina... lá, mais à frente, ela continua, muito mais longe do que todo o saber em seu mistério no olhar o mundo e extrair as palavras da alma.

Das coisas boas e belas que acabaram nos vêm sempre uma luz e uma capacidade de ver mesmo o mais banal com algum encantamento.


Um beijo

Cαmilα ♥ disse...

Paulinha
Faço de tuas palavras as minhas, pois o q se escreve fica eterno, de algum modo.

BeijO


Ps. Sou fã da Clarice!

Maria disse...

A memória é um registo fantástico!

Beijo, Paula.

Everson Russo disse...

Porque o que a gente escreve é a alma,,,essa jamais passará,,é eterna,,,,beijos querida e um dia lindo pra ti...

Mai disse...

Paulinha, eu não lembrava mais dessa praça.

A escrita faz isso - congela o que se pensa e diz.

beijos, querida.

Sonhadora disse...

Minha querida
o que se faz e o que se escreve, são lembranças que ficam para sempre.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Dauri Batisti disse...

Bela postagem. Tomar contato com a Clarice faz bem em qualquer tempo.

Beijo

Ana Lu disse...

O que está escrito sempre continua. Ainda mais se foi escrito na alma ou no coração.
=]
Beijos Paula!

myra disse...

continua, continua, nos fascinando, grande mulher grande escritora...
e voce me fascina tambem ,minha querida Paula:)))))))))))))sempre com coisas tao boas aqui!!!
beijos

gabriela m. disse...

eu sempre escrevo, às vezes pra mim, às vezes pra alguém, mas depois que passa, é como se não ficasse nada pra mim.
perde a graça, mas do escrito não me desfaço, que isso é perder um filho.

Pelos caminhos da vida. disse...

Post perfeito, adoro Clarice.

beijooo.

Ava disse...

Querida Paula, as vezes como tornados, outras como brisas outonais, assim nossas palavras vão ficando. Assim nossos sentimentos vão sendo extravasados
tomando formas de palavras que vão ficando registradas de várias maneiras...

Querida, eu também tenho ando assim, as vezes tempestade tropical, as vezes apenas uma garoa... Nessa gangorra de sentimentos tento manter meu equilíbrio...


Beijos e carinhos meus!

Carla disse...

"Clarice
Veio de um mistério
Partiu para outro.

Ficamos sem saber a
Essência do mistério
Ou o mistério não era essencial,
Era Clarice viajando nele."


Carlos Drummond de Andrade

Uelton Gomes disse...

Como é bom passar aqui, belas palavras.

Tudo passa, mas o que feito com amor e carinho é eterno.

Abraços

Água disse...

Oi Paula! Uma vez me disseram que não colocasse no papel meus sentimentos, pois, mais tarde, iria me arrepender. Olhando para trás, ainda bem que não o ouvi! Me arrependeria se não tivesse feito meus registros. Um beijo, Água.

Franzé Oliveira disse...

Ficarei sem NET por um tempo, viu?
Sentirei saudades.
Beijos.

Daniel Hiver disse...

Os medos que consomem e sempre acham um jeito de voltar nas horáis menos prováveis são como tudo aquilo que passa, quando o que escrevemos é só o que continua.

Vivian disse...

...até em um simples papel
de pão o que escrevemos
pode durar uma eternidade.

que dirá os poetas que sabem
a que vieram.

e a Clarice é e sempre será
a Clarice que encanta.

bj, querida!

Maria Dias disse...

...Acho triste passar pelo outro feito folhas q voam, feito pétalas de flores, feito sementes carregadas pelo vento, mas tb penso q sou semente e me imagino por aí deixando pegadas(me imagino brotando lembranças).
Bacana esta fotografia com a casinha ao fundo e a escultura de Clarisce esta baita pensadora(poucas foram como ela!Admiro demais esta super Escritora!

Allyne Alves disse...

Clarice é sempre Clarice! Uma das minhas favoritas da literatura. Verdadeira, unica, eterna...

Post perfeito! Bjs, querida