sábado, 4 de dezembro de 2010


Todos os dias abria a porta
Um cheiro de figo maduro
Me trazia um gosto bom na boca
E uma dor de saudade

A lembrança vinha assim
Acompanhada de cheiros
De sabores, de saudades
Do carinho que era sentido

Estavas no pé de figo
A me proteger dia e noite
Era só eu abrir a porta
E me sorrias

Todos os dias me lembrei de você
Era forte a tua presença
Que o pé de figo não me deixava esquecer
Ali, tão distante, e estavas tão presente

Me cumprimentavas ao amanhecer
Sorrindo com o brilho do sol
Preocupado sempre
Em dizer que se lembrava de mim
Porque eu, olhando o pé de figo, só lembrava de você

Naqueles dias
Estive impregnada do cheiro de figo
Das folhas bonitas e desenhadas
Das lembranças, das saudades
Protegida, acolhida
Como nos tempos dos doces de figo
Que você colhia, separava, mandava fazer o doce
Especialmente para mim
Porque você gostava de mim
E eu sentia
E gostava de você.

15 comentários:

Maria disse...

Tão lindo, tão ternurento, que me comovi. Frases poderiam descrever o que eu sinto. É a vida. É?
São os sentimentos a falar!

Um beijo, Paula

myra disse...

pura emoçao, lindissimas palavras minha querida!!!!!
beijossssssssssss,Paula!

Everson Russo disse...

Poema cheio de desejos, de lembranças e paisagens de amor, aquelas que ficam em nossa retina, perfumes gravados na alma,,,nos desejos,,nos sonhos que um dia foram construidos...beijos de linda semana pra ti querida,,,

p.s.obrigado pela sua navegação no Livro,,,adoro seus comentarios sempre...beijos.

Pedro disse...

Doce sinestesia...

Armindo C. Alves disse...

Paula
Quando os ciclos se completam com amor e terminam em paz, a sua memória se eterniza.
A memória nos transporta para o transcendente e num desejo de partilha dialogamos em silêncio.
O Céu reflectirá o nosso próprio sentimento como uma luz guia e protectora.

Bonita a história e grande o sentimento.
Só as pessoas de valor arrastam as outras no seu pensamento...

Boa semana.

Beijos.

Vivian disse...

...Paula minha linda,
existem cheiros que ficam
impregnados no olfato da
alma, e estes jamais se
apagam nem com a borracha
do tempo.

adoro ler você pq leio
a beleza que te habita.

e quanto a estas interligações
entre posts e blogueiros,
afinidades de pensamentos
não se explicam...se sentem
e pronto.

gosto disso...assim como
gosto muito de você!

bjbjbjbj

walter disse...

sempre as tuas lembranças...
ternas e doces!

terno também o meu abraço!

walter

Cαmilα ♥ disse...

Muito lindo Paula!
Adoro doce de figo, me lembra a casa que morei na minha infancia.

BeijOs e ótima semana

Blue disse...

Bonita sintonia entre poema, foto, figo e uma pessoa.
E por isso a lembrança, a saudade.

Beijos

Olhos de mel disse...

Oie Paulinha, lembranças que nos traz de volta pessoas que amamos. Lembranças que nos deixa tristes e impotentes diante das circunstâncias... mas faz parte da vida.
Lindo post!
Boa semana! Beijos

Ana Lu disse...

Impressionante como as pessoas marcam a nossa vida através de coisas simples como figos né?
Lindo o texto Paula!
Beijos

Everson Russo disse...

Uma otima segunda feira pra ti querida e uma belissima semana...beijos de carinho e amizade.

Espaço Aberto disse...

Mais uma vez temos o prazer de convidar os nossos amigos para participar de nosso Concurso Literário. Nosso maior objetivo é a interação e levá-los a se inspirar e a expressar através das palavras o que o momento despertar em seu coração. Então em nome do Amor e da Caridade, estamos lançando o nosso: 2º Concurso Literário – Tema: Então é Natal...
Contamos com a sua presença!
Um abraço carinhoso

BRANCAMAR disse...

Paula, querida,

Lindo e comovente o teu texto, ao mesmo tempo de uma grande serenidade. São assim as grandes relações, deixam uma suave saudade, que é terna ao recordar e é tão lindo, são tesouros qe nos habitam.
Beijos

Daniel Savio disse...

É sempre bom conhecer pessoa novas, ou tornar algo papavel algo que temos aqui...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.