segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Faz tempo! Faz tempo que você me olhou nos olhos. Vi emoção em seu olhar. Tempo é algo relativo, e não vou dizer o tempo que este fato aconteceu. Parece que foi ontem que você me olhou nos olhos, me ouviu, tocou as minhas mãos.

Guardou as minhas mãos nas suas. Me guardou em mim, dobrada em lembranças, em saudades. Em vontades. Em sonhos.

Me olhou nos olhos e me respirou. Entrei por aquele olhar, me vi, mergulhei em mim, ainda não voltei.

O tempo. Parece que foi ontem, aquele instante. De olhos que queriam falar. Dos olhos marejados ansiando um pouco mais de tempo. E no tempo que se findava, o abraço. O abraço. O abraço e a vontade de ficar. O adeus por vir.

E naquele instante. Os lábios que quase se tocaram. Era um tempo breve. Não sei porque não lhe beijei. Parecia estar em mim todo esse poder. Beijar ou não beijar?

Foi o tempo. Mais um tempo. E o beijo não foi dado. Meus lábios anseiam os teus. E se o passado não volta, não sei se o presente virá. Este presente, o beijo.

14 comentários:

HSLO disse...

Que maravilha Paula....


abraços
de luz e paz

myra disse...

"entrei por aquele olhar.."
que lindo e emocionante texto texto, muitos, muitos beijos minha querida Paula!

Everson Russo disse...

O tempo nos é implacavel, a gente nem percebe ele passando, por isso, jamais devemos deixar pra depois um beijo, um olhar, um carinho, um afago, e um eu te amo,,,pois pode não dar tempo depois...beijos querida e um dia lindo pra ti.

Maria disse...

Soberba prosa, Paula!
Tudo o que é sentimento a transbordar, aqui.
Amei!

Beijo.

Pedro disse...

Há coisas que passam e que ficam no passado, mas há um tempo que volta para corrigirmos certas incoerências.

walter disse...

olha Paula... acho que o Pedro tem razão!

são pontos de vista... e o teu ponto de visto é todo ele alma e coração!

amei este texto!

abraaaaaaaaaaaaaço

walter

Blue disse...

O beijo e o tempo,
levam a outros lábios
e outros tempos.
Mas o primeiro beijo,
este deve ser dado no tempo certo.
Depois outros virão,
todos no tempo certo.

Beijos em tempos certos!

•.¸¸.ஐBruneLLa França disse...

Esse presente...
Anseio por ele. Apenas dela.

beijos e borboleteios

Ana Lu disse...

Ah, quantos beijos deveriam ser dados e não o são...
O importante é que o presente existe para consertarmos isso, ou aceitarmos que talvez não fosse para ser.
Beijos

Sombra do Sol disse...

Olá ,Paula, faz tempo que não aparecia, mas estou de volta e passei bom tempo em sua página atualizando a leitura e bebendo no cálice de sua sabedoria. Fiquei feliz em saber que está realizando seus sonhos, e estou pegando carona nessa viagem, suas fotos nos transporta e o imaginário quase real fica. As formigas nos dão um bom exemplo de organização. Apesar do fato de que milhões delas vivem juntas, elas não têm problema algum umas com as outras, não há confusões nem desordem. Elas vivem uma vida extremamente bem planejada e todas obedecem às regras. Quanto ao texto que agora comento, nessas horas das mãos entrelaçadas, respiração ofegante, coração palpitante, pode estar certa que não deixastes de beijar, pois neste beijo que não deu, foi o beijo que gostou, e o sabor guarda até hoje, pois os momentos vividos estão eternizados em seu sentir. Tenha um excelente decorrer de semana com muita paz, saúde e luz. Abraços fraternos do amigo.

Anônimo disse...

.....o tempo nos guarda. ele nos sabe!

BRANCAMAR disse...

Tão lindo o teu tempo Paula, um adescrição maravilhosa de um estado de alma e acredito que esse presente virá. Tudo o que desejamos com muita força sempre acontece.

Beijos
Branca

Daniel Hiver disse...

O tempo, ou a falta dele... O beijo, ou o quase beijo...
Os lábios que quase se tocam...
Quando é possível sentir a respiração arfando...
Nossos corpos voltam para o lugar de onde sairam...
Mas nossos desejos aparecem mais tarde e nos cobram a falta de ousadia.

Daniel Savio disse...

Alguns momentos não voltam, então se são caros, tem de lutar por eles...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.