segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Caminhos





Era tão chuva quanto sol. Era brisa e vendaval. Sabia o caminho que trilhava, mesmo quando pegava um atalho e se perdia, sabia os rumos e os prumos dos pés.

Podia sentir o cheiro de mato crescendo na estrada. Podia sentir o cheiro de se recolher, porque as nuvens anunciavam um temporal.

Sabia seguir a estrada principal. Gostava de andar pelas estradas vicinais, aquelas viscerais, nessas estradas as belezas eram menos exploradas, existiam o cheiro de mistério e de novo. E sempre descobria novos caminhos.

11 comentários:

EDER RIBEIRO disse...

"Cheiro de mistérios e novo". Fechei os olhos e senti o cheiro do mato verde qdo eu era criança e acompanhava meu pai em seu jipe pelas veredas da bahia. Bjos.

Blue disse...

Pegar um caminho assim e seguir.
Sem se preocupar se haverá sol ou chuva.
Apenas seguir. E deixar acontecer.
Os cheiros virão. Serão lembranças de uma época que passou. QUe alguém um dia trilhou...

Beijo

Ilaine disse...

Estes caminhos me são tão afetuosos- parecem o mesmos que andei. Caminhos enfeitados com teu jeito, com teu sentimento, com tua sensibilidade e com o teu talento. Maravilhoso poder precorrê-los com você. Beijo

myra disse...

eu tambem gostava de tomar caminhos, veredas desconhecidas, mas nunca tao bem descritas como por voce!e linda foto
beijos,

EDER RIBEIRO disse...

Só agora percebo que digitei errado, é a pressa paulistana, é lógico. Corrijo: "Cheiro de mistérios e de novo". Paula, sinceramente, o baiano só tem um dia da semana, amanhã. É tudo para amanhã e amanhã nunca chega... Rssssss. Bjos.

Daniel Savio disse...

Tem um que de Andarilha na posta, de andar atrás de novos destinos e novas sensações...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.

mfc disse...

E todavia o caminho é esse.
Prossegue!

walter disse...

hoje, me apetece perder por aqui!

tem pégadas tuas no caminho e eu descobrirei sozinho o mistério do teu caminhar até às longínquas estrelas...

abraços

walter

Armindo C. Alves disse...

OS caminhos são sempre feitos de encantos e desencantos, de amores e desamores. Tudo depende das nossas escolhas. Serão o somatório das nossas caminhadas.
Nem sempre a escolha mais linear é a mais acertada. Se "desenhares" com amor e respeito encontrarás o teu rumo.

Beijos.

Everson Russo disse...

Muitas vezes, por mais que a gente conheça o caminho e seus atalhos,,,é bom poder se perder,,,só pra se encontrar depois...e se encontrar ao lado de quem se ama,,,,ou ser encontrado,,,tambem é muito bom....grande beijo de bom dia pra ti.

epee disse...

E com eles, os novos caminhantes, dos novos caminhos.

No olhar perdido no horizonte, mas sempre focado na determinação de saber por onde andar, como andar, a que passo ser, e à velocidade aplicada.

¬
Bom dia.