terça-feira, 1 de março de 2011



Pensou ter liberdade. Achava-se livre no ir e vir. Não percebia que estava cada dia mais presa. Em laços invisíveis. Incompreensíveis. Beleza e mistério era o caminhar. A liberdade era limitada. Limitava-se neste ir e vir.

Tentava alargar o horizonte. Espichar a boca do céu em sorrisos. Tentava ver estrelas em outros caminhos. Mas o sol brilhava dentro do seu jardim de pétalas, e iluminava seus passos, que retornavam sempre pelo mesmo caminho.

Seguia intrigada. Mas cedia a sua liberdade ao cárcere das emoções. Neste ir e vir, pensava colher-se neste caminho de tantas portas e janelas....onde a chave da liberdade era a emoção....que era a mesma chave que aprisionava.


11 comentários:

Dauri Batisti disse...

Um outro texto, bonito.

Sua prosa poética, misteriosa, se adensa.

A personagem sofre em seus conflitos, em suas dependências ("seus passos, que retornavam sempre pelo mesmo caminho".

Sua prosa me lembrou Yasunari Kawabata, autor japonês que entre outras obras lindas escreveu Beleza e tristeza.

EDER RIBEIRO disse...

Sabe, Paula, às vezes eu me pergunto até onde somos realmente livres, e este texto dá uma ideia de que a liberdade é limitada. Aproveito e vou colher a indicação de livro que o Dauri deixou no comentário dele. Bjos.

Blue disse...

Liberdade é livre pensar?
É horizonte alargar?
É tudo isso e muito mais...

Beijo
PS.: Senti falta de uma foto, sabes Andarilha, as fotos aqui são sempre perfeitas!

myra disse...

a liberdade està dentro de nos!!!
linda foto e otimo tudo o que diz, minha querida Paula,

Everson Russo disse...

Muitas vezes buscamos a tao sonhada liberdade, e quando ela nos vem,,não sabemos ao certo seu tamanho,,,seu limite,,,onde batem seus sonhos....grande beijo de bom dia pra ti qeurida.

mfc disse...

Somos absolutamente contraditórios!
Mas aí reside um dos nossos maiores poderes de atracção!

Tatiana disse...

Então... vamos caminhando com passos que querem a liberdade mas acabam ficando presos por nossas emoções.
Minha mente voou ao ler as suas palavras...
Um beijo carinhoso

Daniel Savio disse...

Infelizmente, acabou pensando no rotina diaria que nos preende...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.

Luciana Andrade disse...

Lindo! A chave está, normalmente, em sentir!

epee disse...

A chave. A liberdade. E o caminho, de idas e vindas.

A chave que abre à liberdade de se caminhar, de se fazer caminhos e histórias e de mantê-las próximas às lembranças, no rememorar de emoções que favorecem a mesma liberdade.



¬

Everson Russo disse...

Uma quinta feira recheada de poesia e versos pra ti,,,beijos.