terça-feira, 12 de abril de 2011



Ando com ares de inverno
Um tanto nublada
Um pouco mofada
Já ficando enferrujada

De amor não sei escrever
Porque me proíbo de sentir
Escorrego nas poças do meu inverno
Patinando emoções

As tuas cores me deixam verão
Com ar de primavera
E aspecto de outono
Vibrando rumo a renovação
Das novas estações

12 comentários:

walter disse...

emferrujada da Alma é que tu não estás!

Adorei te ler, escorregadia, nublada de emoções...

beijos

Walter

Samaryna disse...

Paula, por sermos tropicais necessitamos tantos do sol, das cores e do aroma, e por incrível que pareça, o outono e o inverno nos tira isso, o sentido, a percepção e por isso nos sentimos nublada. Deixo o meu afeto.

mfc disse...

Qual enferrujada?!
Toca mas é a sorrir... anda daí!

Tatiana disse...

Uma pessoa com uma alma tão grandiosa como a sua jamais perdera o tom e cor das boas e belas estações!

Paula sou sua fã! Adoro tudo o que você escreve!

Um beijo carinhoso

Neto disse...

Oi Paula!

Interessante este poema. Bem profundo. Gostei!

Nanda Assis disse...

gosto muito dessa nostalgia.

na primavera não nascem tantas flores, como no inverno nascem poetas.

petbeijos..

BRANCAMAR disse...

Paula,

Hoje já vais a caminho das novas estações, nada mau... :)).
Muito lindo o teu poema, o teu sentir, nesta árvore personalizado.
É uma beleza esta fotografia! Deitar debaixo de uma árvore dessas é aquele bocadinho de paraíso que por vezes temos dentro de nós.

Foi o que me fizeste sentir olhando para ela, quer seja Outono, Primavera, Verão ou Inverno, até mesmo que chova...debaixo dessa árvore a chuva deve ser pérolas de água doce.

Beijinhos para ti.
Branca

Sonhadora disse...

Minha querida

Vamos escorregando pela vida...por vezes inverno...outras Primavera...mas sempre sentindo, adorei e deixo um beijinho.

Sonhadora

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Paula...as vezes fico comparando as estações com as nossas estações internas, as estaçoes da alma e me vejo em todas elas...são nossos momentos de alegria, de tristeza, de renovação e até mesmo de sublimação...
Mas primavera e outono são as que mais me rendem poemas...
Um abraço na alma
Beijo

myra disse...

"Escorrego nas poças do meu inverno
Patinando emoções!"
lindissssimo!
como sei como te vem tantas belissimas imagens! aplausos,minha querida amiga!e logico um gde beijo

epee disse...

Mas as cores vivas e bem reais, ainda que na imaginação, fazem florescer a poesia da paixão!

¬

Ilaine disse...

As tuas cores me deixam verão - que tão poético, Paula. Esses ares de inverno passarão e lá adiante... nem tão longe assim, a primavera dorme. Mas vai acordar. Beijo