terça-feira, 5 de abril de 2011



Muitos poetas, editores, escritores, dizem ser difícil viver da poesia. Difícil mesmo, eu acho, é viver a poesia. A poesia do encontro. A poesia do amor. A poesia da entrega. A poesia de uma vida mais leve. A poesia da liberdade de ser....

28 comentários:

Tatiana disse...

Concordo... Viver a poesia é algo que intensamente nos revela, nos transparece diante de olhos que muitas vezes não saberão compreender e entender.
Mas por outro lado nos eterniza em mentes e corações que com sensibilidade nos captam.

Beijos com muito carinho

Blue disse...

Sempre digo que o amor existe apenas na poesia...
Viver este amor escrito, descrito pelos poetas e escritores, só mesmo em sonhos...

Beijo

Samaryna disse...

Paula, talvez nos falta ter olhos de poeta para enxergar a vida pelos sentidos da alma. Deixo o meu afeto.

Anônimo disse...

Aí é que está a Poesia, o viver difícil dela!

Sonhadora disse...

Minha querida

Ser poesia...viver a poesia, por vezes dói muito, adorei o texto e deixo um beijinho.

Sonhadora

mfc disse...

Tão bem dito.... parabéns!

Dauri Batisti disse...

Obrigado pela indicação lá no ESSAPALAVRA da letra da Música Veleiro interpretada por Elis Regina que cito no meu texto, decerto vc sabe que encontra Elis cantando veleiro no youtube.
abraço.

myra disse...

sim é dificil viver da poesia mas podemos fazer de nossa vida todo um poema! de liberdade, justicia, e muito amor!
beijos

Daniel Hiver disse...

Belíssimo post Paula. Você disse tudo. Poucos vivem a poesia. Bem poucos. Raros.
Um beijo!

Sonia Pallone disse...

É verdade querida, há uma grande diferença entre viver "da" e viver "a"...tem que ter uma enorme sensibilidade no meio... Bjão linda.

Anônimo disse...

A poesia é, por definição, linguagem em crise (em outras palavras, criativa), ser de linguagem, coisa-pensamento com vocação metalingüística, lugar em que os dilemas fundamentais de uma época são problematizados a partir dos seus estratos sígnicos. Ou seja, a realidade não é algo apreensível, capturável; não cabe na imagem de um bloco monolítico. O real se assemelha a algo em construção, em processo; um campo de possibilidades e sempre mediado por signos. A realidade, então, precisa ser lida, decodificada. E a cada leitura obtemos um sentido provável para o instante precário. Revogação e re-evocação.

Enfim,o que o poeta desconhece o poema sabe.

Alexandre Weimann

Memória de Elefante disse...

O poeta traz do berço um modo próprio de lidar com a palavra. Não se trata, porém, de um presente dos deuses, de uma concessão divina, como se pregava em outras épocas. Trata-se de um fenômeno genético, biológico, sei lá. Há quem nasça com talento para pintar,para a música. E há quem nasça com talento para fazer poemas. Sem a vocação, o sujeito não vai longe. Pode virar um excelente leitor ou crítico de poesia, mas nunca se transformará num poeta respeitável.
Converter a vocação em expressão demanda um esforço imenso.Tudo vai depender do equilíbrio entre o acaso e a necessidade.
A vocação é acaso. A expressão é necessidade.
No fundo, a vida não passa de uma constante tensão entre acaso e necessidade.

Um beijo

Constantino, Guardador de Vacas disse...

Eu não sei se conseguiria publicar meus versos. Acho que morreria de fome.

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Paula...quantos passarem por aqui irão concordar com o que você escreveu...porque poesia é poesia...rs
Na poesia tudo fica mais leve, mais bonito e um tanto distante da realidade
Mas na poesia temos a liberdade de ser...de ir e vir, mesmo estando no mesmo lugar...rs
Engraçado isso...rs
Um abraço na alma
Beijo

FRAN "O Samurai" disse...

Olá amiga!

A poesia só é sentida naqueles que se abrem de corpo inteiro para todos os sentimentos, mesmo aqueles pequenos... Acredito no poder da percepção da alma, onde conseguimos enxergar com clareza tudo a nossa volta e damos valor as coisas tão pequenas, mas que nos fazem abrir um sorriso e assim, alegrar nosso dia.

Beijos.

tossan® disse...

Quando era mais jovem queria viver das minhas palavras que só os amigos e as enamoradas queriam saber os parentes me chamavam de idiota utópico, então fui para o comércio, política e contabilidade, dar aulas...Quer saber? Continuo sem dinheiro...Rsrsrsrsrs...Beijo

Ilaine disse...

E que lástima que assim seja. Penso que na maioria das vezes nos perdemos em nosso tempo e quase esquecemos de viver a poesia de algo grandioso do qual falas, Paula: o encontro, o amor, a entrega... "A liberdade de ser" é uma linda poesia e devemos lutar por ela e vivê-la com intensidade. Faço minhas as palavras do Élcio: "Mas na poesia temos a liberdade de ser...de ir e vir, mesmo estando no mesmo lugar...rs" É importante que poetamos, pois. Beijo.

Everson Russo disse...

Em dois pontos,,,dificil viver da poesia porque talvez seja dificil vender sonhos...

Ja o segundo,,,viver a poesia é voar junto dela,,,é sair do chão sem tirar os pés,,,é encontrar a perfeição em cada esquina,,,em cada chuva,,,em cada jardim,,,em cada olhar,,,talvez o mais dificil do viver a poesia,,,seja amar,,,pois é contraditorio,,,buscamos na poesia a explicação para o amor,,,só que nao podemos encontrar, porque o dia em que encontrarmos,,,se encontrarmos essa explicação...acabou o alimento da poesia...o misterio do amor....beijos de bom final de semana pra ti...com muita poesia.

Benno disse...

a poesia não é uma profissão, mas um estado de espírito.
quanto ao meu poema doido, deixei a mente livre ir compondo... eu às vezes não me entendo, pois deixo o subconsciente comandar. mas, no caso do poema em questão, eu mesmo vejo a luta do sim e do não ser comandada pela dúvida. O sim e o não, provêm da certeza e são os algozes da dúvida, entretanto é da dúvida que surgem os sentimentos e a emoção. o mundo é comandado pela incerteza e não pela certeza, a dúvida é o grande senhor. até os números são meio dúbios - vide as estatísticas e pode se chegar a medições radicalmente diferentes para o mesmo fenômeno variando os critérios de medição, sendo a escolha dos critérios inteiramente subjetiva. Bom, tem um tanto de poeta e engenheiro lá :) beijos e obrigado pelos comentários.

Benno disse...

só acrescentando, outras interpretações são bastante válidas (como a sua por exemplo) mesmo porque a incerteza do linguajar poético e a existência de inúmeros processos semelhantes ou análogos no universo isso permitirem :) Beijos

Everson Russo disse...

Um sabado cheio de carinho e paz pra ti minha querida amiga...beijos e beijos.

Samaryna disse...

Paula, eu dei risada do seu comentário, não precisava dizer que é humano, quem de nós nunca fez o que está descrito no início do texto do Eder. Quero agradecer em nome dele o seu comentário. Deixo o meu afeto.

Everson Russo disse...

Uma excelente semana pra ti minha querida..beijos e beijos.

Mallu Brasil disse...

Difícil é viver sem poesia. Amei a foto

Ana Lu disse...

Ei Paula querida! Disse tudo, é realmente difícil a poesia, isso explica bastante porque eu só gosto de poucas, porque são as que consigo imaginar, sentir!
Beijos!

Vivian disse...

...o poeta de verdade não
se importa de viver da
poesia.

ele é a poesia!

bj, minha linda!

BRANCAMAR disse...

Ontem pelo meio da leitura do outro teu blog li este texto já tarde e voltei para reler, tão profundo que acho nem precisa comentário. É a tua alma de poeta e de menina generosa e autêntica a falar...e é tudo a afirmação das grandes e simples verdades da vida.

Beijinhos
Branca

paulo disse...

É Paula, é muito difícil, mas não devemos desistir.
Beijo, saudade