sábado, 20 de agosto de 2011


Não sou um livro aberto. Não, não sou. Nem acredito em quem diz que é. Dependendo do leitor posso ter capa ou não, ter título e subtítulo, posso ter muitos contos dentro de um conto. Posso ser um livro infantil, de mistério, ou de terror. Posso ser um romance. Se for um bom leitor pode até me reescrever. Ou escrever uma nova história comigo para compor meu livro.
Sou um livro de muitas edições, reescrito a várias mãos. Com vários co-autores. Estou sempre me preparando para uma nova reedição.
Não sou um livro aberto, porque deixo sempre que fique o gosto de me abrir e me manusear, folhear o sentir, o cheiro do que está escrito e inscrito em mim.
Sou um livro inacabado, com páginas em branco. Esse é o grande prazer do viver. Aguardando novas histórias para serem escritas.
Sou um livro feito de imagens, sons, cheiros. Lembranças, dores, alegrias, realizações, frustrações, sonhos. Nascida a fórceps, vivo me parindo.
Já escreveram histórias nele, com lápis grafite e essas o tempo apagou. Já escreveram de carbono, e eram cópias de outras histórias. Já escreveram a sangue, com o meu próprio. As melhores histórias foram as que eu escrevi, escolhendo o tema, os personagens, mesmo quando o enredo não teve o final feliz ficaram gravadas na memória.
Na realidade, não sou um livro, sou uma biblioteca. O leitor pode escolher o que vai ler. A verdade é que gosto do leitor que mergulha no que ler, que escreve junto comigo novas histórias, que ajuda no enredo, que descobre os mistérios, me descobre.
Gosto do leitor que sabe manusear as folhas com carinho e com o desejo de ler mais e mais. E reler. Amo, e só assim me abro, quando o leitor ao me ler brilha os olhos e fica com gosto de quero mais.





09.08.09

10 comentários:

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Adorei essas palavras com uma grande intensidade no sentido objetivo!
Mergulhei nessas palavras profundamente!
Bj

Ana Lu disse...

Lindo e verdadeiro, pra variar. Gostei muito da parte que você diz que pra cada leitor você tem coisas diferentes. E é bem assim mesmo. Pra cada leitor nos doamos de forma diferente, e cada um deles também faz sua própria interpretação do que lê...
Beijos!

walter disse...

de olhos arregalados leio-me nos teus!

brilhante esta tua página!

abraço carinhoso!

Walter

Maria Dias disse...

Vc nao é um livro aberto mas sua sinopse é interessantíssima...Sabe aqueles livros que tem capa e sinopse interessantes?Pois é, se vc fosse um livro eu compraeria na hora!rs...

Beijinhos e q vc tenhauma ótima semana!

myra disse...

"Nascida a fórceps, vivo me parindo."
nao somente tudo que diz é muito muito bom, mas esta frase, achei excepcional!!!
com admiraçao e tantos bjs

EDER RIBEIRO disse...

E com certeza, vc é um livro que gostaria de ter na minha estante, pois te ler é navegar por sabedoria. Bjos.

ELANE, Mulher de fases! disse...

Vc é assim, livre, leve e solta, viver tem q ser assim, deixar a emoção e os sentimentos nos levarem,
viajei nas suas palavras!!
Sergio manda abço, pense no frio!!!

BRANCAMAR disse...

Paula,

Adorei ler-te e fiquei com gosto de quero mais, por isso voltei, por ti, por outros lindos como tu, depois de algumas peripécias, mas voltei.

Beijinhos
Branca

Vivian disse...

...e que livro temos aqui,
my God!

uma leitura de doce prazer!

bjokas, alma linda!

Dona Sra. Urtigão disse...

Brilhante ! Sem comentarios, só admiração.