terça-feira, 27 de setembro de 2011





A mente vagueia inquieta entre os livros deitados no chão, é a obrigação ali estendida. A insônia acordada vigia os pensamentos que não dormem. A mente grita incessante, não cansa, não deixa o sono dormir. Só repousa nos seios das tuas palavras que estão juntas entre os livros técnicos. O teu escrito alimenta de sonhos a mente irriquieta e carente de colo. O pensamento acalma. O sono acaricia a insônia. A mente adormece.




23.09.11 - 1h55



8 comentários:

EDER RIBEIRO disse...

Lermos sem a obrigação o que nos dá prazer não dá insônia, mas prazer.

Ilaine disse...

Querida Paula!

Obrigada pelo carinho.
Eu amei, simplesmente amei o que escreveu no comentário.
Fiquei muito emocionada.
Ah, esta troca é muito preciosa, amiga!

O sono acaricia a insônia... Este, então, é lindo também. Palavras que vem de dentro, que revelam o momento. "A insônia acordada vigia os pensamentos que não dormem." Paula, é muito bonita esta frase, assim como todo o texto. Humm! Este eu queria ter escrito também!

Pela tua escrita te admiro.
Beijo

mfc disse...

O prazer de estar entre eles não se descreve!

myra disse...

"...O sono acaricia a insônia"
que mais te digo alem de sempre gosto tanto de que diz e sempre sinto como voce!
beijosssssssssssssssssss

Everson Russo disse...

E que a mente adormeça em versos de amor, encontrando a tão desejada paz...beijos de bom dia.

Maria disse...

..."não deixa o sono dormir."
Esta pequena frase podia ser de Mia Couto...
Todo o teu texto é bonito de angustiante. Amei!

Beijo, Paula.

Maria disse...

Paula, os teus últimos 8 posts (OITO) cairam todos ao mesmo tempo, há minutos atrás, aqui. Não entendo...

:(((
Beijos.

Maria disse...

Não há duas sem três...
Descobri aqui o blog da tua mãe. Vou LER!!!

Beijo para ela e para ti, com saudades.