quinta-feira, 15 de setembro de 2011

série: amigo imaginário




Cadê a história? Sempre perguntas que ficam penduradas nos olhos emocionados, e que pulsam no descompasso de uma coração acelerado, que faz zig zag no peito. É preciso saber calar. É preciso saber calar. Nada de perguntas. Nada de mostrar que caminhou por caminhos ainda não abertos. Quais os seus sonhos? O que pulsa no seu coração? Pulsa em mim tudo que diz respeito a você. Todas essas interrogações prenhas de vazios de respostas. Não saber de você, não saber dos seus sonhos. O que sei de você foram peças de quebra-cabeças recolhidas nos antiquários do tempo. Relíquias da tua alma. Peças preciosas que te montam.


Texto: 15.09.11

7 comentários:

mfc disse...

Imaginamos os outros decalcados das nossas vivências... com algumas pequenas dicas que eles nos deixam!

Nanda Assis disse...

nossa, nem sei o q comentar amiga. mas é isso, pessoas são esse quebra cabeça, esse enigma, q nos estiga a desvendar.

bjos...

myra disse...

enigma, asim que nada a fazer, mas acho que o que voce escreveu se chama saudades, de tudo!
te entendo mto bem...
beijos e animo!!!

Maria Dias disse...

...as vezes escutamos melhor quando calamos assim no compasso do coração.Lindo os pensamento teus.

Beijinhos

Maria

Mariangela disse...

As vêzes o silêncio faz com que; enxergamos, discernimos e sentimos melhor as coisas!
Beijo Paula!

Armindo C. Alves disse...

Quando se percorre o mesmo caminho, quando se partilham sonhos, não é necessário fazer perguntas. A resposta é a vida, basta estar com atenção.


Bom fim de semana.

Beijos.

Paulo Francisco disse...

Adorei este poema. Muito bom.
Um beijo grande