sexta-feira, 23 de setembro de 2011





Solta, solta
Os teus pensamentos
Feito nuvens encaracoladas no céu

Solta, solta
A música que entrou pelos poros
E que toca em teus sentimentos

Solta, solta
Os dedilhados azuis celestes
Que inspiram os teus anseios

Solta, solta
Cada pedacinho da tua emoção
Que colherei ao amanhecer

Solta, solta
Os teus ventos alvos e sorridentes
Que vou abraçar antes de dormir

Solta, solta
O teu poente poético
Que nascerei alaranjada em campos verdejantes


21.09.11





7 comentários:

walter disse...

Soltei... Paula! :))

E solto um beijo para ti!

Walter

myra disse...

cada dia vce encontra metaforas sempre formidaveis!
amei estas linhas
beijossssssssss minha querida Paula

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Existe sempre algo para soltar, basta viver a vida com naturalidade mas sem entrar em melancolia!

Bom fim de semana Paula!
Bj

Huellas disse...

Precioso blog cargado de bellas palabras y bellas imágenes. Saludos.-

EDER RIBEIRO disse...

a liberdade nós traz todas as possibilidades. Qto ao teu comentário no Gotas, eu concordo contigo, deveríamos falar mais da bondade do que da maldade, o conto serve mais para a reflexão do qto a maldade nos atinge. Bjos.

Everson Russo disse...

Solta essa sua alma, deixa nela fluir o amor, e toda a leveza do seu ser....beijos de bom sábado pra ti.

Ilaine disse...

... dedilhados azuis celestes!
Música e verso. Verso e ritmo. Poetisa! Beijo