sábado, 22 de outubro de 2011




Tão vazio de nada
Tão cheio de mim
Poema flutuando em nuvens
Flambado em lágrimas
Sabor agridoce de vida
Um rio – profundo e raso
Em qualquer tempo – vida
Sonhos de uma vida
Imaginados, naufragados,
Á deriva, vividos.




13 comentários:

Anônimo disse...

Querida amiga nossa vida é pautada de sonhos cabe a nós mesmo não deixar naufragar....bjs com carinho.

Eurico disse...

Bom te encontrar em estado de poesia.

Faz bem pra alma...


Abç fra/terno.

myra disse...

admiro tuas metaforas!mas, eqto a naufragar, tu jamas!!!!tens talento para dar e vender:))) e nao à deriva.....
beijosssssssssssss

Nanda Assis disse...

tem momentos que o passado é mais presente!!

bjos...

Maria Dias disse...

É sempre bom o sabor do sonho seja doce ou agridoce e as lágrimas fazem parte...E enquanto há vida existe a esperança e com ela o sonho. Sonhos sempre sao bons.

Beijinhos de saudade!

Maria Dias

Tatiana Moreira disse...

Oi Paula...
Tenho certeza de que a sua vida é repleta de sonhos, emoções, realizações e principalmente poesia.
Aprecio muito a sua escrita poética!
Que Deus te proteja e ilumine pois o mundo está repleto de maldade!
Por isso ando clamando a paz!!!
Um abraço carinhoso

Maria disse...

Nem de propósito... hoje.

Tão vazia de ti e tão cheia de nada
continuo a caminhada até à foz das lágrimas
onde sei irás desaguar, um dia...

Beijo, Paula.

O Sibarita disse...

Ô Fia, vazia, é? kkkkkkkk Ah bom... kkkk

Ômopai! Lenhou tudo, quem será esse poeta flutuante das nuvens? Aiaiaiaiaai... kkkkkk

Profundo e raso, xiiii... kkkkkkk

Oi vou parar por aqui, seu poema é bacana, porreta demais da conta.

E lá ele está a deriva, naufragado, essa menina? E onde está a bondade do seu coração, que tal você dar uma mãozinha a ele! kkkkkkkkk

Bom, para apimentar deixo um poemazinho, se rete não, viu? kkkkk

Rumores

Que pena! Se dos meus poemas
Envio-te mensagens decifradas.
É que fico na palidez do teu olhar
Largo de rumores e luas afogadas,
À noite a incendiar-te e, entre mim,
Labirintos, gris-notícias cifradas...

Já não sei mais... Absorvo o enigma,
Solerte adubação do olhar ocorrente,
Refletindo o espelho denso/propenso,
Talvez... mendigo, desejos recorrentes
Dos teus olhos tensos/pretensos
Liberando todo sentimento...

Relembras comigo... Amar-te?
Que outros se impregnam da tua seiva corrente,
Enquanto, reservas a mim o aroma distante?
Que outras bocas te dirão? Ah, o quanto sonhaste!
Ocupa-me dizer-te das primaveras mal abrigadas,
Flores temerosas, fugitivas, desejadas...

Mas, o coração flutua na leitura do olhar
Que ama em quem crê no todo brilho,
Por quem se despe e por quem padece
De ânsias, de desejos, de suspiros...

E quando a noite bater na minha porta
Incendiada no lume das tuas íris,
A lua nova beijará a tua janela
Embriagada dos meus perfumes!

O Sibarita

mfc disse...

É que a vida vale a pena SEMPRE ser vivida e tu disseste-o de uma forma linda!

Luma Rosa disse...

Melhor que estejam à deriva do que aprisionados! Sonhos guardados, sonhos inviabilizados!! Boa semana! Beijus,

Roberto Machado Alves disse...

A vida é feita de sonhos e, sem eles. não somos nada.
Hoje assisti ao Ballet Carmen da Companhia do Antonio Gades e, no silêncio do teatro, fique pensando no que todas aquelas pessoas estavam pensando. Todas quietas e olhando na mesma direção, o palco, mas cada uma com seus sonhos.

Uma bela semana para você.
Grande abraço
Roberto

Mariangela disse...

A vida, na sua profunda intensidade, vale a pena ser vivida.
Mesmo na forma que damos a ela; com altos e baixos, sonhos e lágrimas.
Mas com fé e persistencia, não naufragaremos!
Beijo
Mariangela

Anônimo disse...

Querida vc deve conhecer o livro de Augusto Curry...Nunca desista dos seus sonhos.
Amiga vivo sempre sonhando....bjs Suzi.