segunda-feira, 19 de dezembro de 2011



Ah, nós seres humanos, temos que disfarçar a tristeza, a dor, a saudade...outras vezes temos que disfarçar a alegria, a admiração, o carinho...entender o bicho homem é complicado. Leva a vida disfarçando os sentimentos. Sorrindo quando temos vontade de chorar. Chorando quando gostaríamos de sorrir. Um nó no peito, sempre um nó no peito a enforcar a essência de ser e do ser. Calar quando gostaríamos de gritar. Ficar quando gostaríamos de ir. Gritar quando deveríamos calar. Ir quando gostaríamos de ficar. As contradições do viver. As representações que vivemos, impostas pela sociedade, pelo outro, por nós mesmos. As máscaras que se grudam no rosto e na alma. As mãos invisíveis que sufocam o sentir. As vozes de certo e errado que nos perseguem durante a vida toda. Disfarçar o sentir, e sofrer, e deprimir-se. Mais uma vez chegou o Natal, e ainda estamos de máscaras vivendo um eterno carnaval.

11 comentários:

Everson Russo disse...

O bicho homem se alimenta do amor, e o amor é o sentimento mais complexo e impossível de ser analisado, e por consequencia, o bicho homem também é uma incógnita em seus loucos caminhos, desejos e sonhos,,,muitas vezes ele se perde,,,mas acaba se encontrando,,,o porque,,,também não sabemos...beijos de boa semana pra ti querida,,,

Maria Dias disse...

...As máscaras tem muitas utilidades, e não podemos esquecer q existem as máscaras do bem e as máscaras do mal:As do bem servem como escudo e proteção as do mal servem pra esconder a verdade e a verdadeira intenção.
E eu q me apaixonei por um mascarado em um baile de carnaval...Minha primeira paixão foi um mascarado e a paixão durou os 4 dias de folia.Revelado a verdadeira face o encanto acabou.rs...

Beijos e uma ótima semana pra vc!

Maria

Pelos caminhos da vida. disse...

O Natal é tempo de paz, amor e esperança e eu não poderia viver esses sentimentos sem compartilhá-los com vc Paula.

Feliz Natal, e um 2012 repleto de muita saúde, paz, amor e de gdes realizações.


Um gdeeeeeee abraço.

beijooo.

Tatiana Moreira disse...

É complicado Paula... Dizer que não nos reprimimos e muitas vezes usamos máscaras seria mentir para nós mesmos... Mas confesso, eu ainda prefiro mostra-me tal como sou, com erros e defeitos, qualidades e virtudes... Afinal sou humana!
Mas é certo que por muitas vezes engoli o que sentia e guardei no mais íntimo de mim os sentimentos que achei por bem não expressar!

Assim caminha a humanidade...

Um abraço carinhoso

Rodolfo de Sá Cavalcanti disse...

Quando vivemos de forma simples, humilde e verdadeira, sem sonhos mirabolantes, não precisamos de máscaras para nos esconder, não vamos nos reprimir, o simples nos satisfaz. E a opinião dos outros só será importante quando nos eleva!!!

Maria disse...

Não podia estar mais de acordo contigo, Paula.
O Natal é apenas a comemoração do nascimento de Jesus Cristo, já que o tal 'tempo de paz e amor' deve ser todos os dias. E cada vez mais esta época está transformada em consumismo desnecessário e sorrisos falsos. Fazem-se tréguas familiares para no dia 26 voltar tudo ao mesmo. Estou farta!

Um beijo para ti, com um grande abraço.

mfc disse...

O Tempo corre... e as nossas contradições permanecem!

Dona Sra. Urtigão disse...

Hoje estava dizendo à minha filha sobre a dificuldade de ser-se transparente. Se a verdade fosse sempre percebida a partir do pensamento; quem estaria em condições de ouvi-la sempre ou de ter seus pensamentos claros, divulgados...

myra disse...

acho que viver é ser obrigada, taaaaantas vezes a fazer teatro...
para nos defender ou para nao fazer sofrer os que amamos..
lindo e triste...querida Paula
bjs

eder ribeiro disse...

Isso td é fruto da sociedade que vivemos, adaptar-se ao meio que vivemos interpretando uma personagem e muita vezes, uns interpretam tão bem que deixar de ser para estar. Bjos.

O Sibarita disse...

kkkkkkkkkkkkkkk Ô, é? Sei disso não fia!

Tenho máscara não, viu? kkkkkkkkkk Aliás, só no carnaval, ai sim, pinto/bordo e a bordo das piriguetes, ai meu Deus do céu! kkkkkkkkk

Porreta!

"Ah, tá rebocado minha Iaiá, já é carnaval na cidade.
Do Campo Grande à Ondina o coro come na Bahia!
Transmuto-me ao profano das moças na liberalidade
Dos ensejos aflorados... Ai meu Deus! É só alegria...

Evoé, no coração daquela menina de abadá do camaleão
Coloco o meu manto de Sibarita, estou livre, leve e solto.
Sobre os teus seios de deusa os meus olhos de navegação,
Vixe mainha! Embarco, caio na gandaia e mostro o rosto."...

O Sibarita