sábado, 4 de fevereiro de 2012

O carro





Está história faz parte da série andarilha. Uma série antiga.
Se alguém quiser ler outros textos da série é só clicar no marcador.



Meu olhar, minha saudade, minhas lembranças. O tempo. As viagens. As estradas. A paisagem grita o seu nome. Comecei a lembrar dos seus poemas, dos seus contos, das suas lembranças. O cavalo. A cerca. A neblina na serra. A Igreja na serra entre a neblina. Estação de trem. O céu azul. A Igreja na praça. A cruz na estrada. A seta com o galo no alto da Igreja. A estrada, as estradas, as suas, as minhas. Um entrelace de lembranças, o seu passado, o meu, as minhas emoções entrelaçadas nas suas histórias. As histórias criando imagens. As imagens criando histórias. Se soubesse desenharia o que você escreve. É muito visual. É olfativo. É tátil. É totalmente sensorial. Me sinto toda. Tem vida. Na incapacidade de desenhar, fotografo. Ilustro mentalmente a sua emoção. As estradas são muitas que bifurcam com as lembranças. O carro, velho, usado, ali parado. Cheio de histórias. Precisava fotografar, o carro me lembrou uma história sua. No silêncio, ele gritou seu nome nas minhas lembranças. Eu e o carro estávamos em Bonito-Mato Grosso, muitas estradas percorremos, eu, o carro, você.  Estradas diferentes, cheias de histórias, que são lembranças, que são saudades, que viram histórias, que são emoções....que são imagens. Neste cenário bonito, eu e suas lembranças, viramos história.



foto: Bonito-Mato Grosso - 2010

18 comentários:

Everson Russo disse...

Essa andarilha de tantos chãos,,,tantas histórias,,,tantos universos percorridos...beijos querida e um belo final de semana pra ti.

Dona Sra. Urtigão disse...

Seu texto perfeito intensificou as saudades do meu carro, das minhas passagens por lugares que agora só tenho em fotos ou na memória. Mas tenho fé na mecânica, ele ainda há de ressuscitar.

Maria Dias disse...

...Nao conheço Bonito mas tenho muita vontade dizem q é lindo...A foto está linda e o texto com muito sentimento contido.

Beijinho

Paulo Francisco disse...

Caminhando e encantando. Bonito...
Um beijo

myra disse...

eu tambem tenho saudades de meu carro:) eu gostava de correr pelas estradas...
Brasil,Mexico, Italia,
tive que deixar...e tambem estava com um ELE!!!!
saudades, gostei muito, minha querida Paula, bjs

mfc disse...

Um saltitar de visão em visão, de memória em memória!
Um texto que só se para de ler no seu final...
Um texto muito bem conseguido e lindamente escrito.

O Sibarita disse...

Em sendo assim, muito dez! O carro, ah o carro... se ele falasse e ai? kkkkkk

Belo texto, ele consegue nos envolver de tal forma que pensamos está ai dentro... kkkkkkkkkk

O Sibarita

EDER RIBEIRO disse...

E viajamos através do texto pelas suas lembranças. Muitas imagens descrita em frases curtas. Bjos.

Everson Russo disse...

Uma semana repleta de carinho e muita poesia pra ti minha amiga...beijos e beijos.

Marcos Rittner disse...

O que vemos e sabemos ao contactar diretamente o mundo, transcende palavras. Lindo post.

Felippe disse...

perfeito menina!!

Entre emoções e imagens, exalto esse belo texto!

Anônimo disse...

Querida amiga lindo texto....me deixou saudades bjs Suzi.

Rui Morel Carneiro disse...

Paula, fico lisonjeado por suas palavras em meu blog. Defendo a tese de que quando conhecemos algo novo devemos compartilhar, assim sendo o blog é um espaço muito bom. Aliás, já estou explorando o seu blog, magnífico.
Gostei da série "A andarilha". Parabéns.

Roberto Machado Alves disse...

Uma foto que nos passa tranquilidade...gostei imensamente. Parabéns.

Beijos e uma ótima semana.

Ilaine disse...

A andarimha e a poetisa.
O olhar da sensibilidade, as palavras de carinho. "Se soubesse desenharia o que você escreve..." O que você escreve eu vizualizo, pois sua palavra toca e marca, desenha e molda de forma perfeita o sentimento.

Beijo no coração

Everson Russo disse...

Uma ótima segunda feira pra ti minha querida...beijos e beijos.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Fantástico Paula, de tirar o fôlego!
Adorei.
Bj e uma ótima semana!

Armindo C. Alves disse...

As imagens da história ou a história das imagens. O privilégio da memória e a sensibilidade de reviver o passado. A grandiosidade de saber recordar com dignidade.

Beijos.