segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012



Tem pessoas que são inesquecíveis. Até aí tudo bem. Tudo normal. O que começa a ser um problema é que tem pessoas que são lembráveis demais. São essas pessoas que se fazem lembradas, é, se fazem, porque eu estou quieta no meu canto, num cadeira de cinema, na cama da minha sobrinha lendo o jornal, andando na beira do mar, olhando o céu azul, apreciando o sol se pôr, observando o dia raiar, escutando os bem-te-vis e toda turma de pássaros cantarolando, estou vivendo...e lá vem aquela pessoa se infiltrando nos meus pensamentos. Fazendo conecções dentro de mim.
Estava lendo sobre Manoel de Barros, ah, e aquela pessoa, a lembrável,  fez Manoel ficar pequenino. Nela cabe muitos Manoeis. Nela cabe um mundo de conexões. Levantei a cabeça, olhei mais um vez o céu azul em contraste com a flor vermelha, sorri. O lembrável é assim, me faz esticar o olho para o mundo, para a vida. E vai ficando imortalizado na natureza. Ou melhor, vai vivendo na natureza.



13 comentários:

Paulo Francisco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Francisco disse...

Eu errei o comentário (sem óculos).
Vou tentar repetir:
Fiquei com inveja dele
Um beijo grande

Agora: Deve ser muito bom saber que tem alguém em algum lugar do mundo pensando na gente.
Melhor ainda quando não precisa de metáforas pra dizer.
Sabe, te acho uma pessoa muiiiito sensível. não vou nem falar aqui sobre ciúmes rs rs
Agora eu não deixo um beijo grande, deixo um beijo do tamanho do mundo pra ti.

myra disse...

Tem pessoas que são inesquecíveis. Até aí tudo bem. Tudo normal. O que começa a ser um problema é que tem pessoas que são lembráveis demais.

SIM!!!!! e doi....
beijos minha querida Paula

Maria Dias disse...

...Bom é ter muitas lembranças pra nos preencher.Bom é não se sentir só, mas sim preenchida das lembranças que fazem o dia e os momentos ficarem mais bonitos(mais vivos).
Adorei a revelação desta sua lembrança...Me fez ver um quadro de um belo dia azul mas cheio das outras cores.

Beijinho

Maria

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Oi Paula,
este não é de nenhuma série?...

Bom, na realidade por vezes isso acontece mesmo e penso que com todo mundo, comigo por vezes também acontece ou já aconteceu...

Bj

EDER RIBEIRO disse...

Paula, sabe o que é bom em tudo isso é que são pessoas assim que enriqueçem a nossa poesia a nossa prosa e compõem e recompõem o ilusório e o real. Bjos.

curso technique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paula barros disse...

Eu penso em todos você. Uns eu penso mais. E alguns uns entram no meu pensamento no dia a dia.

Alguns são muito reais para serem pensados com frequência, eu tenho medo. kkkk Viu Paulo Francisco?

E eu penso maravilhas com relações a vocês. Maria Dias no final de ano me fez pensar nela, quando vi um vestido de borboletas e flores, nossa, ela ia ficar ainda mais linda naquele vestido.

Bem, e respondendo a Rui, sim, este escrito poderia é de uma série. Só não quis identificar. kkk

beijo a todos.

Dauri Batisti disse...

Obrigado minha querida, tinha esquecido.
Obrigado Paula.
Lá está nos LADOSMULTIPLICADOS o link da música.


By the way,este seu texto está muito bem feito. Lindo. Penso - desculpa se avalio errado - que vc tem aperfeiçoado bem seu jeito de escrever.

Tatiana Moreira disse...

Realmente existem pessoas que acabam fazendo parte de nós... Pois demos a elas espaço em nosso íntimo, nós as permitimos fazer parte de nós! E isso é maravilhoso!
Por essa razão não a esquecemos nunca!

Um beijo carinhoso para você!

Olhos de mel disse...

Querida Paulinha; pior é que é assim mesmo. Essas pessoas estão em nosso pensamento, dia e noite.
Beijos

Maria disse...

Ah, querida Paula, tem um monte de gente 'lembrável' na minha cabeça... que quando me acordam me fazem sentir emoções como poucas coisas me fazem sentir. É rico o nosso mundo interior, as nossas memórias, as doces lembranças...

Beijos.

O Sibarita disse...

Opa! kkkkk Estou conectado agora em vc pelas parabólicas e ai tá pensando em lá eu? kkkkkkkkkkkkk

Eita moça danadinha... Muito bom!

O Sibarita