quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Vendedor de histórias - 14






A pesada porta da matriz está aberta.  São muitos os fiéis. O ambiente está iluminado de vidas. O padre sobe ao altar, compenetrado. Isto é, me parece compenetrado. Durante a missa observo que seus olhos se tornam inquietos, e que sua testa franze várias vezes. O que pensa? Suponho que algo lhe passa na mente, e que este algo não tem relação com o que vai ser dito na missa. Suposições me desviam. Ao terminar a missa está muito suado. Não me parece um suor normal, não fazia calor, será que é muito esforço rezar uma missa? Ele sai apressado. Teria sua pressa alguma relação com a testa franzida? Nunca saberei. Perguntas. Tantas perguntas sem respostas. Os paroquianos querem lhe pedir algo, agradecer, abraçar, contar algum fato, e isto vai dificultando o ritmo da sua pressa, é preciso desacelerar os passos. Ele mostra-se inquieto, apesar de ser cordial. Ele sai pela lateral da igreja. 





3 comentários:

O Sibarita disse...

kkkkk ô Fia, vc agora é advinha? kkk

Oxente dona moça, o Padre não podia estar neste momento que você imortaliza através do texto com diga-mos algum disturbio intestinal? kkkk

Vai ver que comida caiu de mal jeito, pense... kkkkk

Porreta!

O Sibarita

Loana Keitelin disse...

Detalhes, detalhes ... constroem esse mundo. Belo olhar.

myra disse...

quem sabe saiu escapando de tanta gente ' a maiorIA
hipocrita' naO ACHA!!!!
BEIJOS MINHA QUERIDA pAULA,
me desculPA mas tenho teclado novo e faco uma bagunca nao encontro mtas coisas...